Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 6 de 6
Filtrar
Mais filtros

Base de dados
Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
MEDVEP. Rev. cient. Med. Vet. ; 8(25): 315-318, abr.-jun. 2010. ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-1544

Resumo

Os fixadores esqueléticos externos circulares permitem o tratamento de diversos problemas ortopédicos. Para casos de não uniões, a possibilidade de compressão e a mobilidade cíclica no foco de fratura estimula a osteogênese. O presente relato descreve o caso de uma cadela mestiça de cinco anos de idade com não união atrófica e osteomielite em tíbia. O paciente já havia sido tratado sem sucesso com fixadores externos lineares. Após exames iniciais, o paciente foi submetido à fixação esqueléticacircular (Ilizarov) e antibioticoteparia. Com 120 dias de pós operatório e duas compressões no foco de fratura, obteve-se cicatrização óssea. O fixador circular permite compressões pós operatórias e os micromovimentos axiais estimulam a osteogênese, o que facilita a cicatrização óssea mesmo em casosmais complexos(AU)


Circular external fixators allow treatment of many orthopedic problems. For non-union cases, the possibility of compression and the cyclic mobility at the fracture site stimulates osteogenesis. This case report describes a mixed breed, five year old, female dog with an atrophic non-union and osteomielitis of the tibia. The patient had been unsuccessfully treated with linear external fixation prior to presentation. After initial examination, the patient underwent surgery for fixation of the fracture with a circular fixator (Ilizarov) and antibiotic therapy. At 120 days and two fixator compressions after surgery, there was bone healing. The circular fixator allows post-surgical compressions, and axial micro movements stimulates osteogenesis, which helps bone healing even in complex cases(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Osteomielite/veterinária , Técnica de Ilizarov/veterinária , Cães , Fraturas da Tíbia/cirurgia , Fraturas da Tíbia/veterinária , Fixação de Fratura/métodos , Fixadores Externos/veterinária
2.
MEDVEP. Rev. cient. Med. Vet. ; 8(24): 133-139, jan.-mar.2010.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-1519

Resumo

A ruptura do ligamento cruzado cranial é a afecção de joelho mais comum em cães. As técnicas de reparação extra-articulares apresentam bons resultados pós-operatórios, porém apresentam alterações cinéticas do movimento do joelho, podendo causar lesão do menisco e da cartilagem. Por outro lado, técnicas intra-articulares, apesar de preservarem a movimentação normal do joelho, utilizam de enxertia, que pode falhar, devido à necrose avascular secundária. A TPLO visa estabilização por restrição ativa do joelho, através de alterações mecânicas dessa articulação e demonstra resultados positivos em relação ao retorno total à função, podendo ser aplicada tanto em cães de raça pequena quanto grande, porém é um procedimento mais invasivo e caro que a técnica extra capsular devido a necessidade de instrumentos especializados e implantes, além de apresenta altos índices de complicações (até 28% dos casos), tais como tendinite patelar, fratura da fíbula e infecções(AU)


Cranial cruciate ligament rupture is the most common affection of the dogs knees. The extra-capsular techniques present good results, but they cause kinetic alterations of the knee movement, and may lead to damage of the meniscus and the cartilage. On the other hand, intra-articular techniques preserve the normal movement of knees, but the graft can fail, due to secondary avascular necrosis. TPLO (tibial plateau levelling ostheotomy) causes stabilization by active restriction of the knee, through mechanical alterations of this joint. It shows good results regarding total return to function, being used in both large and small breed, but it is a more invasive procedure and more expensive due to the specialized instruments and implants, and it also shows high rates of complications (up to 28% of the cases), such as patellar tendonitis, fibular fracture and infections(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Cães , Osteotomia/veterinária , Joelho/cirurgia , Ligamentos , Ferimentos e Lesões , Ruptura/veterinária , Fraturas da Tíbia
3.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1485305

Resumo

A ruptura do ligamento cruzado cranial é a afecção de joelho mais comum em cães. As técnicas de reparação extra-articulares apresentam bons resultados pós-operatórios, porém apresentam alterações cinéticas do movimento do joelho, podendo causar lesão do menisco e da cartilagem. Por outro lado, técnicas intra-articulares, apesar de preservarem a movimentação normal do joelho, utilizam de enxertia, que pode falhar, devido à necrose avascular secundária. A TPLO visa estabilização por restrição ativa do joelho, através de alterações mecânicas dessa articulação e demonstra resultados positivos em relação ao retorno total à função, podendo ser aplicada tanto em cães de raça pequena quanto grande, porém é um procedimento mais invasivo e caro que a técnica extra capsular devido a necessidade de instrumentos especializados e implantes, além de apresenta altos índices de complicações (até 28% dos casos), tais como tendinite patelar, fratura da fíbula e infecções


Cranial cruciate ligament rupture is the most common affection of the dogs’ knees. The extra-capsular techniques present good results, but they cause kinetic alterations of the knee movement, and may lead to damage of the meniscus and the cartilage. On the other hand, intra-articular techniques preserve the normal movement of knees, but the graft can fail, due to secondary avascular necrosis. TPLO (tibial plateau levelling ostheotomy) causes stabilization by active restriction of the knee, through mechanical alterations of this joint. It shows good results regarding total return to function, being used in both large and small breed, but it is a more invasive procedure and more expensive due to the specialized instruments and implants, and it also shows high rates of complications (up to 28% of the cases), such as patellar tendonitis, fibular fracture and infections


Assuntos
Animais , Cães , Cães , Ferimentos e Lesões , Fraturas da Tíbia , Joelho/cirurgia , Ligamentos , Osteotomia/veterinária , Ruptura/veterinária
4.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1485331

Resumo

Os fixadores esqueléticos externos circulares permitem o tratamento de diversos problemas ortopédicos. Para casos de não uniões, a possibilidade de compressão e a mobilidade cíclica no foco de fratura estimula a osteogênese. O presente relato descreve o caso de uma cadela mestiça de cinco anos de idade com não união atrófica e osteomielite em tíbia. O paciente já havia sido tratado sem sucesso com fixadores externos lineares. Após exames iniciais, o paciente foi submetido à fixação esqueléticacircular (Ilizarov) e antibioticoteparia. Com 120 dias de pós operatório e duas compressões no foco de fratura, obteve-se cicatrização óssea. O fixador circular permite compressões pós operatórias e os micromovimentos axiais estimulam a osteogênese, o que facilita a cicatrização óssea mesmo em casosmais complexos


Circular external fixators allow treatment of many orthopedic problems. For non-union cases, the possibility of compression and the cyclic mobility at the fracture site stimulates osteogenesis. This case report describes a mixed breed, five year old, female dog with an atrophic non-union and osteomielitis of the tibia. The patient had been unsuccessfully treated with linear external fixation prior to presentation. After initial examination, the patient underwent surgery for fixation of the fracture with a circular fixator (Ilizarov) and antibiotic therapy. At 120 days and two fixator compressions after surgery, there was bone healing. The circular fixator allows post-surgical compressions, and axial micro movements stimulates osteogenesis, which helps bone healing even in complex cases


Assuntos
Animais , Cães , Cães , Fixadores Externos/veterinária , Fixação de Fratura/métodos , Fraturas da Tíbia/cirurgia , Fraturas da Tíbia/veterinária , Osteomielite/veterinária , Técnica de Ilizarov/veterinária
5.
MEDVEP. Rev. cient. Med. Vet. ; 7(23): 578-583, out.-dez.2009. ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-1495

Resumo

A ruptura do ligamento cruzado cranial (LCCr) é causa comum de claudicação em membro pélvico de cães e gatos. Recentemente, passou-se a utilizar as técnicas de osteotomia corretiva proximal da tíbia, como as osteotomias em cunha, nivelamento do platô tibial (TPLO) e o avanço da tuberosidade tibial (TTA) para correção de ruptura de ligamento cruzado cranial. Avaliou-se técnica de avanço da tuberosidade tibial (TTA) em 17 cães de dois a oito anos de idade e pesando entre 14,3 e 43,5 Kg. Após exame ortopédico e diagnóstico de ruptura de ligamento cruzado cranial, as articulações eram radiografadas e os cães submetidos à técnica de TTA. Na sequência os pacientes eram avaliados até a cicatrização óssea quanto ao apoio e estabilidade articular. Os pacientes demonstraram melhora no apoio já na primeira semana de pós-operatório e a cicatrização óssea ocorreu entre seis e 17 semanas. Constatou-se que a técnica proporciona estabilidade dinâmica da articulação e permite retorno preco¬ce à deambulação adequada(AU)


Cranial cruciate rupture is a common cause of caudal limb limping in dogs and cats. Recently proxi¬mal tibial corrective osteotomies started being used, as the closing wedge osteotomy, tibial plateau le¬veling osteotomy (TPLO) and tibial tuberosity advancement (TTA) for the correction of cranial crucia¬te rupture. We evaluated the tibial tuberosity advancement (TTA) technique in 17 dogs of two to eight years of age, of a body weight of 16.3 to 43.5 Kg. After orthopedic examination and diagnostic of the cranial cruciate rupture, the joints were radiographed and the dogs underwent TT A. Afterwards, the patients were evaluated until bone healing as of weight bearing and articular stability. The patients showed a better weight bearing in the first week after surgery and bone healing was noted between six and 17 weeks. We concluded that the technique provides dynamic stability of the joint and allows an early return to adequate function(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Ligamentos Articulares , Cães , Osteotomia/veterinária , Fraturas da Tíbia/cirurgia , Fraturas da Tíbia/veterinária
6.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1485280

Resumo

A ruptura do ligamento cruzado cranial (LCCr) é causa comum de claudicação em membro pélvico de cães e gatos. Recentemente, passou-se a utilizar as técnicas de osteotomia corretiva proximal da tíbia, como as osteotomias em cunha, nivelamento do platô tibial (TPLO) e o avanço da tuberosidade tibial (TTA) para correção de ruptura de ligamento cruzado cranial. Avaliou-se técnica de avanço da tuberosidade tibial (TTA) em 17 cães de dois a oito anos de idade e pesando entre 14,3 e 43,5 Kg. Após exame ortopédico e diagnóstico de ruptura de ligamento cruzado cranial, as articulações eram radiografadas e os cães submetidos à técnica de TTA. Na sequência os pacientes eram avaliados até a cicatrização óssea quanto ao apoio e estabilidade articular. Os pacientes demonstraram melhora no apoio já na primeira semana de pós-operatório e a cicatrização óssea ocorreu entre seis e 17 semanas. Constatou-se que a técnica proporciona estabilidade dinâmica da articulação e permite retorno preco¬ce à deambulação adequada


Cranial cruciate rupture is a common cause of caudal limb limping in dogs and cats. Recently proxi¬mal tibial corrective osteotomies started being used, as the closing wedge osteotomy, tibial plateau le¬veling osteotomy (TPLO) and tibial tuberosity advancement (TTA) for the correction of cranial crucia¬te rupture. We evaluated the tibial tuberosity advancement (TTA) technique in 17 dogs of two to eight years of age, of a body weight of 16.3 to 43.5 Kg. After orthopedic examination and diagnostic of the cranial cruciate rupture, the joints were radiographed and the dogs underwent TT A. Afterwards, the patients were evaluated until bone healing as of weight bearing and articular stability. The patients showed a better weight bearing in the first week after surgery and bone healing was noted between six and 17 weeks. We concluded that the technique provides dynamic stability of the joint and allows an early return to adequate function


Assuntos
Animais , Cães , Cães , Fraturas da Tíbia/cirurgia , Fraturas da Tíbia/veterinária , Ligamentos Articulares , Osteotomia/veterinária
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA