Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 7 de 7
Filtrar
Mais filtros

Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
R. bras. Saúde Prod. Anim. ; 17(4): 744-752, 16. 2016. 2016. tab, graf
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-16353

Resumo

Objetivou-se estudar o efeito de diferentes tratamentos térmicos, tempos e procedimentos na degradação ruminal de grãos de soja crus e tostados e sua ação na digestão intestinal da proteína não degradada no rúmen (PNDR) pelo método dos três estágios. Para a degradação ruminal in situ foram pesados cinco gramas de matéria natural em sacos de náilon incubados durante 2; 4; 8; 16; 24 e 48 horas. No tempo zero foi efetuado o mesmo procedimento, excetuando a incubação ruminal. Os resíduos de cada tratamento formaram uma amostra composta para determinar a matéria seca (MS) e proteína bruta (PB). Para a digestibilidade intestinal realizou-se a incubação in situ por 16 horas, usando a técnica dos três estágios. A degradabilidade efetiva da MS com taxa de passagem de 5%/hora para a soja crua (SC) foi de 71,94% e tostada entre 52,23% a 68,78%. Após 16 horas de incubação a PNDR variou de 32,12 a 67,72% e a digestibilidade intestinal de 73,21% a 86,02%. A menor degradação da MS e PB foi da soja tostada a 145oC durante um minuto com steeping (STC1). A digestibilidade intestinal in vitro dos grãos crus foi superior e diferiu dos tostados, exceto a soja tostada a 115oC durante quatro minutos com steeping. A menor degradação proteica foi obtida da STC1de 67,72% da PNDR,52,33% a mais do que à SC. A tostagem dos grãos de soja a 145oC(STC1)contribuiu para uma menor degradabilidade ruminal(AU)


This study analyse ruminal degradation the technique of the nylon bags of dry matter ( DM) and crude protein (CP ) and the intestinal digestibility of rumen undegraded protein (RUP) by the method of the three stages of raw and roasted soybeans at different temperatures with and without The in situ ruminal degradation were weighed five grams of natural matter in nylon bags incubated 2; 4;8; 16; 24 and 48 hours. Zero time was made the same procedure, except ruminal incubation. The residue of treatment formed a composite sample to determine the DM and CP. The intestinal digestibility was in situ incubation for 16 hours, using the technique of the three stages. The degradability of DM at a passage rate of 5 % / hour, for raw soybean (RS), was 71.94 % and roasted between 52.23 % and 68.78 %. After 16 hours of incubation(RUP) ranged from 32.12 to 67.72% and the intestinal digestibility of 73.21% to 86.02 %. The lowest degradation of DM and CP was in the roasted soybeans at 145ºC for one minute with steeping (STC1). The in vitro intestinal digestibility of raw grains was higher and differed from the toasted, except for the ones toasted at 115 ºC for four minutes with steeping. For STC1, was obtained the lowest protein degradation of 67.72 % RUP, which 52.33 %, more when compare to RS. The toast of soybeans at 145 ºC (STC1) contributed to a lower ruminal degradability of crude protein.(AU)


Assuntos
Animais , Feminino , Bovinos , Bovinos/crescimento & desenvolvimento , Bovinos/metabolismo , Sistema Digestório/enzimologia
2.
Rev. bras. saúde prod. anim ; 17(4): 744-752, out.-dez. 2016. tab, graf
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1493655

Resumo

Objetivou-se estudar o efeito de diferentes tratamentos térmicos, tempos e procedimentos na degradação ruminal de grãos de soja crus e tostados e sua ação na digestão intestinal da proteína não degradada no rúmen (PNDR) pelo método dos três estágios. Para a degradação ruminal in situ foram pesados cinco gramas de matéria natural em sacos de náilon incubados durante 2; 4; 8; 16; 24 e 48 horas. No tempo zero foi efetuado o mesmo procedimento, excetuando a incubação ruminal. Os resíduos de cada tratamento formaram uma amostra composta para determinar a matéria seca (MS) e proteína bruta (PB). Para a digestibilidade intestinal realizou-se a incubação in situ por 16 horas, usando a técnica dos três estágios. A degradabilidade efetiva da MS com taxa de passagem de 5%/hora para a soja crua (SC) foi de 71,94% e tostada entre 52,23% a 68,78%. Após 16 horas de incubação a PNDR variou de 32,12 a 67,72% e a digestibilidade intestinal de 73,21% a 86,02%. A menor degradação da MS e PB foi da soja tostada a 145oC durante um minuto com steeping (STC1). A digestibilidade intestinal in vitro dos grãos crus foi superior e diferiu dos tostados, exceto a soja tostada a 115oC durante quatro minutos com steeping. A menor degradação proteica foi obtida da STC1de 67,72% da PNDR,52,33% a mais do que à SC. A tostagem dos grãos de soja a 145oC(STC1)contribuiu para uma menor degradabilidade ruminal


This study analyse ruminal degradation the technique of the nylon bags of dry matter ( DM) and crude protein (CP ) and the intestinal digestibility of rumen undegraded protein (RUP) by the method of the three stages of raw and roasted soybeans at different temperatures with and without The in situ ruminal degradation were weighed five grams of natural matter in nylon bags incubated 2; 4;8; 16; 24 and 48 hours. Zero time was made the same procedure, except ruminal incubation. The residue of treatment formed a composite sample to determine the DM and CP. The intestinal digestibility was in situ incubation for 16 hours, using the technique of the three stages. The degradability of DM at a passage rate of 5 % / hour, for raw soybean (RS), was 71.94 % and roasted between 52.23 % and 68.78 %. After 16 hours of incubation(RUP) ranged from 32.12 to 67.72% and the intestinal digestibility of 73.21% to 86.02 %. The lowest degradation of DM and CP was in the roasted soybeans at 145ºC for one minute with steeping (STC1). The in vitro intestinal digestibility of raw grains was higher and differed from the toasted, except for the ones toasted at 115 ºC for four minutes with steeping. For STC1, was obtained the lowest protein degradation of 67.72 % RUP, which 52.33 %, more when compare to RS. The toast of soybeans at 145 ºC (STC1) contributed to a lower ruminal degradability of crude protein.


Assuntos
Feminino , Animais , Bovinos , Bovinos/crescimento & desenvolvimento , Bovinos/metabolismo , Sistema Digestório/enzimologia
3.
Semina Ci. agr. ; 36(4): 2775-2786, jul.-ago. 2015. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-30276

Resumo

Twelve Holstein cows were given diets containing soybean supplied in different ways in order to identify possible changes in lactation performance and evaluate the economic feasibility of the diets. The diets included: soybean meal only (SM-control); raw soybean (RaS); roasted soybean (RoS) and soybean meal plus 5% urea (SMU). The forage consisted of corn silage. We analyzed the dry matter intake, milk production and collected milk samples. To estimate digestibility, we collected six samples of feces over a period of six consecutive days. The intake of dry matter (DM), organic matter (OM), neutral detergent fiber (NDF) and non-fiber carbohydrates (NFC) did not differ among treatments. On the other hand, crude protein (CP) intake was influenced by the diets, and the highest mean values of ether extract (EE) were found with the RaS and RoS diets. The intake of total digestible nutrients (TDN) was lower in the RaS and RoS diets compared to the control diet. DM, OM, CP, EE, and NDF digestibility were not affected by the different diets, while NFCs were reduced in the RoS diet and TDN decreased with both the RaS and RoS diets. There were also no differences observed across diets for total milk production, production corrected to 3.5% fat, diet efficiency, or milk per kilogram of dry matter and/or crude protein. We conclude that raw and roasted soybeans as well as concentrate plus...(AU)


Utilizou-se 12 animais da raça Holandesa para avaliar o efeito de dietas contendo soja fornecida de diferentes formas e obter informações sobre possíveis alterações no desempenho lactacional como também verificar sua viabilidade econômica. As dietas constituíam-se de farelo de soja exclusivo (FS-controle); soja crua (SC); soja tostada (ST) e farelo de soja mais 5% de uréia (FSU). O volumoso foi à silagem de milho. Foram registrados consumo de matéria seca, produção de leite e colhidas amostras de leite. Para estimativa da digestibilidade foram coletadas seis amostras de fezes durante seis dias consecutivos. Os consumos de matéria seca (MS), matéria orgânica (MO), fibra detergente neutra (FDN) e carboidratos não fibrosos (CNF) não diferiram. O consumo de proteína bruta (PB) foi influenciado pelas dietas e as maiores médias de extrato etéreo (EE) foram com a SC e ST. O consumo dos nutrientes digestíveis totais (NDT) foi menor com a inclusão da SC e ST em relação à dieta controle. A digestibilidade da MS, MO, PB, EE, FDN não foram afetados e o CNF foi reduzido com ST e do NDT diminuiu com SC e ST. A produção total de leite e corrigida para 3,5% de gordura, sua eficiência e leite por quilograma de matéria seca e/ou proteína bruta não diferiram. Os grãos de soja crus e tostados como também concentrado adicionado de 5% de ureia na matéria seca podem ser usados como alternativas na...(AU)


Assuntos
Animais , Bovinos , Ração Animal , Dieta/veterinária , Glycine max , Lactação , Digestão
4.
Acta Sci. Anim. Sci. ; 36(4): 413-418, out.-dez. 2014. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-694947

Resumo

Aiming to evaluate the lactation performance and adaptability of confined dairy cows fed diets containing soybean and its by-products, this study used 12 Holsteincows with initial production of 30 kg milk-1 day-1 day-1 in feedlot system distributed in a 4 x 4 Latin square design. The experimental period lasted 84 days. The dry matter intake (DMI) and meteorological variables were recorded daily. Milk production was measured from the 15th to the 21st day, with milk analysis twice in each period, and physiological variables collected on the 15, 17th and 21st days of each experimental period. The thermal comfort indices and rectal temperature were considered normal, however the respiratory frequency and heart rate were different between the periods. Total milk production and percentage of crude protein were not affected. The thermal environment had influence on the CMS and on the percentage of milk fat in warmer periods, but the mechanism of heat dissipation was efficient for the animals to maintain homeothermy without affecting milk production.(AU)


Objetivou-se avaliar o desempenho lactacional e adaptabilidade de vacas leiteiras confinadas que receberam dietas contendo soja e seus subprodutos. Foram utilizadas 12 vacas da raça Holandesa com produção média inicial de 30 kg leite-1 dia-1 em sistema de confinamento, distribuídas em um quadrado latino 4 x 4. O período experimental teve durante 84 dias. O consumo de matéria seca (CMS) e as variáveis meteorológicas foram registrados diariamente. A produção de leite foi medida no 15o ao 21o dia, o leite analisado duas vezes em cada período e as variáveis fisiológicas coletadas no 15, 17 e 21o dias de cada período experimental. Os índices de conforto térmico e as temperaturas retais foram considerados dentro da normalidade. As médias das frequências respiratórias e cardíacas diferiram no período da tarde, mas a produção total de leite e o percentual de proteína bruta não foram influenciados. O ambiente térmico exerceu efeito no CMS e na percentagem de gordura do leite na época mais quente, contudo os mecanismos de dissipação de calor foram eficientes para que os animais conseguissem manter a homotermia sem prejuízo para a produção de leite.(AU)


Assuntos
Animais , Feminino , Bovinos , Bovinos/embriologia , Ração Animal/análise , Ração Animal , Alimentos de Soja , Regulação da Temperatura Corporal
5.
Acta sci., Anim. sci ; 36(4): 413-418, out.-dez. 2014. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1459560

Resumo

Aiming to evaluate the lactation performance and adaptability of confined dairy cows fed diets containing soybean and its by-products, this study used 12 Holsteincows with initial production of 30 kg milk-1 day-1 day-1 in feedlot system distributed in a 4 x 4 Latin square design. The experimental period lasted 84 days. The dry matter intake (DMI) and meteorological variables were recorded daily. Milk production was measured from the 15th to the 21st day, with milk analysis twice in each period, and physiological variables collected on the 15, 17th and 21st days of each experimental period. The thermal comfort indices and rectal temperature were considered normal, however the respiratory frequency and heart rate were different between the periods. Total milk production and percentage of crude protein were not affected. The thermal environment had influence on the CMS and on the percentage of milk fat in warmer periods, but the mechanism of heat dissipation was efficient for the animals to maintain homeothermy without affecting milk production.


Objetivou-se avaliar o desempenho lactacional e adaptabilidade de vacas leiteiras confinadas que receberam dietas contendo soja e seus subprodutos. Foram utilizadas 12 vacas da raça Holandesa com produção média inicial de 30 kg leite-1 dia-1 em sistema de confinamento, distribuídas em um quadrado latino 4 x 4. O período experimental teve durante 84 dias. O consumo de matéria seca (CMS) e as variáveis meteorológicas foram registrados diariamente. A produção de leite foi medida no 15o ao 21o dia, o leite analisado duas vezes em cada período e as variáveis fisiológicas coletadas no 15, 17 e 21o dias de cada período experimental. Os índices de conforto térmico e as temperaturas retais foram considerados dentro da normalidade. As médias das frequências respiratórias e cardíacas diferiram no período da tarde, mas a produção total de leite e o percentual de proteína bruta não foram influenciados. O ambiente térmico exerceu efeito no CMS e na percentagem de gordura do leite na época mais quente, contudo os mecanismos de dissipação de calor foram eficientes para que os animais conseguissem manter a homotermia sem prejuízo para a produção de leite.


Assuntos
Feminino , Animais , Bovinos , Bovinos/embriologia , Ração Animal , Ração Animal/análise , Alimentos de Soja , Regulação da Temperatura Corporal
6.
Semina ciênc. agrar ; 36(4): 2775-2786, 2015. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1500072

Resumo

Twelve Holstein cows were given diets containing soybean supplied in different ways in order to identify possible changes in lactation performance and evaluate the economic feasibility of the diets. The diets included: soybean meal only (SM-control); raw soybean (RaS); roasted soybean (RoS) and soybean meal plus 5% urea (SMU). The forage consisted of corn silage. We analyzed the dry matter intake, milk production and collected milk samples. To estimate digestibility, we collected six samples of feces over a period of six consecutive days. The intake of dry matter (DM), organic matter (OM), neutral detergent fiber (NDF) and non-fiber carbohydrates (NFC) did not differ among treatments. On the other hand, crude protein (CP) intake was influenced by the diets, and the highest mean values of ether extract (EE) were found with the RaS and RoS diets. The intake of total digestible nutrients (TDN) was lower in the RaS and RoS diets compared to the control diet. DM, OM, CP, EE, and NDF digestibility were not affected by the different diets, while NFCs were reduced in the RoS diet and TDN decreased with both the RaS and RoS diets. There were also no differences observed across diets for total milk production, production corrected to 3.5% fat, diet efficiency, or milk per kilogram of dry matter and/or crude protein. We conclude that raw and roasted soybeans as well as concentrate plus...


Utilizou-se 12 animais da raça Holandesa para avaliar o efeito de dietas contendo soja fornecida de diferentes formas e obter informações sobre possíveis alterações no desempenho lactacional como também verificar sua viabilidade econômica. As dietas constituíam-se de farelo de soja exclusivo (FS-controle); soja crua (SC); soja tostada (ST) e farelo de soja mais 5% de uréia (FSU). O volumoso foi à silagem de milho. Foram registrados consumo de matéria seca, produção de leite e colhidas amostras de leite. Para estimativa da digestibilidade foram coletadas seis amostras de fezes durante seis dias consecutivos. Os consumos de matéria seca (MS), matéria orgânica (MO), fibra detergente neutra (FDN) e carboidratos não fibrosos (CNF) não diferiram. O consumo de proteína bruta (PB) foi influenciado pelas dietas e as maiores médias de extrato etéreo (EE) foram com a SC e ST. O consumo dos nutrientes digestíveis totais (NDT) foi menor com a inclusão da SC e ST em relação à dieta controle. A digestibilidade da MS, MO, PB, EE, FDN não foram afetados e o CNF foi reduzido com ST e do NDT diminuiu com SC e ST. A produção total de leite e corrigida para 3,5% de gordura, sua eficiência e leite por quilograma de matéria seca e/ou proteína bruta não diferiram. Os grãos de soja crus e tostados como também concentrado adicionado de 5% de ureia na matéria seca podem ser usados como alternativas na...


Assuntos
Animais , Bovinos , Dieta/veterinária , Digestão , Lactação , Ração Animal , Glycine max
7.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-7687

Resumo

Os objetivos da pesquisa foram: a) avaliar a influência das características biofísicas do útero e o uso de diferentes protocolos na sincronização do estro e ovulação na taxa de prenhez de vacas da raça Nelore. Cento e vinte vacas lactantes, primíparas e multíparas, provenientes de duas fazendas, foram distribuídas ao acaso em três tratamentos (T) como definidos a seguir: T1 (n=38) inserção de um dispositivo intravaginal de progesterona (DIB?) mais aplicação (im) de 2 mg de benzoato de estradiol (RIC BE?) no dia 0, retirada do DIB? no dia 8 e aplicação, im, de 300 UI de eCG (Novormon?) mais 0,15 mg de PGF2? (Prolise?), e inseminação artificial (IA) realizada 48 horas após a retirada do DIB, simultânea à aplicação, im, de 25 ?g de Lecirelina (Gestran Plus?, superanálogo de terceira geração do GnRH); T2 (n=40) - similar ao T1, sendo administrado 1 mg de BE, im, no dia 9, substituindo a segunda dose de GnRH, e IA realizada 50-56 horas após a retirada do DIB?; T3 (n=40) - administração de 0,15 mg de PGF2?, im, e IA 12 horas após a verificação de estro. As taxas de prenhez dos animais de cada tratamento foram 39,5; 65,0; e 55,0%, respectivamente, para os animais de T1, T2 e T3. O peso e a condição corporal no período pós-parto e as características biofísicas do útero não afetaram a resposta dos animais aos tratamentos. Os animais que receberam os protocolos dos T1 e T2 tiveram um reduzido anestro pós-parto. Concluiu-se que os tratamentos foram efetivos na melhoria da taxa de prenhez e facilitaram os programas de IA, destacando-se o protocolo do T2 como o mais eficiente; b) avaliar a eficiência de protocolos de sincronização com uso e reutilização do Controlled Internal Drug Releasing - Bovine (CIDR?) sobre as características reprodutivas de fêmeas da raça Nelore. Sessenta vacas foram distribuídas em quatro tratamentos: T1 - inserção de um dispositivo de progesterona (CIDR?) mais aplicação intramuscular (im) de 2 mg de benzoato de estradiol (Estrogin?) no dia 0, retirada do CIDR? no dia 8 e aplicação, im, de 300 UI de eCG (Folligon?) mais 25 mg de PGF2? (Lutalyse?) e inseminação artificial (IA) realizada 48 horas após a retirada do CIDR? , simultânea a aplicação, im, de 25 ?g de GnRH (Conceptal?); T2 - similar ao T1, sendo administrado 1 mg de BE, im, no dia 9, substituindo a segunda dose de GnRH, e IA realizada 50-56 horas após retirada do CIDR?; T3 e T4 idênticos ao T1 e T2, respectivamente, mas com reutilização do CIDR?. A porcentagem de animais que apresentaram estro foi de 19,5; 34,2; 24,4; e 21,9% para T1, T2, T3 e T4, respectivamente. As taxas de gestação para os tratamentos T1, T2, T3 e T4 foram respectivamente 53,3; 46,6; 0,0; e 33,3%. As condições fisiológicas dos animais (vacas cíclicas, presença de estro característico, peso e condição corporal, período no pós-parto e status uterino) não interferiram na taxa de prenhez. Concluiu-se que os protocolos de sincronização da ovulação são indicados para vacas cíclicas e acíclicas no pós-parto; c) verificar a eficiência de protocolos de sincronização da ovulação em gado Nelore, avaliando a fertilidade dos animais em regiões diferentes durante a estação de monta e verificar as variáveis fisiológicas: pH uterino, temperatura uterina e retal, em animais submetidos a protocolos de sincronização de ovulação e estro. Foram realizados dois experimentos (E1 e E2), sendo E1 desenvolvido em dois locais e os mesmos tratamentos como descrito na letra a: T1 (L1 n=24; L2 n=14); T2 (L1 n=25; L2 n=15)

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA