Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 6 de 6
Filtrar
Mais filtros

Base de dados
Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Ci. Rural ; 40(1)2010.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-706462

Resumo

This research was carried out to study the effects of storage temperature, treatment with 1-methycyclopropene (1-MCP), and induction of fresh mass loss (IFML) on quality of 'Laetitia' plums. Fruit were treated by storage at: -0.5°C; 0.5°C; 0.5°C combined with IFML; and at 0.5°C after treatment with 1-MCP (1.0µL L-1). Fruits stored at 0.5°C after treatment with 1-MCP exhibit the lowest respiration and ethylene production rates after four days of shelf life (23°C / 60% RH), despite of non significant difference between treatments at removal from cold storage. Fruits stored for 30 days at 0.5°C, combined with IFML or 1-MCP, exhibit the highest flesh firmness at removal from cold storage. However, after four days of shelf life, only fruits treated with 1-MCP before storage at 0.5°C had the highest flesh firmness. Fruits stored at -0.5°C and fruit treated with 1-MCP before storage at 0.5°C exhibit the lowest red color development at removal from cold storage, but not after four days of shelf life. Fruits stored at -0.5°C had a better preservation of texture attributes than those stored at 0.5°C, but fruit stored at 0.5oC after treatment with 1-MCP had the best texture. Fruits stored at 0.5°C exhibit increased incidence of flesh browning after four days of shelf life in comparison to fruit stored at -0.5°C. The best temperature for refrigerated storage of 'Laetitia' plums is -0.5°C. The treatments with 1-MCP and IFML contribute to preserve fruit quality during cold storage, but only the effect of 1-MCP persist after removal from cold storage.


O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos da temperatura de armazenamento, do uso de 1-metilciclopropeno (1-MCP) e da indução de perda de massa fresca (IPMF) na qualidade de ameixas 'Laetitia'. Os tratamentos utilizados foram: -0,5°C; 0,5°C; 0,5°C em combinação com a indução de perda de massa fresca (IPMF); e 0,5°C após tratamento com aplicação de 1-MCP (1,0µL L-1). Frutos armazenados a 0,5°C e tratados com 1-MCP apresentaram os menores valores da taxa respiratória e da taxa de produção de etileno após quatro dias de exposição em condição ambiente (23°C / 60% de UR). Na saída da câmara fria não houve diferença entre tratamentos. Os frutos armazenados por 30 dias a 0,5°C, em combinação com a IPMF ou 1-MCP, apresentaram na saída da câmara maior firmeza de polpa. Porém, após quatro dias, apenas os frutos armazenados a 0,5°C e tratados com 1-MCP apresentaram maior firmeza de polpa. O índice de cor vermelha, na saída da câmara, foi menor nos frutos armazenados a -0,5°C e a 0,5°C após tratamento com 1-MCP, não sendo observada diferença entre os tratamentos após quatro dias de exposição dos frutos em temperatura ambiente. O armazenamento a -0,5°C proporcionou melhor preservação dos atributos de textura dos frutos do que a 0,5°C, e nesta temperatura o tratamento com 1-MCP proporcionou os melhores resultados. O armazenamento a 0,5°C em relação a -0,5°C causou incremento na incidência de degenerescência da polpa após quatro dias de exposição dos frutos em condição ambiente. A melhor temperatura para o armazenamento refrigerado de ameixas 'Laetitia' é de -0,5°C. O uso do 1-MCP e a IPMF contribuem para a manutenção da qualidade dos frutos durante o armazenamento, e o efeito do 1-MCP persiste após o armazenamento.

2.
Ci. Rural ; 40(1)2010.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-706441

Resumo

This research was carried out to study the effects of storage temperature, treatment with 1-methycyclopropene (1-MCP), and induction of fresh mass loss (IFML) on quality of 'Laetitia' plums. Fruit were treated by storage at: -0.5°C; 0.5°C; 0.5°C combined with IFML; and at 0.5°C after treatment with 1-MCP (1.0µL L-1). Fruits stored at 0.5°C after treatment with 1-MCP exhibit the lowest respiration and ethylene production rates after four days of shelf life (23°C / 60% RH), despite of non significant difference between treatments at removal from cold storage. Fruits stored for 30 days at 0.5°C, combined with IFML or 1-MCP, exhibit the highest flesh firmness at removal from cold storage. However, after four days of shelf life, only fruits treated with 1-MCP before storage at 0.5°C had the highest flesh firmness. Fruits stored at -0.5°C and fruit treated with 1-MCP before storage at 0.5°C exhibit the lowest red color development at removal from cold storage, but not after four days of shelf life. Fruits stored at -0.5°C had a better preservation of texture attributes than those stored at 0.5°C, but fruit stored at 0.5oC after treatment with 1-MCP had the best texture. Fruits stored at 0.5°C exhibit increased incidence of flesh browning after four days of shelf life in comparison to fruit stored at -0.5°C. The best temperature for refrigerated storage of 'Laetitia' plums is -0.5°C. The treatments with 1-MCP and IFML contribute to preserve fruit quality during cold storage, but only the effect of 1-MCP persist after removal from cold storage.


O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos da temperatura de armazenamento, do uso de 1-metilciclopropeno (1-MCP) e da indução de perda de massa fresca (IPMF) na qualidade de ameixas 'Laetitia'. Os tratamentos utilizados foram: -0,5°C; 0,5°C; 0,5°C em combinação com a indução de perda de massa fresca (IPMF); e 0,5°C após tratamento com aplicação de 1-MCP (1,0µL L-1). Frutos armazenados a 0,5°C e tratados com 1-MCP apresentaram os menores valores da taxa respiratória e da taxa de produção de etileno após quatro dias de exposição em condição ambiente (23°C / 60% de UR). Na saída da câmara fria não houve diferença entre tratamentos. Os frutos armazenados por 30 dias a 0,5°C, em combinação com a IPMF ou 1-MCP, apresentaram na saída da câmara maior firmeza de polpa. Porém, após quatro dias, apenas os frutos armazenados a 0,5°C e tratados com 1-MCP apresentaram maior firmeza de polpa. O índice de cor vermelha, na saída da câmara, foi menor nos frutos armazenados a -0,5°C e a 0,5°C após tratamento com 1-MCP, não sendo observada diferença entre os tratamentos após quatro dias de exposição dos frutos em temperatura ambiente. O armazenamento a -0,5°C proporcionou melhor preservação dos atributos de textura dos frutos do que a 0,5°C, e nesta temperatura o tratamento com 1-MCP proporcionou os melhores resultados. O armazenamento a 0,5°C em relação a -0,5°C causou incremento na incidência de degenerescência da polpa após quatro dias de exposição dos frutos em condição ambiente. A melhor temperatura para o armazenamento refrigerado de ameixas 'Laetitia' é de -0,5°C. O uso do 1-MCP e a IPMF contribuem para a manutenção da qualidade dos frutos durante o armazenamento, e o efeito do 1-MCP persiste após o armazenamento.

3.
Artigo em Português | LILACS-Express | VETINDEX | ID: biblio-1477904

Resumo

This research was carried out to study the effects of storage temperature, treatment with 1-methycyclopropene (1-MCP), and induction of fresh mass loss (IFML) on quality of 'Laetitia' plums. Fruit were treated by storage at: -0.5°C; 0.5°C; 0.5°C combined with IFML; and at 0.5°C after treatment with 1-MCP (1.0µL L-1). Fruits stored at 0.5°C after treatment with 1-MCP exhibit the lowest respiration and ethylene production rates after four days of shelf life (23°C / 60% RH), despite of non significant difference between treatments at removal from cold storage. Fruits stored for 30 days at 0.5°C, combined with IFML or 1-MCP, exhibit the highest flesh firmness at removal from cold storage. However, after four days of shelf life, only fruits treated with 1-MCP before storage at 0.5°C had the highest flesh firmness. Fruits stored at -0.5°C and fruit treated with 1-MCP before storage at 0.5°C exhibit the lowest red color development at removal from cold storage, but not after four days of shelf life. Fruits stored at -0.5°C had a better preservation of texture attributes than those stored at 0.5°C, but fruit stored at 0.5oC after treatment with 1-MCP had the best texture. Fruits stored at 0.5°C exhibit increased incidence of flesh browning after four days of shelf life in comparison to fruit stored at -0.5°C. The best temperature for refrigerated storage of 'Laetitia' plums is -0.5°C. The treatments with 1-MCP and IFML contribute to preserve fruit quality during cold storage, but only the effect of 1-MCP persist after removal from cold storage.


O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos da temperatura de armazenamento, do uso de 1-metilciclopropeno (1-MCP) e da indução de perda de massa fresca (IPMF) na qualidade de ameixas 'Laetitia'. Os tratamentos utilizados foram: -0,5°C; 0,5°C; 0,5°C em combinação com a indução de perda de massa fresca (IPMF); e 0,5°C após tratamento com aplicação de 1-MCP (1,0µL L-1). Frutos armazenados a 0,5°C e tratados com 1-MCP apresentaram os menores valores da taxa respiratória e da taxa de produção de etileno após quatro dias de exposição em condição ambiente (23°C / 60% de UR). Na saída da câmara fria não houve diferença entre tratamentos. Os frutos armazenados por 30 dias a 0,5°C, em combinação com a IPMF ou 1-MCP, apresentaram na saída da câmara maior firmeza de polpa. Porém, após quatro dias, apenas os frutos armazenados a 0,5°C e tratados com 1-MCP apresentaram maior firmeza de polpa. O índice de cor vermelha, na saída da câmara, foi menor nos frutos armazenados a -0,5°C e a 0,5°C após tratamento com 1-MCP, não sendo observada diferença entre os tratamentos após quatro dias de exposição dos frutos em temperatura ambiente. O armazenamento a -0,5°C proporcionou melhor preservação dos atributos de textura dos frutos do que a 0,5°C, e nesta temperatura o tratamento com 1-MCP proporcionou os melhores resultados. O armazenamento a 0,5°C em relação a -0,5°C causou incremento na incidência de degenerescência da polpa após quatro dias de exposição dos frutos em condição ambiente. A melhor temperatura para o armazenamento refrigerado de ameixas 'Laetitia' é de -0,5°C. O uso do 1-MCP e a IPMF contribuem para a manutenção da qualidade dos frutos durante o armazenamento, e o efeito do 1-MCP persiste após o armazenamento.

4.
Rev. Ciênc. Agrovet. (Online) ; 9(2): 160-168, 2010.
Artigo em Português | LILACS-Express | VETINDEX | ID: biblio-1488669

Resumo

The competition in the market has stimulated the winery industry to improve the management of vineyards and, consequently, the quality of grapes. Among these practices is the cluster thinning. However, there are no criteria to indicate the appropriate level of cluster thinning. To determine the effect of this practice, an experiment was conducted in Bento Gonçalves, RS, during the growing seasons of 2004/2005, 2005/2006, and 2006/2007, with 8-10 years old Cabernet Sauvignon grapevines, grafted on Paulsen 1103 rootstock, planted at a spacing of 1.5 x 3 m, conducted in the horizontal overhead trellis and submitted to mixed pruning method (spur and cane). The cluster thinning was made at the beginning of maturity (50% of fruit color change), and the criteria to define the number of cluster thinning levels studied at different growing seasons were the maximum available number of bud burst and clusters/plant. Therefore, clusters were thinned by leaving: 5, 10, 20, and 30 clusters/ plant in 2004/2005; 15, 25, 40, 60, and 80 clusters/ plant in 2005/2006; and 15, 25, 40, and 60 clusters/ plant in 2006/2007. The trial followed a completely randomized block design, with five replicates of six plants (experimental unit). The data were analyzed by orthogonal polynomial contrasts. The effects of cluster thinning were more intense in the first year (2004/ 2005), when a water restriction oc


A concorrência no mercado tem estimulado as vinícolas a melhorar o manejo das vinhas e, consequentemente, a qualidade das uvas. Dentre essas práticas está o raleio de cachos. No entanto, não existem critérios para indicar o nível de raleio adequado. Para verificar o efeito desta prática, foi conduzido um experimento em Bento Gonçalves, RS, durante os anos agrícolas de 2004/2005, 2005/2006 e 2006/2007, em videiras de 8-10 anos de idade, da cultivar Cabernet Sauvignon, enxertadas sobre Paulsen 1103, plantadas em espaçamento de 1,5 x 3 m e submetidas à poda mista, no sistema de condução latada. O raleio foi feito no início da maturação (50% de mudança de cor da baga), e os critérios utilizados para definir o número de classes de raleio testadas em cada safra foram o número máximo disponível de gemas brotadas e cachos/planta. Sendo assim, na safra 2004/2005 foram deixados 5, 10, 20 e 30 cachos por planta, em 2005/2006, 15, 25, 40, 60 e 80 cachos por planta e, em 2006/2007, 15, 25, 40 e 60 cachos por planta. Foi utilizado o delineamento em blocos casualizados, com cinco repetições de seis plantas (unidade experimental). Os dados foram analisados através de contrastes ortogonais polinomiais. Os efeitos do raleio de cachos foram mais intensos no primeiro ano (2004/2005), quando ocorreu restrição hídrica. Nesse ano, a redução do número de cachos por planta aumentou significativamente a

5.
Ci. Rural ; 38(4): 1145-1148, jul.-ago. 2008. tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-4545

Resumo

O objetivo deste trabalho foi identificar quais os principais erros e acertos na aplicação de testes de comparação de médias em trabalhos científicos, demonstrando alternativas viáveis no sentido de aumentar a imparcialidade dos resultados obtidos pelos pesquisadores. Um dos maiores desafios do pesquisador é a interpretação dos resultados de forma fidedigna. Apesar da preocupação com a análise dos dados, muitas vezes pode ser observado certo descaso com a interpretação dos resultados, em que a aplicação incorreta de testes estatísticos pode levar à divulgação de informações pouco confiáveis. Foram revisados 226 trabalhos científicos publicados na revista Ciência Rural de 2002 a 2006, somente na área de Fitotecnia, sendo utilizados 148 trabalhos para discussão. A maioria dos trabalhos que estudaram mais de um fator foram classificados como incorretos (72 por cento) devido ao abuso dos testes de comparações de médias. Por outro lado, 4 e 24 por cento foram classificados como parcialmente corretos e corretos, respectivamente.(AU)


The objective of this research was to verify which are the main mistakes and the successes in the application of mean comparison tests in scientific studies, demonstrating viable alternatives in the sense of increasing the impartiality of the results obtained by researchers. One of the researcher's largest challenges is the interpretation of the obtained results in a trustworthy way. In spite of the concern of most researchers with the data analysis, many times certain disregard is observed in the interpretation of the results. Thus, the incorrect application of statistical tests leads the researchers to publish information not completely reliable. One hundred and forty-eight papers dealing with one or more than one factor were evaluated. All of them are related to the crop production major area, published from 2002 to 2006, in the 'Ciência Rural', a Brazilian scientific journal. Most of the studies (72 percent) were classified as incorrect due to the abuse of means comparison tests. In addition, only 4 percent and 24 percent were classified respectively as partially correct and correct.(AU)


Assuntos
Estudos de Casos e Controles , Benchmarking/estatística & dados numéricos
6.
R. Ci. agrovet. ; 9(2): 160-168, 2010.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-714084

Resumo

The competition in the market has stimulated the winery industry to improve the management of vineyards and, consequently, the quality of grapes. Among these practices is the cluster thinning. However, there are no criteria to indicate the appropriate level of cluster thinning. To determine the effect of this practice, an experiment was conducted in Bento Gonçalves, RS, during the growing seasons of 2004/2005, 2005/2006, and 2006/2007, with 8-10 years old Cabernet Sauvignon grapevines, grafted on Paulsen 1103 rootstock, planted at a spacing of 1.5 x 3 m, conducted in the horizontal overhead trellis and submitted to mixed pruning method (spur and cane). The cluster thinning was made at the beginning of maturity (50% of fruit color change), and the criteria to define the number of cluster thinning levels studied at different growing seasons were the maximum available number of bud burst and clusters/plant. Therefore, clusters were thinned by leaving: 5, 10, 20, and 30 clusters/ plant in 2004/2005; 15, 25, 40, 60, and 80 clusters/ plant in 2005/2006; and 15, 25, 40, and 60 clusters/ plant in 2006/2007. The trial followed a completely randomized block design, with five replicates of six plants (experimental unit). The data were analyzed by orthogonal polynomial contrasts. The effects of cluster thinning were more intense in the first year (2004/ 2005), when a water restriction oc


A concorrência no mercado tem estimulado as vinícolas a melhorar o manejo das vinhas e, consequentemente, a qualidade das uvas. Dentre essas práticas está o raleio de cachos. No entanto, não existem critérios para indicar o nível de raleio adequado. Para verificar o efeito desta prática, foi conduzido um experimento em Bento Gonçalves, RS, durante os anos agrícolas de 2004/2005, 2005/2006 e 2006/2007, em videiras de 8-10 anos de idade, da cultivar Cabernet Sauvignon, enxertadas sobre Paulsen 1103, plantadas em espaçamento de 1,5 x 3 m e submetidas à poda mista, no sistema de condução latada. O raleio foi feito no início da maturação (50% de mudança de cor da baga), e os critérios utilizados para definir o número de classes de raleio testadas em cada safra foram o número máximo disponível de gemas brotadas e cachos/planta. Sendo assim, na safra 2004/2005 foram deixados 5, 10, 20 e 30 cachos por planta, em 2005/2006, 15, 25, 40, 60 e 80 cachos por planta e, em 2006/2007, 15, 25, 40 e 60 cachos por planta. Foi utilizado o delineamento em blocos casualizados, com cinco repetições de seis plantas (unidade experimental). Os dados foram analisados através de contrastes ortogonais polinomiais. Os efeitos do raleio de cachos foram mais intensos no primeiro ano (2004/2005), quando ocorreu restrição hídrica. Nesse ano, a redução do número de cachos por planta aumentou significativamente a

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA