Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 1 de 1
Filtrar
Mais filtros

Base de dados
Ano de publicação
Intervalo de ano de publicação
1.
Ci. Rural ; 49(4): e20180790, Apr. 18, 2019. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-19305

Resumo

Acute phase proteins (APP) are proteins synthesized and released largely by hepatocytes upon the occurrence of cell damage or invasion by microorganisms. This article reviews the use of APP in feline diseases, identifying their usefulness in the clinical setting, analyzing 55 published papers. Serum amyloid A, alpha-1 acid glycoprotein, and haptoglobin are the indicators pointed out by the authors as useful in monitoring the acute inflammatory response in cats. Although, APP measurement is still not routinely used in veterinary medicine, together with clinical signs and other blood parameters, was of clinical interest and applicability in diseases such as feline infectious peritonitis, pancreatitis, renal failure, retroviral and Calicivirus infections. Although, there are commercially available kits for dosing feline APP, assay standardization aiming technical simplicity, more species specificity and with less associated costs will allow routine use in feline practice, as it is done in the human field.(AU)


As proteínas de fase aguda (PFA) são proteínas sintetizadas e libertadas em grande parte por hepatócitos ao mesmo tempo da ocorrência de lesão celular ou invasão por microrganismos. Este artigo revê a utilização das PFA nas doenças do gato identificando a sua potencial utilidade no contexto clínico, analisando 55 artigos publicados. A amiloide sérica A, a alfa-1 glicoproteina ácida e a haptoblobina são os marcadores apontados pelos autores como úteis na monitorização da resposta aguda inflamatória nesta espécie. Embora o doseamento das PFA ainda não seja rotineiramente utilizado na medicina veterinária, o seu doseamento, em conjunto com sinais clínicos e outros meios complementares de diagnóstico, revelou interesse e aplicabilidade clínica em doenças tais como a peritonite infeciosa felina, pancreatite, insuficiência renal, infeções retrovirais e por Calicivírus. Apesar de existirem kits comercialmente disponíveis para dosear as PFA felinas, será necessária uma padronização de ensaios no sentido da melhoria da sua simplicidade técnica, da sua especificidade para o gato e com menores custos associados, para que sejam utilizados de forma rotineira, tal como são utilizados em medicina humana.(AU)


Assuntos
Animais , Gatos , Proteínas de Fase Aguda/análise , Proteínas de Fase Aguda/uso terapêutico , Inflamação/veterinária
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA