Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 2 de 2
Filtrar
Mais filtros

Base de dados
Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Acta amaz ; 53(1): 32-41, 2023. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1414169

Resumo

Pirarucu, Arapaima gigas is a fish species of great social and economic importance in the Amazon region, where they are often farmed in earthen ponds. Intensive cage aquaculture has been growing in Brazil, which could be an alternative means to farm pirarucu, reducing costs and increasing productivity. We evaluated the contribution of natural food organisms in semi-intensive (ponds) and intensive (cages) production systems, and their effect on pirarucu growth and economic performance during the first phase of grow-out. Four ponds (300 m2) and four cages (4.0 m³) were stocked, respectively, with 120 (0.4 fish m-²) and 160 (40 fish m-³) juvenile pirarucu (28.03 ± 6.34 g, 11.75 ± 0.80 cm). The study was conducted for 105 days and fish were fed with commercial feed. Fish growth and plankton intake were evaluated every two weeks. Survival rate, standard length, weight gain and final weight were higher in fish reared in earthen ponds than in cages. Feed conversion of fish kept in ponds was lower (0.96 ± 0.06) than in cages (1.20 ± 0.11). The consumption of natural food organisms was observed, despite artificial feed being fed in both systems. The relative abundance of zooplankton and insects in stomachs was directly proportional to fish weight gain in ponds, and inversely proportional in cages. Higher economic efficiency rate and lower average production cost were calculated for earthen ponds. Our results indicate that the cost-benefit of the first phase grow-out of A. gigas is better in earthen ponds.(AU)


O pirarucu, Arapaima gigas é um peixe de grande importância econômica e social na Amazônia, onde é comumente produzido em viveiros. A produção de peixes em tanques-rede tem crescido no Brasil, e este sistema poderia ser uma alternativa para a produção do pirarucu, reduzindo custos e melhorando os parâmetros produtivos. Nós avaliamos a contribuição do alimento natural na produção em sistema semi-intensivo (viveiros) e intensivo (tanques-rede) e seus efeitos sobre os aspectos produtivos e econômicos do pirarucu na fase de recria. Quatro viveiros (300 m2) e quatro tanques-rede (4,0 m3) foram estocados, respectivamente, com 120 (0,4 peixes m-2) e 160 (40 peixes m-3) juvenis de pirarucu (28,03 ± 6,34 g e 11,75 ± 0,80 cm). O estudo foi conduzido por 105 dias e os peixes foram alimentados com ração comercial extrusada. Crescimento e ingestão de plâncton pelos peixes foram avaliados quinzenalmente. Sobrevivência, comprimento padrão, ganho de peso e peso final foram maiores nos peixes cultivados em viveiros. A conversão alimentar nos viveiros (0,96 ± 0,06) foi menor que nos tanques-rede (1,20 ± 0,11). Mesmo sendo ofertada ração, os pirarucus consumiram alimento natural nos dois sistemas de produção. A abundância relativa de zooplâncton e insetos nos estômagos foi diretamente proporcional ao ganho de peso nos viveiros, e inversamente proporcional nos tanques-rede. Um índice de eficiência econômica mais alto e custo médio de produção mais baixo foram calculados para os viveiros escavados. Nossos resultados indicam que o custo-benefício do cultivo de A. gigas durante a fase de recria é melhor em viveiros.(AU)


Assuntos
Ingestão de Alimentos , Carne/análise , Perciformes/fisiologia , Produtos Pesqueiros/análise
2.
Acta amaz. ; 50(3): 223-231, jul.-set. 2020. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-760185

Resumo

We assessed the effect of stocking density on physiological parameters (blood lactate, glucose, cortisol, hematocrit), water quality (temperature, dissolved oxygen, pH, unionized ammonia, carbon dioxide), and survival during the transportation of fingerling (24.5 ± 4.7 g) and juvenile (615.8 ± 122.2 g) pirarucu (Arapaima gigas) for six hours in plastic bags. The tested densities were 65, 80, 95, 110 and 125 g L-1 for fingerlings, and 50, 80, 110, 140 and 170 g L-1 for juveniles (three replicates each). Parameters were measured prior to and immediately after transportation, and at 24 and 96 hours recovery after transportation. No mortality was observed, except for fingerlings ( 3%) at densities of 110 and 125 g L-1 during recovery. All the water quality parameters were significantly altered after the transportation of fingerlings and juveniles. Water temperature, dissolved oxygen, carbon dioxide and unionized ammonia increased, but pH decreased. Only carbon dioxide and unionized ammonia differed among densities. Cortisol levels did not increase over time, except for the juveniles at 170 g L-1, which still had high cortisol after 96 hours. Glucose significantly increased after transportation for all the treatments and returned to the initial values during the recovery period. Conversely, the lactate values were still high after 96 hours. Hematocrit was assessed only for juveniles and was significantly lower after transportation. We conclude that fingerling and juvenile pirarucu can be safely transported at densities up to 95 g L-1 and 140 g L-1, respectively.(AU)


Este estudo avaliou o efeito da densidade de estocagem sobre parâmetros fisiológicos (lactato, glicose, cortisol e hematócrito), qualidade de água (temperatura, oxigênio dissolvido, pH, amônia não ionizada e gás carbônico) e sobrevivência no transporte de alevinos (24.5 ± 4.7 g) e juvenis (615.83 ± 122.19 g) de pirarucu (Arapaima gigas) em sacos plásticos por seis horas. Avaliamos densidades de 65, 80, 95, 110 e 125 g L-1 para alevinos, e de 50, 80, 110, 140 e 170 g L-1 para juvenis (três réplicas cada). Os parâmetros de resposta foram medidos antes e logo após o transporte, e após 24 e 96 horas de recuperação. Não foi observada mortalidade, exceto para alevinos ( 3%) das densidades de 110 e 125 g L-1 durante o período de recuperação. Foram observadas alterações significativas em todos os parâmetros de qualidade de água após o transporte de alevinos e juvenis. Houve elevação da temperatura, oxigênio dissolvido, gás carbônico e amônia não ionizada e decréscimo do pH, com diferenças entre as densidades apenas para gás carbônico e amônia não ionizada. Não houve elevação dos níveis de cortisol, exceto para juvenis na densidade de 170 g L-1 que ainda permaneciam com nível alto de cortisol às 96 horas. A glicose se elevou após o transporte em todos os tratamentos, retornando aos valores iniciais na recuperação, ao contrário do lactato, que se elevou e permaneceu alto até as 96 horas. O hematócrito foi avaliado apenas para juvenis e diminuiu significativamente após o transporte. Concluímos que alevinos de pirarucu podem ser transportados com segurança em densidades de até 95 g L-1 e juvenis em densidades de até 140 g L-1.(AU)


Assuntos
Qualidade da Água , Hidrocortisona , Peixes/crescimento & desenvolvimento
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA