Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 9 de 9
Filtrar
Mais filtros

Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Semina ciênc. agrar ; 43(1): 229-240, jan.-fev. 2022. mapas, tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1368665

Resumo

Eimeria infections are common in sheep industry worldwide, however information about their epidemiology is scarce in southern state of Rio Grande do Sul, Brazil. Therefore, a cross-sectional study was carried out to determine the prevalence, species characterization, and associated risk factors between Eimeria species and sheep flocks. Fecal samples from 428 sheep from 21 farms were tested for the presence of oocysts. The overall prevalence of Eimeria spp. was 68.69% and was significantly affected by age of the sheep, with highest prevalence in animals under 18 months of age. Eight Eimeria species were identified. Eimeria ovinoidalis (85.71%) was the most common, followed by Eimeria crandallis (80.95%), Eimeria granulosa (78.95%), Eimeria ahsata (61.90%), Eimeria faurei (42.86%), Eimeria bakuensis (38.10%), Eimeria punctata (14.29%), and Eimeria pallida (9.52%). All herds were positive, with concomitant infections. Among management and husbandry practices; farm size, animal density, farming system, breeding objectives, and pasture system influenced the prevalence of Eimeria species. The infection was more prevalent on small farms with high animal density, in sheep raised for meat, semi-intensive system, and rotational grazing (p < 0.05). The wide distribution of this protozoan and the high frequency of pathogenic species show the importance and potential damage of coccidiosis in sheep flocks in Rio Grande do Sul.(AU)


As infecções por Eimeria são comuns na ovinocultura em todo o mundo, porém informações sobre sua epidemiologia são escassas no sul do estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Portanto, um estudo transversal foi realizado para determinar a prevalência, caracterização das espécies e fatores de risco associados entre espécies de Eimeria e rebanhos ovinos. Amostras fecais de 428 ovinos, de 21 fazendas, foram testadas para a presença de oocistos. A prevalência geral de Eimeria spp. foi 68,69%, sendo significativamente afetada pela idade dos ovinos, com maior prevalência em animais menores de 18 meses. Oito espécies de Eimeria foram identificadas; Eimeria ovinoidalis (85,71%) foi a mais comum, seguida por Eimeria crandallis (80,95%), Eimeria granulosa (78,95%), Eimeria ahsata (61,90%), Eimeria faurei (42,86%), Eimeria bakuensis (38,10%), Eimeria punctata (14,29%) e Eimeria pallida (9,52%). Todos os rebanhos foram positivos, com infecções concomitantes. Entre as práticas de manejo e criação; tamanho da fazenda, densidade animal, sistema de criação, objetivo de criação e sistema de pastagem tiveram influência sobre a prevalência de Eimeria spp. A infecção foi mais prevalente em pequenas propriedades com alta densidade animal, em ovinos destinados a produção de carne, sistema semi-intensivo de criação e pastejo rotacionado (p < 0,05). A ampla distribuição desse protozoário e a alta frequência de espécies patogênicas mostram a importância e os danos potenciais da coccidiose ovina nos rebanhos gaúchos.(AU)


Assuntos
Animais , Ovinos/microbiologia , Fatores de Risco , Coccidiose , Eimeria/patogenicidade , Infecções/epidemiologia
2.
Pesqui. vet. bras ; 37(8): 797-801, Aug. 2017. tab
Artigo em Português | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-895499

Resumo

Foi realizado um levantamento das doenças parasitárias de bovinos e ovinos diagnosticadas na região sul do Rio Grande do Sul, de janeiro de 1978 a dezembro de 2014 no Laboratório Regional de Diagnóstico da Universidade Federal de Pelotas. Em bovinos 10,1% de todos os diagnosticos tratavam-se de parasitoses, das quais a mais frequente foi a tristeza parasitária bovina, com 55,1% dos surtos. As parasitoses gastrintestinais mistas foram diagnosticadas em 22,35% dos casos, a hemoncose em 4,36%, a dictiocaulose em 3,52%, a fasciolose em 2,68% e a eimeriose em 1,84%. Em ovinos 33,6% dos diagnósticos realizados eram parasitoses, sendo as mais frequentes as parasitoses gastrintestinais mistas (42,7%), a hemoncose (35,4%), a coenurose (9,1%) e a fasciolose (4,4%). Estima-se que as perdas somente por mortalidade, decorrentes de doenças parasitárias em bovinos somam aproximadamente R$16.968.000/ano. Na espécie ovina as perdas econômicas causadas por mortalidade de origem parasitária são de aproximadamente R$2.016.000/ano na região sul do Rio Grande do Sul. Foi possível concluir que, em bovinos, na região sul do Rio Grande do Sul, os agentes da TPB são os principais causadores de perdas econômicas, seguidos pelas parasitoses mistas. Em ovinos a parasitose gastrintestinal mista e a hemoncose, juntas, representam mais de 70% dos diagnósticos realizados.(AU)


A survey of parasitic diseases of cattle and sheep diagnosed in Southern Brazil, from January 1978 to December 2014, was conducted in the Laboratório Regional de Diagnóstico, of Universidade Federal de Pelotas. In cattle 10.1% of all cases diagnosed were parasitic diseases, of which the most common was tick fever with 55.1% of cases. Mixed gastrintestinal parasitosis was diagnosed in 22.35% of cases, hemonchosis in 4.36%, dyctiocaulosis in 3.52%, fluke infection in 2.68%, and eimeriosis in 1.84% of the cases. In sheep 33.6% of the diagnoses was parasitosis. In sheep mixed gastrintestinal parasitosis was the most frequent with 42.7% of the cases, hemonchosis was observed in 35.4%, coenurosis in 9.1% and fluke infection in 4.4% of the cases. It is estimated that losses through mortality resulting from parasitic diseases in cattle is approximately R$16.968.000/year. In sheep the economic losses through mortality caused by parasites is about R$2.016.000/year. The results of this survey realize the importance of parasitic diseases in ruminants in Southern Brazil, based on data from more than three decades of diagnostic. It was concluded that, in cattle in southern Rio Grande do Sul, the TPB agents are the main cause of economic losses, followed by mixed parasitic infections. In sheep mixed gastrointestinal parasitosis and hemoncose together represent more than 70% of the diagnoses performed.(AU)


Assuntos
Animais , Bovinos , Doenças Parasitárias em Animais/economia , Doenças Parasitárias em Animais/epidemiologia , Ovinos/parasitologia , Gastroenteropatias/parasitologia , Brasil/epidemiologia
3.
Pesqui. vet. bras ; 37(8): 797-801, Aug. 2017. tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-23566

Resumo

Foi realizado um levantamento das doenças parasitárias de bovinos e ovinos diagnosticadas na região sul do Rio Grande do Sul, de janeiro de 1978 a dezembro de 2014 no Laboratório Regional de Diagnóstico da Universidade Federal de Pelotas. Em bovinos 10,1% de todos os diagnosticos tratavam-se de parasitoses, das quais a mais frequente foi a tristeza parasitária bovina, com 55,1% dos surtos. As parasitoses gastrintestinais mistas foram diagnosticadas em 22,35% dos casos, a hemoncose em 4,36%, a dictiocaulose em 3,52%, a fasciolose em 2,68% e a eimeriose em 1,84%. Em ovinos 33,6% dos diagnósticos realizados eram parasitoses, sendo as mais frequentes as parasitoses gastrintestinais mistas (42,7%), a hemoncose (35,4%), a coenurose (9,1%) e a fasciolose (4,4%). Estima-se que as perdas somente por mortalidade, decorrentes de doenças parasitárias em bovinos somam aproximadamente R$16.968.000/ano. Na espécie ovina as perdas econômicas causadas por mortalidade de origem parasitária são de aproximadamente R$2.016.000/ano na região sul do Rio Grande do Sul. Foi possível concluir que, em bovinos, na região sul do Rio Grande do Sul, os agentes da TPB são os principais causadores de perdas econômicas, seguidos pelas parasitoses mistas. Em ovinos a parasitose gastrintestinal mista e a hemoncose, juntas, representam mais de 70% dos diagnósticos realizados.(AU)


A survey of parasitic diseases of cattle and sheep diagnosed in Southern Brazil, from January 1978 to December 2014, was conducted in the Laboratório Regional de Diagnóstico, of Universidade Federal de Pelotas. In cattle 10.1% of all cases diagnosed were parasitic diseases, of which the most common was tick fever with 55.1% of cases. Mixed gastrintestinal parasitosis was diagnosed in 22.35% of cases, hemonchosis in 4.36%, dyctiocaulosis in 3.52%, fluke infection in 2.68%, and eimeriosis in 1.84% of the cases. In sheep 33.6% of the diagnoses was parasitosis. In sheep mixed gastrintestinal parasitosis was the most frequent with 42.7% of the cases, hemonchosis was observed in 35.4%, coenurosis in 9.1% and fluke infection in 4.4% of the cases. It is estimated that losses through mortality resulting from parasitic diseases in cattle is approximately R$16.968.000/year. In sheep the economic losses through mortality caused by parasites is about R$2.016.000/year. The results of this survey realize the importance of parasitic diseases in ruminants in Southern Brazil, based on data from more than three decades of diagnostic. It was concluded that, in cattle in southern Rio Grande do Sul, the TPB agents are the main cause of economic losses, followed by mixed parasitic infections. In sheep mixed gastrointestinal parasitosis and hemoncose together represent more than 70% of the diagnoses performed.(AU)


Assuntos
Animais , Bovinos , Doenças Parasitárias em Animais/economia , Doenças Parasitárias em Animais/epidemiologia , Ovinos/parasitologia , Gastroenteropatias/parasitologia , Brasil/epidemiologia
4.
R. bras. Parasitol. Vet. ; 26(4): 427-432, out.-dez. 2017. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-737695

Resumo

Gastrointestinal parasites represent an important cause of reduced productivity of sheep worldwide. As anthelmintic are still the main control tool for these parasites, this work evaluated the efficacy of commercially available active principles in 22 sheep flocks in the southern region of Rio Grande do Sul, Brazil. In each farm 10 sheep were randomly distributed in seven groups with the following treatments: abamectin; albendazole; closantel; levamisole; monepantel; trichlorphon and no anthelmintic (control). All flocks showed resistance to at least three anthelmintics and in 20 farms only two products demonstrated efficacy for parasitic control. In two farms, there was no susceptibility to the six active principles tested. The results of this study provide evidence that the common commercially available anthelmintic are not assuring effective chemical control of gastrointestinal parasitic infections in ovine flocks in the southern region of Rio Grande do Sul. Monepantel, the newest introduced drug in the Brazilian market was not effective in 18% of the flocks tested, confirming that the parasitic resistance can be established quickly after the introduction of new molecules mainly when alternative program of parasite control is not performed.(AU)


As parasitoses gastrintestinais representam importante causa de queda na produtividade na ovinocultura mundial. Como a utilização de anti-helmínticos é, ainda, a principal forma de controle parasitário, o presente estudo avaliou a eficácia de princípios ativos comercialmente disponíveis, em 22 rebanhos ovinos da região Sul do Rio Grande do Sul, Brasil. Em cada propriedade foram utilizados 10 ovinos divididos em sete grupos que receberam os seguintes tratamentos: abamectina; albendazole; closantel; levamisole; monepantel; e triclorfon. Um grupo permaneceu como controle, sem tratamento anti-helmíntico. Nas 22 propriedades do estudo houve resistência, no mínimo, a três anti-helmínticos. Em 20 propriedades apenas dois produtos demonstraram eficácia para o controle parasitário. Em duas propriedades não houve sensibilidade aos seis princípios ativos testados. Os resultados do presente estudo demonstraram que os anti-helmínticos disponíveis no marcado Brasileiro não asseguram um controle parasitário efetivo nos rebanhos ovinos da região Sul do Rio Grande do Sul, incluindo o monepantel que foi ineficaz em 18% dos rebanhos testados, confirmando que a resistência dos parasitos aos princípios ativos pode se estabelecer rapidamente após a introdução de novas moléculas, principalmente quando programas alternativos de controle não são realizados.(AU)


Assuntos
Animais , Anti-Helmínticos/uso terapêutico , Ovinos/parasitologia , Doenças dos Ovinos/tratamento farmacológico , Doenças dos Ovinos/parasitologia , Helmintíase Animal/tratamento farmacológico
5.
Pesqui. vet. bras ; 37(8)2017.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-743680

Resumo

ABSTRACT: A survey of parasitic diseases of cattle and sheep diagnosed in Southern Brazil, from January 1978 to December 2014, was conducted in the Laboratório Regional de Diagnóstico, of Universidade Federal de Pelotas. In cattle 10.1% of all cases diagnosed were parasitic diseases, of which the most common was tick fever with 55.1% of cases. Mixed gastrintestinal parasitosis was diagnosed in 22.35% of cases, hemonchosis in 4.36%, dyctiocaulosis in 3.52%, fluke infection in 2.68%, and eimeriosis in 1.84% of the cases. In sheep 33.6% of the diagnoses was parasitosis. In sheep mixed gastrintestinal parasitosis was the most frequent with 42.7% of the cases, hemonchosis was observed in 35.4%, coenurosis in 9.1% and fluke infection in 4.4% of the cases. It is estimated that losses through mortality resulting from parasitic diseases in cattle is approximately R$16.968.000/year. In sheep the economic losses through mortality caused by parasites is about R$2.016.000/year. The results of this survey realize the importance of parasitic diseases in ruminants in Southern Brazil, based on data from more than three decades of diagnostic. It was concluded that, in cattle in southern Rio Grande do Sul, the TPB agents are the main cause of economic losses, followed by mixed parasitic infections. In sheep mixed gastrointestinal parasitosis and hemoncose together represent more than 70% of the diagnoses performed.


RESUMO: Foi realizado um levantamento das doenças parasitárias de bovinos e ovinos diagnosticadas na região sul do Rio Grande do Sul, de janeiro de 1978 a dezembro de 2014 no Laboratório Regional de Diagnóstico da Universidade Federal de Pelotas. Em bovinos 10,1% de todos os diagnosticos tratavam-se de parasitoses, das quais a mais frequente foi a tristeza parasitária bovina, com 55,1% dos surtos. As parasitoses gastrintestinais mistas foram diagnosticadas em 22,35% dos casos, a hemoncose em 4,36%, a dictiocaulose em 3,52%, a fasciolose em 2,68% e a eimeriose em 1,84%. Em ovinos 33,6% dos diagnósticos realizados eram parasitoses, sendo as mais frequentes as parasitoses gastrintestinais mistas (42,7%), a hemoncose (35,4%), a coenurose (9,1%) e a fasciolose (4,4%). Estima-se que as perdas somente por mortalidade, decorrentes de doenças parasitárias em bovinos somam aproximadamente R$16.968.000/ano. Na espécie ovina as perdas econômicas causadas por mortalidade de origem parasitária são de aproximadamente R$2.016.000/ano na região sul do Rio Grande do Sul. Foi possível concluir que, em bovinos, na região sul do Rio Grande do Sul, os agentes da TPB são os principais causadores de perdas econômicas, seguidos pelas parasitoses mistas. Em ovinos a parasitose gastrintestinal mista e a hemoncose, juntas, representam mais de 70% dos diagnósticos realizados.

6.
Semina ciênc. agrar ; 37(5): 3201-3204, Sept.-Oct.2016. ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1500564

Resumo

The aim of this study was to evaluate the presence of helminthes parasitizing hares (Lepus europaeus) in southern Brazil. The intestinal tracts of seven hares were opened and the contents were sieved. Among the seven animals in the study, Trichostrongylus retortaeformis parasitized six (85.7%). This study will be expanded and more animals captured to evaluate the occurrence of other helminthes and to assess whether the high prevalence of T. retortaeformis is accurate, as well as to assess the abundance and intensity of parasites. To our knowledge, this is the first record of T.retortaeformis parasitizing L. europaeus in southern Brazil.


Foi realizado estudo sobre a presença de helmintos em lebres (Lepus europaeus) na região sul do Brasil. Foram capturados sete animais que foram necropsiados e os órgãos (estômago e intestino delgado e grosso) foram abertos e o conteúdo tamisado. Dos sete animais, seis (85,7%) estavam parasitados por Trichostrongylus retortaeformis. O estudo será ampliado com a captura de mais animais para avaliar a ocorrência de outros helmintos, se esta alta prevalência para T. retortaeformis permanece e para permitir avaliar a bundancia e intensidade dos parasitos. Este trabalho apresenta a primeira citação de T. retortaeformis parasitando L.europaeus no sul do Brasil.


Assuntos
Animais , Lebres/parasitologia , Trichostrongyloidea/classificação , Trichostrongyloidea/parasitologia
7.
Semina Ci. agr. ; 37(5): 3201-3204, Sept.-Oct.2016. ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-745848

Resumo

The aim of this study was to evaluate the presence of helminthes parasitizing hares (Lepus europaeus) in southern Brazil. The intestinal tracts of seven hares were opened and the contents were sieved. Among the seven animals in the study, Trichostrongylus retortaeformis parasitized six (85.7%). This study will be expanded and more animals captured to evaluate the occurrence of other helminthes and to assess whether the high prevalence of T. retortaeformis is accurate, as well as to assess the abundance and intensity of parasites. To our knowledge, this is the first record of T.retortaeformis parasitizing L. europaeus in southern Brazil.(AU)


Foi realizado estudo sobre a presença de helmintos em lebres (Lepus europaeus) na região sul do Brasil. Foram capturados sete animais que foram necropsiados e os órgãos (estômago e intestino delgado e grosso) foram abertos e o conteúdo tamisado. Dos sete animais, seis (85,7%) estavam parasitados por Trichostrongylus retortaeformis. O estudo será ampliado com a captura de mais animais para avaliar a ocorrência de outros helmintos, se esta alta prevalência para T. retortaeformis permanece e para permitir avaliar a bundancia e intensidade dos parasitos. Este trabalho apresenta a primeira citação de T. retortaeformis parasitando L.europaeus no sul do Brasil.(AU)


Assuntos
Animais , Lebres/parasitologia , Trichostrongyloidea/classificação , Trichostrongyloidea/parasitologia
8.
Ci. Rural ; 46(9): 1618-1621, Sept. 2016. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-29711

Resumo

This research aimed to determine incidence of Toxoplama gondii infection in Corriedale sheep in southern Brazil during pregnancy and the extent of associated losses. Blood samples were collected from 411 Corriedale sheep in two flocks at different locations in the state of Rio Grande do Sul (Brazil). Presence of T. gondii was diagnosed by the Indirect Fluorescent Antibody Technique (IFAT). Seroprevalence of T. gondii during pre-mating was 20.2%, with no significant difference between the two flocks studied. Infection by T. gondii was influenced by ewes'age (P0.05). The pre-mating seroprevalence did not influence either returning to estrus or pregnancy rates. Weaning rate was significantly higher in pre-positive dams compared to negative ones (87.9 and 74.1%, respectively - P 0.05). The incidence of seroconversion was 16.5% (54/328). In seroconverted ewes, a high rate of return to estrus was observed (P0.05). The incidence of toxoplasmosis suggests production losses equivalent to 1.87% per year, in this system production. In addition, toxoplasmosis decreased the number of lambs per ewe. Therefore, to improve livestock performance, T. gondii infection should be monitored and controlled in the studied area.(AU)


Este trabalho tem como objetivo determinar a incidência da infecção pelo T. gondii em ovinos, durante o período gestacional e a extensão das perdas associadas. Amostras de sangue foram coletadas de 411 ovelhas Corriedale em dois rebanhos, em diferentes locais do Rio Grande do Sul, Brasil. Presença de T. gondii foi diagnosticada pela técnica de imunofluorescência indireta (RIFI). A soroprevalência no pré-acasalamento foi de 20,2%, sem diferença significativa entre os dois rebanhos estudados. A infecção por T. gondii foi influenciada pela idade (P 0,05). A soroprevalência no pré-acasalamento não influenciou a taxa de retorno ao estro e a taxa de prenhez. Taxa de desmame foi significativamente maior nas ovelhas positivas na pré-cobertura em comparação com as negativas (87,9 e 74,1%, respectivamente - P 0,05). A incidência de soroconversão foi de 16,5% (54/328). Em ovelhas que soroconverteram, uma alta taxa de retorno ao estro foi observada (P0,05). A incidência da toxoplasmose sugere perdas de produção equivalentes a 1,87% ao ano nestes sistemas. Além disso, a toxoplasmose diminuiu o número de cordeiros por ovelha. Portanto, para melhorar o desempenho produtivo nos rebanhos ovinos, a infecção por T. gondii deve ser monitorada e controlada na área estudada.(AU)


Assuntos
Animais , Doenças dos Ovinos , Toxoplasmose Animal/economia , Toxoplasmose Animal/epidemiologia , Toxoplasma , Complicações na Gravidez/veterinária
9.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-8044

Resumo

Com o objetivo de estudar a fauna parasitária de Cerdocyon thous e Pseudalopex gymnocercus foram estimadas a prevalência, a intensidade média de infecção e abundância de helmintos gastrintestinais e artrópodes nesses hospedeiros. Foram capturados 40 canídeos silvestres na Região Sul do Estado do Rio Grande do Sul, nos municípios de Pedro Osório e Pelotas. Os animais foram capturados usando-se armadilha tipo Live Trap. Logo após a captura, os animais eram sedados, momento em que se coletava sangue e buscava-se coletar artrópodes ectoparasitos mediante exame minucioso. Em seguida os animais eram transportados para o Laboratório de Parasitologia do Departamento de Microbiologia e Parasitologia do Instituto de Biologia da UFPel, onde eram sacrificados usando-se pentobarbital sódico. Após a necropsia, os compartimentos do trato digestório, respiratório e renal foram isolados e examinados na busca de parasitos. O crânio dos animais foi usado para identificação taxonômica dos canídeos, dos quais 45% eram C. thous e 55% P. gymnocercus, podendo-se inferir que ambos canídeos são encontrados habitando a região fisiográfica desse trabalho. A totalidade dos animais (100%) apresentou-se parasitado. Amblyomma aureolatum é o carrapato com maior prevalência em P. gymnocercus (23,7%) e C. thous (61,11%) na região sul do Rio Grande do Sul. Nos nematódeos, os parasitos mais freqüentes foram: Ancylostoma caninum (C. thous 22,22%e P. gymnocercus 45,45%), Molineus felineus (C. thous 5,56% e P. gymnocercus 9,90%), Strongyloides spp. (C. thous 16,67% e P. gymnocercus 22,73%), Trichuris spp (C. thous 11,11% e P. gymnocercus 13,64%), e Capillaria hepática (C. thous 5,56% e P. gymnocercus 13,64%). Nos trematódeos, os parasitos encontrados foram: Alaria alata (C. thous 50,00% e P. gymnocercus 36,36%) e Athesmia heterolecithodes (C. thous 5,56%). Nos cestódeos, os parasitos encontrados foram: Spirometra spp (C. thous 61,11% e P. gymnocercus 54,55%) e Diphillobotriidae (C. thous 77,78% e P. gymnocercus 81,82%). Nos Acanthocephala os parasitos encontrados foram: Centrorhynchus sp. (C. thous 5,56%). Nos protozoários, os parasitos encontrados foram: Babesia spp (P. gymnocercus 13,64%), diagnosticada por exame direto

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA