Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 1 de 1
Filtrar
Mais filtros

Base de dados
Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Semina ciênc. agrar ; 43(3): 1355-1364, maio.-jun. 2022. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1369566

Resumo

Staphylococcus is one of the most frequent etiological agents of bovine mastitis, causing economic losses to milk farming. This study aimed to describe the milk production and management practices in 15 herds located in three microregions of the State of Rondônia and to identify the antimicrobial resistance profile of 97 isolates of the genus Staphylococcus from these herds. The isolates were subjected to antimicrobial susceptibility tests using the agar diffusion method. Twenty-nine S. aureus isolates were selected to determine their minimum inhibitory concentration (MIC). In the farms studied, the breeding system was semi-intensive, with the Girolando breed being predominant. Milking was performed predominantly using a mechanical milking system (86.7%), twice a day (66.7%), in the presence of the calf (53.8%). The average number of lactating cows in the farms was 24, with an average milk production of 204.9 L d-1 and a milk productivity of 10.2 L animal-1 d-1. The use of antimicrobials for the treatment and prevention of bovine mastitis was reported for all properties, and therapy for dry cows was adopted in 80% of the herds. The percent susceptibility to antimicrobials ranged from 85.5% to 100% for S. aureus, 22.2% to 88.9% for coagulase-positive staphylococci (CPS), and 69.2% to 100% for coagulase-negative staphylococci (CNS), with the highest resistance frequencies for penicillin, ampicillin, and tetracycline. Among the S. aureus isolates, 100% susceptibility to oxacillin, cefalexin, and gentamicin was observed, and among the CNS isolates, 100% susceptibility to gentamicin was observed. None of the antimicrobials tested showed 100% in vitro effectiveness for CPS. CPS and CNS presented lower percentages of susceptibility to penicillin, ampicillin, and tetracycline than the S. aureus isolates. Twelve resistance patterns were detected, six of which were multiresistance patterns. The most prevalent resistance patterns were penicillin and ampicillin (PEN-AMP) and penicillin, ampicillin, and tetracycline (PEN-AMP-TET). Results of the MIC assay revealed that all 29 S. aureus isolates were susceptible to cephalothin, cefoxitin, tetracycline, and erythromycin, whereas 25 (86.2%) were susceptible to penicillin.(AU)


O gênero Staphylococcus destaca-se como um dos agentes etiológicos mais frequentes da mastite bovina, causando prejuízos econômicos à pecuária de leite. Este estudo teve o objetivo de descrever a produção de leite e práticas de manejo de 15 rebanhos localizados em três microrregiões do Estado de Rondônia, e identificar o perfil de resistência aos antimicrobianos de 97 isolados do gênero Staphylococcus provenientes destes rebanhos. Os isolados foram submetidos a testes de suscetibilidade a antimicrobianos, utilizandose a técnica de difusão em ágar. Foram selecionados 29 isolados de Staphylococcus aureus (S. aureus) para determinação da concentração inibitória mínima (CIM). Nas propriedades estudadas, o sistema de criação era semi-intensivo, com predomínio da raça Girolando. A ordenha era realizada predominantemente em sistema de ordenha mecânica (86,7%), duas vezes ao dia (66,7%) e com a presença do bezerro (53,8%). A média do número de vacas em lactação das propriedades era de 24 animais, com média de produção de leite de 204,9 L d-1 e produtividade de leite de 10,2 L animal-1 d-1. O uso de antimicrobianos para o tratamento e prevenção da mastite bovina foi relatado em todas as propriedades, sendo adotada a terapia da vaca seca em 80% dos rebanhos. A percentagem de susceptibilidade aos antimicrobianos variou de 85,5 a 100% para S. aureus, 22,2 a 88,9% para Staphylococcus coagulase positivos (SCP) e 69,2 a 100% para Staphylococcus coagulase negativos (SCN), sendo as maiores frequências de resistência para penicilina, ampicilina e tetraciclina. Entre os isolados de S. aureus foi observada 100% de susceptibilidade aos antimicrobianos oxacilina, cefalexina e gentamicina, e entre os isolados de SCN, 100% de susceptibilidade à gentamicina. Nenhum dos antimicrobianos testados apresentou 100% de efetividade in vitro para SCP. SCP e SCN apresentaram menores percentagens de susceptibilidade à penicilina, ampicilina e tetraciclina do que os isolados de S. aureus. Foram observados 12 padrões de resistência, sendo seis padrões de multirresistência. Os padrões de resistência mais prevalentes foram resistência à penicilina e ampicilina (PEN-AMP) e à penicilina, ampicilina e tetraciclina (PEN-AMP-TET). A determinação da CIM dos 29 isolados de S. aureus mostraram que todos foram susceptíveis à cefalotina, cefoxitina, tetraciclina e eritromicina, e 25 (86,2%) foram susceptíveis à penicilina.(AU)


Assuntos
Animais , Masculino , Bovinos , Staphylococcus , Testes de Sensibilidade Microbiana , Coagulase , Mastite Bovina , Anti-Infecciosos , Ágar
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA