Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 1 de 1
Filtrar
Mais filtros

Base de dados
Ano de publicação
Intervalo de ano de publicação
1.
Ci. Rural ; 45(7): 1249-1255, July 2015. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-76349

Resumo

The study aimed to evaluate the antimicrobial susceptibility of 109 samples of Escherichia coli (E. coli) of environmental origin and to characterize these isolates according to the degree of pathogenicity in vivo, verifying a possible relationship between this variable and susceptibility to the active principles tested. The isolates were subjected to disc diffusion test to 14 antibiotics. From 16.5% to 90% of the samples were sensitive; 1 - 28.5% showed intermediate degree of susceptibility and between 9 to 78% of E. coli analyzed were resistant. The highest resistance percentages were seen in the class of quinolones and tetracyclines (>75%), and for sensitivity in the class of amphenicols (68.8%). By inoculating 1- day - old chicks, the isolates were classified as highly pathogenic (2.7%), intermediate (10.1%), low (42.2%) and apathogenic (45%). It was observed a wide variation in the susceptibility profile of isolates in relation to antimicrobials. It was also found that most of the samples had pathogenic potential (55%), thus being considered as APEC (avian pathogenic E. coli). No relationship between pathogenicity and antimicrobial susceptibility (P0.05) was observed.(AU)


O estudo teve como objetivo avaliar a suscetibilidade antimicrobiana de 109 amostras de Escherichia coli (E. coli) de origem ambiental frente a antibióticos e caracterizar esses isolados quanto ao grau de patogenicidade in vivo, verificando-se uma possível relação entre esta variável e a suscetibilidade aos princípios ativos testados. Os isolados foram submetidos ao teste de disco-difusão para 14 antibióticos. Entre 16.5% a 90% das amostras foram sensíveis, 1-28.5% apresentaram grau de suscetibilidade intermediário e entre 9-78% das E. coli analisadas foram resistentes. Os maiores percentuais de resistência foram encontrados para a classe das quinolonas e das tetraciclinas (>75%), e de sensibilidade para a classe dos anfenicóis (68.8%). Por meio da inoculação em pintinhos de um dia de idade, os isolados foram classificados como sendo de patogenicidade alta (2.7%), intermediária (10.1%), baixa (42.2%) e apatogênicos (45%). Foi observada uma ampla variação no perfil de suscetibilidade das amostras frente aos antimicrobianos. Verificou-se também que a maioria apresentou potencial patogênico (55%), sendo, portanto, consideradas APEC (E. coli patogênica para aves). Não foi observada relação entre a patogenicidade e a suscetibilidade aos antimicrobianos (P0.05).(AU)


Assuntos
Escherichia coli/isolamento & purificação , Escherichia coli/patogenicidade , Resistência Microbiana a Medicamentos , Anti-Infecciosos
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA