Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 4 de 4
Filtrar
Mais filtros

Ano de publicação
Intervalo de ano de publicação
1.
Pesqui. vet. bras ; 38(3): 393-399, mar. 2018. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-19656

Resumo

Arcobacter is an emerging zoonotic pathogen, and the major transmission routes to humans are the handling or consumption of contaminated raw/undercooked food products of animal origin, water and seafood. The isolation and identification of Arcobacter species are not routine in clinical laboratories; therefore, its true incidence in human infections may be underestimated. The present study aimed to isolate and characterize Arcobacter from carcasses and fecal samples collected at swine slaughterhouses and from meat markets in São Paulo State, Brazil. The isolates were identified using multiplex-PCR to differentiate the species and analyzed by single-enzyme amplified fragment length polymorphism (SE-AFLP). Arcobacter spp. were isolated from 73.0% of swine carcasses, 4% of fecal samples and 10% of pork samples. A. butzleri was the most prevalent species identified, followed by A. cryaerophilus. Interestingly, the carcasses presented higher frequency of A. butzleri isolation, whereas only A. cryaerophilus was isolated from fecal samples. SE-AFLP enabled the characterization of A. butzleri and A. cryaerophilus into 51 and 63 profiles, respectively. The great genetic heterogeneity observed for both species corroborates previous reports. This study confirms the necessity for a standard isolation protocol and the improvement of molecular tools to further elucidate Arcobacter epidemiology.(AU)


Arcobacter é um patógeno zoonótico emergente e as principais formas de transmissão para humanos são a manipulação e o consumo de água ou alimentos contaminados crus ou mal cozidos. O isolamento e a identificação das espécies de Arcobacter não fazem parte da rotina dos laboratórios clínicos; dessa forma, a real incidência da infecção em humanos é subestimada. O presente estudo teve o objetivo de isolar e caracterizar Arcobacter de carcaças e amostras de fezes coletadas em dois abatedouros de suínos e de carne suína de dois açougues no Estado de São Paulo, Brasil. As estirpes foram identificadas utilizando multiplex-PCR para diferenciar as espécies e foram analisadas por polimorfismo no comprimento de fragmentos amplificados (SE-AFLP). Arcobacter spp. foi isolado de 73% das carcaças, 4% das amostras de fezes e de 10% das amostras de carne suína avaliadas. A. butzleri foi a espécie mais prevalente, seguida por A. cryaerophilus. As carcaças apresentaram a maior taxa de isolamento de A. butzleri enquanto que apenas A. cryaerophilus foi isolado das amostras de fezes. SE-AFLP possibilitou a caracterização de A. butzleri e A. cryaerophilus em 51 e 63 perfis de bandas, respectivamente. A grande heterogeneidade genética observada para ambas as espécies corrobora estudos previous. Estes resultados confirmam a necessidade de protocolos de isolamento padronizados e o aperfeiçoamento das ferramentas moleculares para aprofundar os conhecimetos sobre epidemiologia das infecções pelo gênero Arcobacter.(AU)


Assuntos
Animais , Suínos/microbiologia , Arcobacter/isolamento & purificação , Arcobacter/genética , Abate de Animais , Comércio
2.
Pesqui. vet. bras ; 38(3): 393-399, mar. 2018. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-964243

Resumo

Arcobacter is an emerging zoonotic pathogen, and the major transmission routes to humans are the handling or consumption of contaminated raw/undercooked food products of animal origin, water and seafood. The isolation and identification of Arcobacter species are not routine in clinical laboratories; therefore, its true incidence in human infections may be underestimated. The present study aimed to isolate and characterize Arcobacter from carcasses and fecal samples collected at swine slaughterhouses and from meat markets in São Paulo State, Brazil. The isolates were identified using multiplex-PCR to differentiate the species and analyzed by single-enzyme amplified fragment length polymorphism (SE-AFLP). Arcobacter spp. were isolated from 73.0% of swine carcasses, 4% of fecal samples and 10% of pork samples. A. butzleri was the most prevalent species identified, followed by A. cryaerophilus. Interestingly, the carcasses presented higher frequency of A. butzleri isolation, whereas only A. cryaerophilus was isolated from fecal samples. SE-AFLP enabled the characterization of A. butzleri and A. cryaerophilus into 51 and 63 profiles, respectively. The great genetic heterogeneity observed for both species corroborates previous reports. This study confirms the necessity for a standard isolation protocol and the improvement of molecular tools to further elucidate Arcobacter epidemiology.(AU)


Arcobacter é um patógeno zoonótico emergente e as principais formas de transmissão para humanos são a manipulação e o consumo de água ou alimentos contaminados crus ou mal cozidos. O isolamento e a identificação das espécies de Arcobacter não fazem parte da rotina dos laboratórios clínicos; dessa forma, a real incidência da infecção em humanos é subestimada. O presente estudo teve o objetivo de isolar e caracterizar Arcobacter de carcaças e amostras de fezes coletadas em dois abatedouros de suínos e de carne suína de dois açougues no Estado de São Paulo, Brasil. As estirpes foram identificadas utilizando multiplex-PCR para diferenciar as espécies e foram analisadas por polimorfismo no comprimento de fragmentos amplificados (SE-AFLP). Arcobacter spp. foi isolado de 73% das carcaças, 4% das amostras de fezes e de 10% das amostras de carne suína avaliadas. A. butzleri foi a espécie mais prevalente, seguida por A. cryaerophilus. As carcaças apresentaram a maior taxa de isolamento de A. butzleri enquanto que apenas A. cryaerophilus foi isolado das amostras de fezes. SE-AFLP possibilitou a caracterização de A. butzleri e A. cryaerophilus em 51 e 63 perfis de bandas, respectivamente. A grande heterogeneidade genética observada para ambas as espécies corrobora estudos previous. Estes resultados confirmam a necessidade de protocolos de isolamento padronizados e o aperfeiçoamento das ferramentas moleculares para aprofundar os conhecimetos sobre epidemiologia das infecções pelo gênero Arcobacter.(AU)


Assuntos
Animais , Suínos/microbiologia , Arcobacter/isolamento & purificação , Arcobacter/genética , Abate de Animais , Comércio
3.
Pesqui. vet. bras ; 36(8): 701-704, Aug. 2016. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: lil-798002

Resumo

Streptococcus suis is one of most important pathogens in the swine industry worldwide. Despite its importance, studies of S. suis characterization in South America are still rare. This study evaluates S. suis isolates from distinct Brazilian states, from 1999 to 2004, and its molecular and serological characterization. A total of 174 isolates were studied. S. suis identification was confirmed by PCR and isolates were further serotyped and genotyped by SE-AFLP and amplification of virulence markers. Serotype 1, 2, 3, 4, 7, 18, 22 and 32 were identified among the studied isolates, and only 4% were characterized as non-typeable. The mrp+/epf+/sly+ genotype was the most frequent. The SE-AFLP analysis resulted in 29 patterns distributed in three main clusters with over 65% of genetic similarity. Isolates presented a slight tendency to cluster according to serotype and origin; however, no further correlation with virulence genotypes was observed.(AU)


Streptococcus suis é um dos patógenos de maior importância para indústria suinícola mundial. Apesar de sua importância, a caracterização de isolados de S. suis na América do Sul ainda é pouco descrita. O presente estudo descreve a avaliação de isolados de S. suis provenientes de diferentes Estados brasileiros, e sua caracterização sorológica e molecular. Foram avaliados 174 isolados de S. suis e os mesmos foram submetidos a SE-AFLP e pesquisa de marcadores de virulência. Os sorotipos 1, 2, 3, 4, 7, 18, 22 e 32 foram identificados dentre os isolados estudados e apenas 4% foram caracterizados como não tipáveis. O perfil de virulência mrp+/epf+/sly+ foi o mais frequente. A análise do SE-AFLP resultou em 29 perfis distribuídos em três grupos principais com mais de 65% de similaridade genética. Os isolados apresentaram tendência de se agrupar segundo origem e sorotipo; no entanto, não foi observada correlação entre os grupamentos e os perfis de virulência.(AU)


Assuntos
Animais , Sorotipagem/veterinária , Streptococcus suis/classificação , Streptococcus suis/genética , Streptococcus suis/virologia , Suínos/virologia , Virulência
4.
Pesqui. vet. bras ; 36(8): 701-704, Aug. 2016. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-15032

Resumo

Streptococcus suis is one of most important pathogens in the swine industry worldwide. Despite its importance, studies of S. suis characterization in South America are still rare. This study evaluates S. suis isolates from distinct Brazilian states, from 1999 to 2004, and its molecular and serological characterization. A total of 174 isolates were studied. S. suis identification was confirmed by PCR and isolates were further serotyped and genotyped by SE-AFLP and amplification of virulence markers. Serotype 1, 2, 3, 4, 7, 18, 22 and 32 were identified among the studied isolates, and only 4% were characterized as non-typeable. The mrp+/epf+/sly+ genotype was the most frequent. The SE-AFLP analysis resulted in 29 patterns distributed in three main clusters with over 65% of genetic similarity. Isolates presented a slight tendency to cluster according to serotype and origin; however, no further correlation with virulence genotypes was observed.(AU)


Streptococcus suis é um dos patógenos de maior importância para indústria suinícola mundial. Apesar de sua importância, a caracterização de isolados de S. suis na América do Sul ainda é pouco descrita. O presente estudo descreve a avaliação de isolados de S. suis provenientes de diferentes Estados brasileiros, e sua caracterização sorológica e molecular. Foram avaliados 174 isolados de S. suis e os mesmos foram submetidos a SE-AFLP e pesquisa de marcadores de virulência. Os sorotipos 1, 2, 3, 4, 7, 18, 22 e 32 foram identificados dentre os isolados estudados e apenas 4% foram caracterizados como não tipáveis. O perfil de virulência mrp+/epf+/sly+ foi o mais frequente. A análise do SE-AFLP resultou em 29 perfis distribuídos em três grupos principais com mais de 65% de similaridade genética. Os isolados apresentaram tendência de se agrupar segundo origem e sorotipo; no entanto, não foi observada correlação entre os grupamentos e os perfis de virulência.(AU)


Assuntos
Animais , Streptococcus suis/classificação , Streptococcus suis/genética , Streptococcus suis/virologia , Sorotipagem/veterinária , Virulência , Suínos/virologia
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA