Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 1 de 1
Filtrar
Mais filtros

Base de dados
Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Acta amaz. ; 50(1): 44-53, 2020. ilus, mapas, tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-24557

Resumo

Diplodon granosus was one of the first freshwater mussels to be described for South America. However, the status of the species was confusing for a long time, receiving different taxonomic treatments. In this paper, we redescribe the shell, with new data on the soft parts and information on the distribution and conservation of D. granosus, a rarely recorded species. The shell is thin, not inflated; the macrosculpture is composed only by granules that cover the whole shell, not forming bars; the microsculpture comprises short spikes. In the soft parts we highlight the few, weak and irregularly distributed lamellar connections of the outer demibranch and some features of the stomach, such as the distally enlarged minor typhlosole. There are records of D. granosus over a large area of South America, from Guiana to Argentina. However, most of these records are related to other species and the distribution of D. granosus is restricted to the north of South America in the basins of the Amazonas and Orinoco rivers, and coastal rivers in between. Despite this wide distribution, the species occurs in specific habitats, mainly streams (igarapés), resulting in an extremely fragmented occurrence. Thus, any disturbance to these habitats can threat this freshwater mussel.(AU)


Diplodon granosus foi um dos primeiros bivalves de água doce descritos para a América do Sul. Contudo, o status dessa espécie foi confuso por um longo tempo, recebendo diferentes tratamentos taxonômicos. Neste estudo, apresentamos a redescrição da concha, assim como novos dados da anatomia das partes moles, e informações acerca da distribuição e conservação desta espécie raramente avistada. A concha é fina, não-inflada; a macroescultura é composta somente por grânulos que cobrem toda a concha, e não formam raios; a microescultura é composta por espinhos curtos. Nas partes moles, destacamos as poucas, fracas e irregularmente distribuídas conexões interlamelares da demibrânquia externa, assim como algumas características do estômago, como a tiflossole menor distalmente aumentada. Existem registros de D. granosus em uma grande área da América do Sul, da Guiana até a Argentina. Contudo, muitas destas ocorrências são relacionadas com outras espécies, estando D. granosus restrita às bacias dos rios Amazonas e Orinoco, e a rios costeiros entre essas duas bacias. Apesar desta aparente ampla distribuição, a espécie ocorre em habitats específicos, principalmente riachos (igarapés), resultando em uma distribuição fragmentada. Assim, qualquer modificação nestes ambientes pode ameaçar esta espécie.(AU)


Assuntos
Animais , Bivalves/anatomia & histologia , Bivalves/crescimento & desenvolvimento , Bivalves/classificação , Demografia , Unionidae/anatomia & histologia , Unionidae/classificação , Unionidae/crescimento & desenvolvimento
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA