Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 6 de 6
Filtrar
Mais filtros

Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-1491482

Resumo

Objetivou-se com este estudo avaliar a eficiência de diferentes tempos de equilíbrio sobre a viabilidade do sêmen congelado de garanhões. Foram utilizados 15 ejaculados de três garanhões da raça Mangalarga Marchador. O sêmen foi congelado após o resfriamento e permanência a 5C nos seguintes tratamentos: T1 = tempo de equilíbrio de 25 minutos, T2 = tempo de equilíbrio 85 min, e T3 = tempo de equilíbrio com 145 min. A qualidade seminal foi avaliada através da motilidade progressiva, vigor, morfologia espermática, integridade e funcionalidade da membrana plasmática, e teste de termo resistência. A motilidade progressiva e o vigor espermático avaliados pelo teste de termo resistência não diferiram (p > 0,05) entre os tratamentos. A porcentagem de espermatozoides normais através da avaliação da morfologia espermática e a porcentagem de espermatozoides com membrana plasmática íntegra e funcional avaliada respectivamente pelo teste hiposmótico e pelo supravital também não diferiram entre os tratamentos (p > 0,05). Conclui-se que a utilização de tempos de equilíbrio longos (85 ou 145 minutos) previamente ao congelamento do sêmen de equinos não melhora a viabilidade deste, quando comparado ao tempo de equilíbrio de 25 minutos.

2.
Ci. Rural ; 39(9)2009.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-706170

Resumo

The present study was performed with six Pêga breed donkeys, weight from 231 to 326kg (272±34.9). The breeders were divided into the adult group (J1, J2 e J3, 15 years old average) and the young group (J4, J5 e J6, 3.5 years old average). . The donkeys presented normal rates of fertility at natural mating. After breeding soundness evaluation all animals were considered capable for reproduction. A hundred eight semen collections were realized, and the donkeys presented normal seminal parameters for the specie. From August/2006 to February/2007, after semen collection each donkey was submitted to three or four measurements of the extern genital tract (both right and left side) for: testis length (LT - cranio caudal); testis height (TH - dorso ventral) and thickness of spermatic funiculum (FUN - third part). The biometric data from biometric testis were used to calculate the testis indices (TI) and testis volume (TV). The TI observed was 7.4 (5.9 a 9.6) and TV was 155.5±14.4, 149.3±14.9 respectively left and right. The average FUN was 25.3±3.3mm (20.3 a 30.8mm) to the right and 24.6±1.5mm (22 a 26mm) to the left side. The donkeys presented lesser TI than those proposed for the stallions, but the asinine were more efficient for sperm production than the average reported to stallions . The testis volume associated with IT can be used as an additional tool to estimate the normality of the breeder's testis. The measurement in vivo of spermatic funiculum can be used as a new component for the breeding soundness evaluation of donkeys. The genital extern tract biometric values can support routine breeding evaluation and can be applied to news studies.


O presente estudo foi conduzido com seis jumentos reprodutores da raça Pêga, com peso médio de 272±34,9 (231-326kg), sendo subdivididos em adultos (J1, J2 e J3, média 15 anos) e jovens (J4, J5 e J6, média 3,5 anos). Os reprodutores apresentavam histórico normal de fertilidade à monta natural e, após realização de exame andrológico, foram classificados como aptos à reprodução. Foram realizadas 180 coletas de sêmen. Os reprodutores apresentaram parâmetros seminais considerados normais para a espécie. De agosto/2006 a fevereiro/2007, após a realização do exame andrológico, cada reprodutor foi submetido a três ou quatro mensurações do aparelho genital externo para: comprimento testicular (CT - crânio caudal), altura testicular (AT - dorso ventral), largura testicular (LT - médio lateral) e espessura do funículo (FUN - terço médio). Os dados de biometria testicular foram utilizados para o cálculo do índice testicular (IT) e volume testicular (VT). O IT médio observado foi de 7,4 (5,9 a 9,6), e o VT esquerdo foi de 155,5±14,4mL, enquanto o direito foi de 149,3±14,9. A medida de FUND foi de 25,3±3,3mm (20,3a 30,8mm), e de FUNE foi 24,6±1,5mm (22 a 26mm). Jumentos, mesmo com IT menor do que o proposto para garanhões; se apresentaram mais eficientes que os últimos para a produção espermática. O volume espermático, associado ao IT, pode ser usado como ferramenta auxiliar na estimativa da constatação de normalidade para testículos de jumentos. A mensuração in vivo do funículo espermático pode ser uma nova variante na utilização do exame andrológico de jumentos. Os dados descritos podem servir de valores de referência e valores práticos quanto à biometria do aparelho genital externo de jumentos.

3.
Artigo em Português | LILACS-Express | VETINDEX | ID: biblio-1477852

Resumo

The present study was performed with six Pêga breed donkeys, weight from 231 to 326kg (272±34.9). The breeders were divided into the adult group (J1, J2 e J3, 15 years old average) and the young group (J4, J5 e J6, 3.5 years old average). . The donkeys presented normal rates of fertility at natural mating. After breeding soundness evaluation all animals were considered capable for reproduction. A hundred eight semen collections were realized, and the donkeys presented normal seminal parameters for the specie. From August/2006 to February/2007, after semen collection each donkey was submitted to three or four measurements of the extern genital tract (both right and left side) for: testis length (LT - cranio caudal); testis height (TH - dorso ventral) and thickness of spermatic funiculum (FUN - third part). The biometric data from biometric testis were used to calculate the testis indices (TI) and testis volume (TV). The TI observed was 7.4 (5.9 a 9.6) and TV was 155.5±14.4, 149.3±14.9 respectively left and right. The average FUN was 25.3±3.3mm (20.3 a 30.8mm) to the right and 24.6±1.5mm (22 a 26mm) to the left side. The donkeys presented lesser TI than those proposed for the stallions, but the asinine were more efficient for sperm production than the average reported to stallions . The testis volume associated with IT can be used as an additional tool to estimate the normality of the breeder's testis. The measurement in vivo of spermatic funiculum can be used as a new component for the breeding soundness evaluation of donkeys. The genital extern tract biometric values can support routine breeding evaluation and can be applied to news studies.


O presente estudo foi conduzido com seis jumentos reprodutores da raça Pêga, com peso médio de 272±34,9 (231-326kg), sendo subdivididos em adultos (J1, J2 e J3, média 15 anos) e jovens (J4, J5 e J6, média 3,5 anos). Os reprodutores apresentavam histórico normal de fertilidade à monta natural e, após realização de exame andrológico, foram classificados como aptos à reprodução. Foram realizadas 180 coletas de sêmen. Os reprodutores apresentaram parâmetros seminais considerados normais para a espécie. De agosto/2006 a fevereiro/2007, após a realização do exame andrológico, cada reprodutor foi submetido a três ou quatro mensurações do aparelho genital externo para: comprimento testicular (CT - crânio caudal), altura testicular (AT - dorso ventral), largura testicular (LT - médio lateral) e espessura do funículo (FUN - terço médio). Os dados de biometria testicular foram utilizados para o cálculo do índice testicular (IT) e volume testicular (VT). O IT médio observado foi de 7,4 (5,9 a 9,6), e o VT esquerdo foi de 155,5±14,4mL, enquanto o direito foi de 149,3±14,9. A medida de FUND foi de 25,3±3,3mm (20,3a 30,8mm), e de FUNE foi 24,6±1,5mm (22 a 26mm). Jumentos, mesmo com IT menor do que o proposto para garanhões; se apresentaram mais eficientes que os últimos para a produção espermática. O volume espermático, associado ao IT, pode ser usado como ferramenta auxiliar na estimativa da constatação de normalidade para testículos de jumentos. A mensuração in vivo do funículo espermático pode ser uma nova variante na utilização do exame andrológico de jumentos. Os dados descritos podem servir de valores de referência e valores práticos quanto à biometria do aparelho genital externo de jumentos.

4.
Ciênc. vet. tróp ; 11(2/3): 57-64, 2008.
Artigo em Português | LILACS-Express | VETINDEX | ID: biblio-1480385

Resumo

The present study describes semen collection methodology using an estrus mare under Brazilian field conditions, including the description of a crafted warm house and a trunk for mare restrainment. Aiming to describe the present study, six asinines of Pega donkey were applied. The following values 18.28±17.65; 5.08±3.52; 1.1±1.26; 47.27±28.66 and 71.75 ±54.80 were registered for reaction time (minutes), mounting time (seconds), mounting without erection, semen volume (mL) and gel fraction volume (mL) respectively. The methodology presented to be efficient and probably can be applied to other Brazilian regions taking in consideration the local conditions.


O presente estudo descreve uma metodologia de coleta de sêmen de jumentos com uso de égua em estro como manequim em condições de campo, incluindo a descrição de uma estufa artesanal e um tronco de contenção para éguas. Objetivando descrever o presente estudo foram empregados seis asininos da raça Pega. Registrou-se 18,28±17,65; 5,08±3,52; 1,1 ±1,26; 47,27±28,66 e 71,75±54,80 para o tempo de reação (minutos), o tempo de monta (segundos), a monta sem ereção, o volume seminal (mL) e o volume da fração gel (mL), respectivamente. A referida metodologia mostrou-se eficiente e, provavelmente, pode ser aplicada em diversas regiões do Brasil, observando-se sempre as condições locais.

5.
R. bras. Ci. Vet. ; 19(3)2012.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-712324

Resumo

Objetivou-se com este estudo avaliar a eficiência de diferentes tempos de equilíbrio sobre a viabilidade do sêmen congelado de garanhões. Foram utilizados 15 ejaculados de três garanhões da raça Mangalarga Marchador. O sêmen foi congelado após o resfriamento e permanência a 5C nos seguintes tratamentos: T1 = tempo de equilíbrio de 25 minutos, T2 = tempo de equilíbrio 85 min, e T3 = tempo de equilíbrio com 145 min. A qualidade seminal foi avaliada através da motilidade progressiva, vigor, morfologia espermática, integridade e funcionalidade da membrana plasmática, e teste de termo resistência. A motilidade progressiva e o vigor espermático avaliados pelo teste de termo resistência não diferiram (p > 0,05) entre os tratamentos. A porcentagem de espermatozoides normais através da avaliação da morfologia espermática e a porcentagem de espermatozoides com membrana plasmática íntegra e funcional avaliada respectivamente pelo teste hiposmótico e pelo supravital também não diferiram entre os tratamentos (p > 0,05). Conclui-se que a utilização de tempos de equilíbrio longos (85 ou 145 minutos) previamente ao congelamento do sêmen de equinos não melhora a viabilidade deste, quando comparado ao tempo de equilíbrio de 25 minutos.  

6.
Ci. Vet. Tróp. ; 11(2/3): 57-64, 2008.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-479585

Resumo

The present study describes semen collection methodology using an estrus mare under Brazilian field conditions, including the description of a crafted warm house and a trunk for mare restrainment. Aiming to describe the present study, six asinines of Pega donkey were applied. The following values 18.28±17.65; 5.08±3.52; 1.1±1.26; 47.27±28.66 and 71.75 ±54.80 were registered for reaction time (minutes), mounting time (seconds), mounting without erection, semen volume (mL) and gel fraction volume (mL) respectively. The methodology presented to be efficient and probably can be applied to other Brazilian regions taking in consideration the local conditions.


O presente estudo descreve uma metodologia de coleta de sêmen de jumentos com uso de égua em estro como manequim em condições de campo, incluindo a descrição de uma estufa artesanal e um tronco de contenção para éguas. Objetivando descrever o presente estudo foram empregados seis asininos da raça Pega. Registrou-se 18,28±17,65; 5,08±3,52; 1,1 ±1,26; 47,27±28,66 e 71,75±54,80 para o tempo de reação (minutos), o tempo de monta (segundos), a monta sem ereção, o volume seminal (mL) e o volume da fração gel (mL), respectivamente. A referida metodologia mostrou-se eficiente e, provavelmente, pode ser aplicada em diversas regiões do Brasil, observando-se sempre as condições locais.

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA