Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 4 de 4
Filtrar
Mais filtros

Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online) ; 70(6): 1767-1774, nov.-dez. 2018. tab
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-970408

Resumo

Considering that the use of tranquillizers could optimize the performance of the echocardiogram, this study aimed to evaluate the effect of protocols with acepromazine and fentanyl on the echocardiographic parameters of healthy dogs, besides their effect in systolic blood pressure (SBP), respiratory rate (RR), heart rate (HR), time spent for examination and sedation scale. Ten adult dogs were submitted to different tranquilizing protocols 20 minutes before the echocardiographic examination, totalling five treatments for each pair, performed at seven-day intervals between evaluations. The treatments were CT (control treatment), IAT (intramuscular acepromazine), OAT (oral acepromazine), FT (fentanyl) and AFT (acepromazine associated with fentanyl). In addition to the echocardiographic evaluation, SBP, degree of reassurance, duration of the exam, HR and RR in the different protocols were evaluated. There was a significant decrease of SBP in OAT. There was a significant reduction in left ventricular diameter during systole and diastole and mitral annular movement in IAT, OAT and AFT, compared with CT. There was a decrease in tricuspid annular plane systolic excursion and increase in mitral E/mitral A ratio in IAT and OAT when compared with CT. All the tranquillizer protocols studied were found to significantly reduce HR, that facilitated the echocardiographic examination.(AU)


Considerando que o uso de tranquilizantes poderia otimizar a realização do ecocardiograma, objetivou-se com este estudo avaliar o efeito da tranquilização com acepromazina e fentanil sobre os parâmetros ecocardiográficos em cães saudáveis, bem como o efeito na pressão arterial sistólica (PAS), na frequência respiratória (FR), na frequência cardíaca (FC), no tempo gasto para a realização do exame e na escala de sedação. Dez cães adultos foram submetidos a diferentes protocolos tranquilizantes, 20 minutos antes da avaliação ecocardiográfica, totalizando cinco tratamentos para cada dupla, realizados com intervalos de sete dias entre as avaliações. Os tratamentos foram: TC (tratamento controle), TAI (acepromazina intramuscular), TAO (acepromazina oral), TF (fentanil) e TAF (acepromazina associada ao fentanil). Além dos parâmetros ecocardiográficos, foram avaliados a PAS, o grau de tranquilização, o tempo de duração do exame e a FC e a FR nos diferentes protocolos. Houve diminuição significativa da PAS no TAO. Observou-se redução significativa do diâmetro do ventrículo esquerdo em sístole e diástole e do movimento anular de mitral nos protocolos TAI, TAO e TAF, comparados com o TC. Observou-se também uma redução da excursão sistólica do plano anular tricúspide e aumento da relação mitral E/mitral A nos protocolos TAI e TAO quando comparados ao TC. Todos os protocolos de tranquilização reduziram significativamente a FC, o que facilitou a realização do exame.(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Ecocardiografia/estatística & dados numéricos , Fentanila/análise , Cães/anormalidades , Acepromazina/análise
2.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online) ; 70(6): 1767-1774, nov.-dez. 2018. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-21422

Resumo

Considering that the use of tranquillizers could optimize the performance of the echocardiogram, this study aimed to evaluate the effect of protocols with acepromazine and fentanyl on the echocardiographic parameters of healthy dogs, besides their effect in systolic blood pressure (SBP), respiratory rate (RR), heart rate (HR), time spent for examination and sedation scale. Ten adult dogs were submitted to different tranquilizing protocols 20 minutes before the echocardiographic examination, totalling five treatments for each pair, performed at seven-day intervals between evaluations. The treatments were CT (control treatment), IAT (intramuscular acepromazine), OAT (oral acepromazine), FT (fentanyl) and AFT (acepromazine associated with fentanyl). In addition to the echocardiographic evaluation, SBP, degree of reassurance, duration of the exam, HR and RR in the different protocols were evaluated. There was a significant decrease of SBP in OAT. There was a significant reduction in left ventricular diameter during systole and diastole and mitral annular movement in IAT, OAT and AFT, compared with CT. There was a decrease in tricuspid annular plane systolic excursion and increase in mitral E/mitral A ratio in IAT and OAT when compared with CT. All the tranquillizer protocols studied were found to significantly reduce HR, that facilitated the echocardiographic examination.(AU)


Considerando que o uso de tranquilizantes poderia otimizar a realização do ecocardiograma, objetivou-se com este estudo avaliar o efeito da tranquilização com acepromazina e fentanil sobre os parâmetros ecocardiográficos em cães saudáveis, bem como o efeito na pressão arterial sistólica (PAS), na frequência respiratória (FR), na frequência cardíaca (FC), no tempo gasto para a realização do exame e na escala de sedação. Dez cães adultos foram submetidos a diferentes protocolos tranquilizantes, 20 minutos antes da avaliação ecocardiográfica, totalizando cinco tratamentos para cada dupla, realizados com intervalos de sete dias entre as avaliações. Os tratamentos foram: TC (tratamento controle), TAI (acepromazina intramuscular), TAO (acepromazina oral), TF (fentanil) e TAF (acepromazina associada ao fentanil). Além dos parâmetros ecocardiográficos, foram avaliados a PAS, o grau de tranquilização, o tempo de duração do exame e a FC e a FR nos diferentes protocolos. Houve diminuição significativa da PAS no TAO. Observou-se redução significativa do diâmetro do ventrículo esquerdo em sístole e diástole e do movimento anular de mitral nos protocolos TAI, TAO e TAF, comparados com o TC. Observou-se também uma redução da excursão sistólica do plano anular tricúspide e aumento da relação mitral E/mitral A nos protocolos TAI e TAO quando comparados ao TC. Todos os protocolos de tranquilização reduziram significativamente a FC, o que facilitou a realização do exame.(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Ecocardiografia , Fentanila/análise , Cães/anormalidades , Acepromazina/análise
3.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online) ; 70(4): 1036-1044, jul.-ago. 2018. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-916262

Resumo

Physical activity alters the cardiovascular system of dogs, depending on the exercise characteristics and the animal's physical conditioning. Little is known about the cardiovascular changes in rescue-trained dogs. This study evaluated the cardiovascular responses to a search and rescue exercise session to differentiate these alterations from cases of exhaustion or some possible pathology. Nine healthy rescue-trained dogs that trained for at least one year were used. Seven German Shepherds and two Belgian Shepherd Malinois were evaluated twice, immediately before exercise (M0) and immediately after a 20-minute training (M1). Electrocardiographic, echocardiographic, and systemic blood pressure (SBP) measurements were performed at each evaluation. Heart rate was evaluated in three moments, M0, M1 and five minutes after the end of the physical activity (M2). The results indicated that training increased oxygen demand and significantly increased cardiac output, left ventricular volume in diastole and aortic artery diameter, and the contraction force with the increased mitral annular motion without impairing systolic and diastolic cardiac functions. Heart rate values immediately and five minutes after exercise were similar to baseline values. Training did not alter SBP and the electrocardiographic parameters. The present study indicated good cardiac performance to the physical effort of rescue-trained dogs and reduced the chances of poor performance and the occurrence of sudden death caused by exercise in response to the pattern of activity performed.(AU)


A atividade física acarreta diversas mudanças no sistema cardiovascular dos cães, dependendo das características do exercício realizado e do condicionamento físico do animal. Pouco se sabe sobre as alterações cardiovasculares causadas pelo treinamento de busca, resgate e salvamento. Objetivou-se, com este estudo, avaliar as respostas cardiovasculares após uma sessão desse tipo de treino, a fim de diferenciar essas alterações de casos de exaustão ou de alguma possível patologia. Foram utilizados nove cães saudáveis em treinamento de busca, resgate e salvamento há pelo menos um ano, sendo sete da raça Pastor Alemão e dois da raça Pastor Belga Malinois. Os cães foram submetidos a dois momentos de avaliação: M0 imediatamente antes do exercício e M1 imediatamente após um treinamento de 20 minutos. Em cada avaliação, foram realizados os exames eletrocardiográfico e ecocardiográfico e a aferição da pressão arterial sistólica sistêmica. Apenas a frequência cardíaca foi avaliada em três momentos, em M0, M1 e após cinco minutos do término da atividade física (M2). Os resultados obtidos indicam que o treinamento causa um aumento na demanda de oxigênio, provocando um aumento significativo no débito cardíaco, no volume ventricular esquerdo em diástole e no diâmetro da artéria aorta, assim como um aumento em um dos parâmetros de contratilidade cardíaca (movimento anular de mitral), sem causar prejuízo às funções cardíacas sistólicas e diastólicas. Os valores da FC imediatamente após e cinco minutos após o exercício foram similares aos valores basais. A PASS e os parâmetros eletrocardiográficos não se alteraram após o treinamento. Os achados encontrados indicam um bom desempenho cardíaco ao esforço físico dos cães de busca, resgate e salvamento, reduzindo-se as chances de má performance e de ocorrência de morte súbita causada pelo exercício, em resposta ao padrão da atividade realizada.(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Fármacos Cardiovasculares , Cães , Exercício Físico , Pressão Arterial , Eletrocardiografia/veterinária
4.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online) ; 70(4): 1036-1044, jul.-ago. 2018. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-20701

Resumo

Physical activity alters the cardiovascular system of dogs, depending on the exercise characteristics and the animal's physical conditioning. Little is known about the cardiovascular changes in rescue-trained dogs. This study evaluated the cardiovascular responses to a search and rescue exercise session to differentiate these alterations from cases of exhaustion or some possible pathology. Nine healthy rescue-trained dogs that trained for at least one year were used. Seven German Shepherds and two Belgian Shepherd Malinois were evaluated twice, immediately before exercise (M0) and immediately after a 20-minute training (M1). Electrocardiographic, echocardiographic, and systemic blood pressure (SBP) measurements were performed at each evaluation. Heart rate was evaluated in three moments, M0, M1 and five minutes after the end of the physical activity (M2). The results indicated that training increased oxygen demand and significantly increased cardiac output, left ventricular volume in diastole and aortic artery diameter, and the contraction force with the increased mitral annular motion without impairing systolic and diastolic cardiac functions. Heart rate values immediately and five minutes after exercise were similar to baseline values. Training did not alter SBP and the electrocardiographic parameters. The present study indicated good cardiac performance to the physical effort of rescue-trained dogs and reduced the chances of poor performance and the occurrence of sudden death caused by exercise in response to the pattern of activity performed.(AU)


A atividade física acarreta diversas mudanças no sistema cardiovascular dos cães, dependendo das características do exercício realizado e do condicionamento físico do animal. Pouco se sabe sobre as alterações cardiovasculares causadas pelo treinamento de busca, resgate e salvamento. Objetivou-se, com este estudo, avaliar as respostas cardiovasculares após uma sessão desse tipo de treino, a fim de diferenciar essas alterações de casos de exaustão ou de alguma possível patologia. Foram utilizados nove cães saudáveis em treinamento de busca, resgate e salvamento há pelo menos um ano, sendo sete da raça Pastor Alemão e dois da raça Pastor Belga Malinois. Os cães foram submetidos a dois momentos de avaliação: M0 imediatamente antes do exercício e M1 imediatamente após um treinamento de 20 minutos. Em cada avaliação, foram realizados os exames eletrocardiográfico e ecocardiográfico e a aferição da pressão arterial sistólica sistêmica. Apenas a frequência cardíaca foi avaliada em três momentos, em M0, M1 e após cinco minutos do término da atividade física (M2). Os resultados obtidos indicam que o treinamento causa um aumento na demanda de oxigênio, provocando um aumento significativo no débito cardíaco, no volume ventricular esquerdo em diástole e no diâmetro da artéria aorta, assim como um aumento em um dos parâmetros de contratilidade cardíaca (movimento anular de mitral), sem causar prejuízo às funções cardíacas sistólicas e diastólicas. Os valores da FC imediatamente após e cinco minutos após o exercício foram similares aos valores basais. A PASS e os parâmetros eletrocardiográficos não se alteraram após o treinamento. Os achados encontrados indicam um bom desempenho cardíaco ao esforço físico dos cães de busca, resgate e salvamento, reduzindo-se as chances de má performance e de ocorrência de morte súbita causada pelo exercício, em resposta ao padrão da atividade realizada.(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Fármacos Cardiovasculares , Cães , Exercício Físico , Pressão Arterial , Eletrocardiografia/veterinária
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA