Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 6 de 6
Filtrar
Mais filtros

Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Braz. J. Vet. Res. Anim. Sci. (Online) ; 57(1): e158398, 2020. ilus
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-1122161

Resumo

Uterine intussusception is a rare condition in bitches. This study aimed to report an unusual case of prolapsed uterine intussusception in a female dog. A 2-year-old American Bully bitch was received with labor history of large fetus requiring manual traction. The animal presented mucosal prolapse through the vulva, unproductive contractions and abdominal discomfort. After partial correction of mucosal prolapse, the dog was referred to ovary-hysterectomy surgery to correct prolapsed mucosa. During the surgical procedure, surgeons observed that the uterine horns were invaginated into the uterine body, rotated, and the tissue was slightly devitalized and congested. As previously described, this condition occurred during the immediate postpartum period. Thus, we suggest that this period can be a facilitator for the establishment of uterine intussusception.(AU)


A intussuscepção uterina é uma condição rara em cadelas. Portanto, este estudo tem por objetivo relatar um caso incomum de intussuscepção uterina prolapsada em fêmea canina. Uma cadela American Bully de dois anos de idade com histórico de parto de feto absoluto grande no qual necessitou de auxílio por tração manual foi apresentada. O animal exibiu um prolapso de mucosa através da vulva, contrações improdutivas e dores abdominais. Após a retração parcial do prolapso de mucosa, a cadela foi encaminhada para a ovário-histerectomia que teve por objetivo, também, corrigir a mucosa prolapsada. Durante o procedimento cirúrgico, foram verificados os cornos uterinos invaginados no corpo uterino, rotacionados, com o tecido levemente desvitalizado e congesto. Assim, como poucos casos encontrados na literatura, esta condição ocorreu durante o puerpério imediato. Dessa forma, sugere-se que este período, embora não seja um fator determinante para o estabelecimento da intussuscepção uterina, pode ser um facilitador no estabelecimento dessa condição.(AU)


Assuntos
Animais , Feminino , Cães , Útero/patologia , Prolapso Uterino/veterinária , Período Pós-Parto , Intussuscepção/veterinária
2.
Braz. j. vet. res. anim. sci ; 57(1): e158398, 2020. ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-29243

Resumo

Uterine intussusception is a rare condition in bitches. This study aimed to report an unusual case of prolapsed uterine intussusception in a female dog. A 2-year-old American Bully bitch was received with labor history of large fetus requiring manual traction. The animal presented mucosal prolapse through the vulva, unproductive contractions and abdominal discomfort. After partial correction of mucosal prolapse, the dog was referred to ovary-hysterectomy surgery to correct prolapsed mucosa. During the surgical procedure, surgeons observed that the uterine horns were invaginated into the uterine body, rotated, and the tissue was slightly devitalized and congested. As previously described, this condition occurred during the immediate postpartum period. Thus, we suggest that this period can be a facilitator for the establishment of uterine intussusception.(AU)


A intussuscepção uterina é uma condição rara em cadelas. Portanto, este estudo tem por objetivo relatar um caso incomum de intussuscepção uterina prolapsada em fêmea canina. Uma cadela American Bully de dois anos de idade com histórico de parto de feto absoluto grande no qual necessitou de auxílio por tração manual foi apresentada. O animal exibiu um prolapso de mucosa através da vulva, contrações improdutivas e dores abdominais. Após a retração parcial do prolapso de mucosa, a cadela foi encaminhada para a ovário-histerectomia que teve por objetivo, também, corrigir a mucosa prolapsada. Durante o procedimento cirúrgico, foram verificados os cornos uterinos invaginados no corpo uterino, rotacionados, com o tecido levemente desvitalizado e congesto. Assim, como poucos casos encontrados na literatura, esta condição ocorreu durante o puerpério imediato. Dessa forma, sugere-se que este período, embora não seja um fator determinante para o estabelecimento da intussuscepção uterina, pode ser um facilitador no estabelecimento dessa condição.(AU)


Assuntos
Animais , Feminino , Cães , Útero/patologia , Prolapso Uterino/veterinária , Período Pós-Parto , Intussuscepção/veterinária
3.
Artigo em Inglês | LILACS-Express | VETINDEX | ID: biblio-1471190

Resumo

Uterine intussusception is a rare condition in bitches. This study aimed to report an unusual case of prolapsed uterine intussusception in a female dog. A 2-year-old American Bully bitch was received with labor history of large fetus requiring manual traction. The animal presented mucosal prolapse through the vulva, unproductive contractions and abdominal discomfort. After partial correction of mucosal prolapse, the dog was referred to ovary-hysterectomy surgery to correct prolapsed mucosa. During the surgical procedure, surgeons observed that the uterine horns were invaginated into the uterine body, rotated, and the tissue was slightly devitalized and congested. As previously described, this condition occurred during the immediate postpartum period. Thus, we suggest that this period can be a facilitator for the establishment of uterine intussusception.


A intussuscepção uterina é uma condição rara em cadelas. Portanto, este estudo tem por objetivo relatar um caso incomum de intussuscepção uterina prolapsada em fêmea canina. Uma cadela American Bully de dois anos de idade com histórico de parto de feto absoluto grande no qual necessitou de auxílio por tração manual foi apresentada. O animal exibiu um prolapso de mucosa através da vulva, contrações improdutivas e dores abdominais. Após a retração parcial do prolapso de mucosa, a cadela foi encaminhada para a ovário-histerectomia que teve por objetivo, também, corrigir a mucosa prolapsada. Durante o procedimento cirúrgico, foram verificados os cornos uterinos invaginados no corpo uterino, rotacionados, com o tecido levemente desvitalizado e congesto. Assim, como poucos casos encontrados na literatura, esta condição ocorreu durante o puerpério imediato. Dessa forma, sugere-se que este período, embora não seja um fator determinante para o estabelecimento da intussuscepção uterina, pode ser um facilitador no estabelecimento dessa condição.

4.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-1491472

Resumo

Diversos fatores afetam a qualidade do leite dentro de uma propriedade leiteira, muitas alterações são responsáveis pelas variaçõesda qualidade nutricional do leite. Portanto, objetivou-se determinar o teor de ácidos graxos e o de ácido linoleico conjugado, emleites produzidos em diferentes regiões do Rio Grande do Sul. Amostras de leite foram obtidas em três diferentes laticínios do RioGrande do Sul, situados nas regiões do Noroeste, Norte e Sul, produzidas nas diferentes regiões e estações climáticas, do anode 2010 e que são comercializadas na cidade de Santa Maria/RS. O perfil de ácidos graxos e de ácido linoleico conjugado foideterminado por cromatografia gasosa. O principal ácido graxo insaturado foi o oleico (18:1n9c). O teor de ômega-3 foi maior noinverno (0,75%) e o teor de ômega-6 presente no leite foi maior na estação do verão para as regiões Norte e Noroeste. A razão-6/-3 variou de 3:1 a 5:1 com relação às médias observadas neste estudo. Os níveis de ácido linoleico conjugado no leiteaumentaram nas estações da primavera e do inverno, com média de 10,13 mg. O conteúdo CLA de leites produzidos na regiãoSul do Brasil possuem valores superiores aos relatados para os produtos lácteos de países em climas temperados.

5.
R. bras. Ci. Vet. ; 19(2)2012.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-712457

Resumo

Diversos fatores afetam a qualidade do leite dentro de uma propriedade leiteira, muitas alterações são responsáveis pelas variaçõesda qualidade nutricional do leite. Portanto, objetivou-se determinar o teor de ácidos graxos e o de ácido linoleico conjugado, emleites produzidos em diferentes regiões do Rio Grande do Sul. Amostras de leite foram obtidas em três diferentes laticínios do RioGrande do Sul, situados nas regiões do Noroeste, Norte e Sul, produzidas nas diferentes regiões e estações climáticas, do anode 2010 e que são comercializadas na cidade de Santa Maria/RS. O perfil de ácidos graxos e de ácido linoleico conjugado foideterminado por cromatografia gasosa. O principal ácido graxo insaturado foi o oleico (18:1n9c). O teor de ômega-3 foi maior noinverno (0,75%) e o teor de ômega-6 presente no leite foi maior na estação do verão para as regiões Norte e Noroeste. A razão-6/-3 variou de 3:1 a 5:1 com relação às médias observadas neste estudo. Os níveis de ácido linoleico conjugado no leiteaumentaram nas estações da primavera e do inverno, com média de 10,13 mg. O conteúdo CLA de leites produzidos na regiãoSul do Brasil possuem valores superiores aos relatados para os produtos lácteos de países em climas temperados.

6.
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-760655

Resumo

Uterine intussusception is a rare condition in bitches. This study aimed to report an unusual case of prolapsed uterine intussusception in a female dog. A 2-year-old American Bully bitch was received with labor history of large fetus requiring manual traction. The animal presented mucosal prolapse through the vulva, unproductive contractions and abdominal discomfort. After partial correction of mucosal prolapse, the dog was referred to ovary-hysterectomy surgery to correct prolapsed mucosa. During the surgical procedure, surgeons observed that the uterine horns were invaginated into the uterine body, rotated, and the tissue was slightly devitalized and congested. As previously described, this condition occurred during the immediate postpartum period. Thus, we suggest that this period can be a facilitator for the establishment of uterine intussusception.  


A intussuscepção uterina é uma condição rara em cadelas. Portanto, este estudo tem por objetivo relatar um caso incomum de intussuscepção uterina prolapsada em fêmea canina. Uma cadela American Bully de dois anos de idade com histórico de parto de feto absoluto grande no qual necessitou de auxílio por tração manual foi apresentada. O animal exibiu um prolapso de mucosa através da vulva, contrações improdutivas e dores abdominais. Após a retração parcial do prolapso de mucosa, a cadela foi encaminhada para a ovário-histerectomia que teve por objetivo, também, corrigir a mucosa prolapsada. Durante o procedimento cirúrgico, foram verificados os cornos uterinos invaginados no corpo uterino, rotacionados, com o tecido levemente desvitalizado e congesto. Assim, como poucos casos encontrados na literatura, esta condição ocorreu durante o puerpério imediato. Dessa forma, sugere-se que este período, embora não seja um fator determinante para o estabelecimento da intussuscepção uterina, pode ser um facilitador no estabelecimento dessa condição.

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA