Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 1 de 1
Filtrar
Mais filtros

Base de dados
Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-219447

Resumo

Objetivou-se avaliar o bagaço de cana-de-açúcar amonizado, associado à palma forrageira na dieta de vacas em lactação e seus efeitos no consumo, na digestibilidade dos nutrientes, no desempenho leiteiro, no balanço de nitrogênio, na síntese microbiana, no comportamento ingestivo e na viabilidade econômica. O experimento foi conduzido na fazenda Bela Vista, Encruzilhada, BA, com início no dia 10 de novembro de 2017. Foram utilizadas 8 vacas mestiças ½ sangue Gir/Holandês, com peso corporal (PC) médio 442 ± 34 kg, distribuídas em dois quadrados latinos 4 x 4, em um esquema fatorial de 2 x 2, sendo bagaço de cana amonizado com 3 ou 6% de ureia na matéria seca, e 18 ou 36% de palma forrageira na dieta total. O experimento teve duração de 84 dias, constituídos de 4 períodos experimentais, com 21 dias cada, sendo os 17 primeiros dias destinado à adaptação e os 4 dias finais para coleta de dados. A interação não foi significativa para palma forrageira e nível de ureia no bagaço, como também não houve efeito para adição de palma nas dietas, para os consumo da matéria seca kg/dia, %PC e g/kg0,75 , proteína bruta kg/dia e g/kg0.75, fibra em detergente neutro corrigido para cinza e proteína em kg/dia e em %PC, carboidratos não fibrosos corrigidos para cinza e proteína e consumo dos nutrientes digestíveis totais kg/dia. O consumo de extrato etéreo apresentou efeito significativo para níveis de inclusão da palma forrageira. Para os coeficientes de digestibilidade da matéria seca e proteína bruta a interação não foi significativa entre os fatores, amonização do bagaço de cana-de-açúcar, assim como para adição de palma na dieta total. A digestibilidade da fibra em detergente neutro corrigido para cinza e proteína, carboidratos não fibrosos corrigidos para cinza e proteína, extrato etéreo e nutrientes digestíveis totais também não apresentaram interação significativa entre os fatores. Porém, a digestibilidade da fração fibrosa e do extrato etéreo foi maior para dieta com inclusão de 18% de palma forrageira na dieta e para os carboidratos não fibrosos a digestibilidade foi maior quando incluiu 36% de palma. Para produção de leite, produção de leite corrigido para gordura a 4%, gordura, proteína, lactose, sólidos totais e extrato seco desengordurado não foi observado diferença para a interação entre os fatores, ureia e a palma forrageira, independente dos níveis de ureia usados para o tratamento do bagaço de cana-de-açúcar. A ingestão de água de bebida foi menor para animais consumindo dieta contendo 36% de palma forrageira e a ingestão de água coloidal foi maior para animais consumindo 36% de palma na dieta. A inclusão de 18 ou 36% de palma forrageira na dieta total de vacas leiteiras, associada ao bagaço de cana de açúcar amonizado com 3 ou 6% de ureia, não apresentaram diferenças significativas para os resultados nas avaliações de consumos de nutrientes e desempenho leiteiro, no entanto, as dietas contendo 36% de palma e 3% de ureia na amonização do bagaço apresentaram melhor viabilidade para os parâmetros econômicos.


This study aimed to evaluate ammoniated sugarcane bagasse associated with forage palm in diets for lactating cows and its effects on consumption, nutrient digestibility, milk performance, nitrogen balance, microbial synthesis, behavior consumption and economic viability. The experiment was carried out at the Bela Vista farm, Encruzilhada, BA, beginning on November 10th, 2017. Eight crossbred cows ½ Gir/Holstein blood were used, with average body weight (BW) 442 ± 34 kg, distributed in two Latin squares 4 x 4, in a 2 x 2 factorial scheme, with sugarcane bagasse ammoniated with 3 or 6% urea in dry matter, and 18 or 36% forage palm in the total diet. The experiment lasted 84 days, consisting of 4 experimental periods, with 21 days each, with the first 17 days destined for adaptation and the final 4 days for data collection. The interaction was not significant for forage palm and urea level in the bagasse, as well as there was no effect for adding forage palm in the diets, for dry matter consumption kg/day, % BW/kg0.75, crude protein kg/day end g/kg0.75, neutral detergent fiber corrected for ash and protein in kg/day and% BW, non-fibrous carbohydrates corrected for ash and protein and consumption of total digestible nutrients kg/day. The consumption of ether extract had a significant effect on the inclusion levels of the forage palm. For the digestibility coefficients of dry matter and crude protein, the interaction was not significant between the factors, ammoniation of sugarcane bagasse, as well as for adding forage palm to the total diet. The digestibility of neutral detergent fiber corrected for ash and protein, non-fibrous carbohydrates corrected for ash and protein, ether extract and total digestible nutrients also did not show significant interaction between the factors. However, the digestibility of the fibrous fraction and the ether extract was greater for the diet with the inclusion of 18% forage palm in the diet and for non-fibrous carbohydrates the digestibility was greater when it included 36% of forage palm. For milk production, milk production corrected for 4% fat, fat, protein, lactose, total solids and defatted dry extract, no difference was observed for the interaction between the factors, urea and forage palm, regardless of the urea levels used for the treatment of sugarcane bagasse. Drinking water intake was lower for animals consuming a diet containing 36% forage palm and colloidal water intake was higher for animals consuming 36% of forage palm in the diet. The inclusion of 18 or 36% of forage palm in the total diet of dairy cows associated with ammoniated sugarcane bagasse with 3 or 6% of urea did not present significant differences for the results in the evaluations of nutrient consumption and milk performance, however, diets containing 36% forage palm and of 3% urea in ammoniation of bagasse showed better viability for economic parameters.

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA