Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 1 de 1
Filtrar
Mais filtros

Base de dados
Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
R. bras. Parasitol. Vet. ; 24(4): 432-437, 15t.-dez. 2015. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-17873

Resumo

The overall goal of this study was to estimate the prevalence of gastrointestinal (GI) parasites in dogs in the city of Villahermosa in Tabasco, Mexico. The study population consisted of 302 owned dogs that had limited access to public areas. A fecal sample was collected from each animal and examined for GI parasites by conventional macroscopic analysis and centrifugal flotation. Fecal samples from 80 (26.5%) dogs contained GI parasites. Of these, 58 (19.2%) were positive for helminths and 22 (7.3%) were positive for protozoan parasites. At least seven parasitic species were identified. The most common parasite was Ancylostoma caninum which was detected in 48 (15.9%) dogs. Other parasites detected on multiple occasions were Cystoisospora spp. (n = 19), Toxocara canis (n = 7) and Giardia spp. (n = 3). Three additional parasites, Dipylidium caninum, Trichuris vulpis and Uncinaria spp., were each detected in a single dog. No mixed parasitic infections were identified. In summary, we report a moderately high prevalence of GI parasites in owned dogs in Villahermosa, Tabasco. Several parasitic species identified in this study are recognized zoonotic pathogens which illustrates the important need to routinely monitor and treat dogs that live in close proximity to humans for parasitic infections.(AU)


O objetivo geral deste estudo foi estimar a prevalência de parasitas gastrointestinais (GI) em cães na cidade de Vilhahermosa, em Tabasco, México. A população estudada consistiu de 302 cães com donos, com acesso limitado a áreas públicas. Uma amostra fecal de cada animal foi coletada e examinada para parasitas GI por análise macroscópica convencional e centrífugo-flutuação. Amostras fecais de 80 (26,5%) cães apresentaram parasitas GI. Destes, 58 (19,2%) foram positivos para helmintos e 22 (7,3%) foram positivos para protozoários. Pelo menos 7 espécies parasitas foram identificadas. O parasita mais comum foi Ancylostoma caninum, detectado em 48 (15,9%) cães. Outros parasitas detectados em diversas ocasiões foram Cystoisospora spp. (n = 19), Toxocara canis (n = 7) e Giardia spp. (n=3). Adicionalmente, três parasitas foram detectados em apenas um cão Dipylidium caninum, Trichuris vulpis e Uncinaria spp. Nenhuma infecção mista foi observada. Em resumo, nós identificamos neste trabalho uma prevalência moderadamente alta de parasitas GI em cães com donos, em Villahermosa, Tabasco. Várias espécies de parasitas identificados são reconhecidamente patógenos zoonóticos, o que indica a necessidade de monitorar rotineiramente e tratar infecções parasitárias em cães que vivem em proximidade a populações humanas.(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Parasitos/parasitologia , Parasitos/patogenicidade , Fatores de Risco , Trato Gastrointestinal/parasitologia , México , Estudos Transversais , Ancylostoma
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA