Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 9 de 9
Filtrar
Mais filtros

Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Ciênc. anim. bras. (Impr.) ; 16(2): 251-261, Abr-Jun. 2015. ilus, tab, graf
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1473384

Resumo

The femoral nerves were studied in newborn goats of Saanen breed (22 males and 11 females) that were collected after natural death and fixed with 10% formaldehyde solution. In males the femoral nerve arose from the ventral spinal branches of L4 and L5 in eight animals (36%); in six animals (27%) it arose from the ventral spinal branches of L5 and L6; in five animals (23%) it arose from the ventral spinal branches of L5; in two animals (9%) it arose from the ventral spinal branches of L4, L5 and L6 and in one animal (5%) it arose from the ventral spinal branches of L5 and L6 and the ventral spinal branches of S1. In females the femoral nerve arose from the ventral spinal branches of L4 and L5 in seven animals (64%); in three animals (27%) it arose from the ventral spinal branches of L5 and L6 and in one animal (9%) it arose from the ventral spinal branches of L4, L5 and L6. In all animals, the femoral nerves were distributed in different branches to the major and minor psoas, femoris quadriceps, sartorius and pectinius muscles.


O nervo femoral foi estudado em 33 caprinos recém-natos da raça Saanen (22 machos e 11 fêmeas), que, após morte natural, foram fixados com solução de formaldeído a 10%. Nos machos, o nervo femoral teve sua origem nos ramos espinhais ventrais de L4 e L5 em oito animais (36%); em seis animais (27%) teve sua origem nos ramos espinhais ventrais de L5 e L6; em cinco animais (23%) teve sua origem no ramo espinhal ventral de L5; em dois animais (9%) teve sua origem nos ramos espinhais ventrais de L4, L5 e L6; em um animal (5%) teve sua origem dos ramos espinhais ventrais de L5 e L6 e no ramo espinhal ventral de S1. Nas fêmeas, teve sua origem nos ramos espinhais ventrais de L4 e L5 em sete animais (64%); em três animais (27%) teve sua origem nos ramos espinhais ventrais de L5 e L6 e em um animal (9%) teve sua origem nos ramos espinhais ventrais de L4, L5 e L6. Os nervos femorais emitiram, em todos os animais, número variável de ramos para os músculos psoas maior, psoas menor, quadríceps femoral, sartório e pectíneo.


Assuntos
Animais , Animais Recém-Nascidos/anatomia & histologia , Fêmur/anatomia & histologia , Ruminantes/anatomia & histologia , Tecido Nervoso/anatomia & histologia , Variação Anatômica/fisiologia
2.
Ci. Anim. bras. ; 16(2): 251-261, Abr-Jun. 2015. ilus, tab, graf
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-14924

Resumo

The femoral nerves were studied in newborn goats of Saanen breed (22 males and 11 females) that were collected after natural death and fixed with 10% formaldehyde solution. In males the femoral nerve arose from the ventral spinal branches of L4 and L5 in eight animals (36%); in six animals (27%) it arose from the ventral spinal branches of L5 and L6; in five animals (23%) it arose from the ventral spinal branches of L5; in two animals (9%) it arose from the ventral spinal branches of L4, L5 and L6 and in one animal (5%) it arose from the ventral spinal branches of L5 and L6 and the ventral spinal branches of S1. In females the femoral nerve arose from the ventral spinal branches of L4 and L5 in seven animals (64%); in three animals (27%) it arose from the ventral spinal branches of L5 and L6 and in one animal (9%) it arose from the ventral spinal branches of L4, L5 and L6. In all animals, the femoral nerves were distributed in different branches to the major and minor psoas, femoris quadriceps, sartorius and pectinius muscles.(AU)


O nervo femoral foi estudado em 33 caprinos recém-natos da raça Saanen (22 machos e 11 fêmeas), que, após morte natural, foram fixados com solução de formaldeído a 10%. Nos machos, o nervo femoral teve sua origem nos ramos espinhais ventrais de L4 e L5 em oito animais (36%); em seis animais (27%) teve sua origem nos ramos espinhais ventrais de L5 e L6; em cinco animais (23%) teve sua origem no ramo espinhal ventral de L5; em dois animais (9%) teve sua origem nos ramos espinhais ventrais de L4, L5 e L6; em um animal (5%) teve sua origem dos ramos espinhais ventrais de L5 e L6 e no ramo espinhal ventral de S1. Nas fêmeas, teve sua origem nos ramos espinhais ventrais de L4 e L5 em sete animais (64%); em três animais (27%) teve sua origem nos ramos espinhais ventrais de L5 e L6 e em um animal (9%) teve sua origem nos ramos espinhais ventrais de L4, L5 e L6. Os nervos femorais emitiram, em todos os animais, número variável de ramos para os músculos psoas maior, psoas menor, quadríceps femoral, sartório e pectíneo.(AU)


Assuntos
Animais , Ruminantes/anatomia & histologia , Animais Recém-Nascidos/anatomia & histologia , Fêmur/anatomia & histologia , Tecido Nervoso/anatomia & histologia , Variação Anatômica/fisiologia
3.
Ci. Anim. bras. ; 16(2)2015.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-745085

Resumo

The femoral nerves were studied in newborn goats of Saanen breed (22 males and 11 females) that were collected after natural death and fixed with 10% formaldehyde solution. In males the femoral nerve arose from the ventral spinal branches of L4 and L5 in eight animals (36%); in six animals (27%) it arose from the ventral spinal branches of L5 and L6; in five animals (23%) it arose from the ventral spinal branches of L5; in two animals (9%) it arose from the ventral spinal branches of L4, L5 and L6 and in one animal (5%) it arose from the ventral spinal branches of L5 and L6 and the ventral spinal branches of S1. In females the femoral nerve arose from the ventral spinal branches of L4 and L5 in seven animals (64%); in three animals (27%) it arose from the ventral spinal branches of L5 and L6 and in one animal (9%) it arose from the ventral spinal branches of L4, L5 and L6. In all animals, the femoral nerves were distributed in different branches to the major and minor psoas, femoris quadriceps, sartorius and pectinius muscles.


O nervo femoral foi estudado em 33 caprinos recém-natos da raça Saanen (22 machos e 11 fêmeas), que, após morte natural, foram fixados com solução de formaldeído a 10%. Nos machos, o nervo femoral teve sua origem nos ramos espinhais ventrais de L4 e L5 em oito animais (36%); em seis animais (27%) teve sua origem nos ramos espinhais ventrais de L5 e L6; em cinco animais (23%) teve sua origem no ramo espinhal ventral de L5; em dois animais (9%) teve sua origem nos ramos espinhais ventrais de L4, L5 e L6; em um animal (5%) teve sua origem dos ramos espinhais ventrais de L5 e L6 e no ramo espinhal ventral de S1. Nas fêmeas, teve sua origem nos ramos espinhais ventrais de L4 e L5 em sete animais (64%); em três animais (27%) teve sua origem nos ramos espinhais ventrais de L5 e L6 e em um animal (9%) teve sua origem nos ramos espinhais ventrais de L4, L5 e L6. Os nervos femorais emitiram, em todos os animais, número variável de ramos para os músculos psoas maior, psoas menor, quadríceps femoral, sartório e pectíneo.

4.
Ciênc. anim. bras. (Impr.) ; 15(3): 330-338, Jul-Set. 2014. tab, ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1473340

Resumo

The aim of this study was to describe the main branches of the basilar artery, formation of the arterial circuit and the morphometry of the brain in adult crossbreed horses of both sexes. The setting was made by plastic tube inserted into the common carotid artery with 10% formaldehyde solution. After fixed, latex solution stained with pigment was injected. Craniotomy, morphometry of the brain and dissection were made to identify the main branches of the basilar arteries and the formation of the arterial circuit. The mean and standard error of the mean of the basilar artery was 3.629 cm ± 0.1550 in males and 4.423 cm ± 0.1990 in females (p=0.0037). In all animals the basilar artery originated from the fusion of the vertebral arteries giving rise to caudal cerebellar arteries, different numbers of branches to bulbus and pons, terminal branches and rostral cerebellar arteries. The arteries of the base of the brain depended on the carotid and vertebral-basilar systems. The brain circuit was closed rostrally and caudally in all horses.


O objetivo desta investigação foi caracterizar a morfometria do encéfalo e a formação do circuito arterial em equinos adultos mestiços de ambos os sexos. A fixação foi feita através de cânula plástica introduzida na artéria carótida comum com solução de formaldeído a 10%.  Em seguida, foram feitas repleções vasculares com solução aquosa de Petrolátex S65 corado com pigmento Suvinil vermelho. Procedeu-se a craniotomia, remoção e morfometria dos encéfalos e dissecção para a observação das ramificações principais da artéria basilar e formação do circuito arterial. A média mais erro padrão da média do comprimento da artéria basilar foi de 3,629 cm ± 0,1550 nos machos e 4,423 cm ± 0,1990 nas fêmeas (p=0,0037). Em todos os equinos dissecados, a artéria basilar originou-se da convergência das artérias vertebrais, emitindo a artéria cerebelar caudal, ramos variados para bulbo e ponte, ramos terminais e artérias cerebelares rostrais. As artérias da base do encéfalo estiveram na dependência dos sistemas carótico e vértebrobasilar. O circuito arterial do cérebro apresentou-se fechado rostral e caudalmente em 100% dos animais dissecados.


Assuntos
Animais , Artérias/anatomia & histologia , Cavalos/anatomia & histologia , Cérebro/anatomia & histologia , Artéria Basilar/anatomia & histologia , Artéria Vertebral/anatomia & histologia , Dissecação/métodos , Dissecação/veterinária
5.
Ci. Anim. bras. ; 15(3)2014.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-745038

Resumo

The aim of this study was to describe the main branches of the basilar artery, formation of the arterial circuit and the morphometry of the brain in adult crossbreed horses of both sexes. The setting was made by plastic tube inserted into the common carotid artery with 10% formaldehyde solution. After fixed, latex solution stained with pigment was injected. Craniotomy, morphometry of the brain and dissection were made to identify the main branches of the basilar arteries and the formation of the arterial circuit. The mean and standard error of the mean of the basilar artery was 3.629 cm ± 0.1550 in males and 4.423 cm ± 0.1990 in females (p=0.0037). In all animals the basilar artery originated from the fusion of the vertebral arteries giving rise to caudal cerebellar arteries, different numbers of branches to bulbus and pons, terminal branches and rostral cerebellar arteries. The arteries of the base of the brain depended on the carotid and vertebral-basilar systems. The brain circuit was closed rostrally and caudally in all horses.


O objetivo desta investigação foi caracterizar a morfometria do encéfalo e a formação do circuito arterial em equinos adultos mestiços de ambos os sexos. A fixação foi feita através de cânula plástica introduzida na artéria carótida comum com solução de formaldeído a 10%. Em seguida, foram feitas repleções vasculares com solução aquosa de Petrolátex S65 corado com pigmento Suvinil vermelho. Procedeu-se a craniotomia, remoção e morfometria dos encéfalos e dissecção para a observação das ramificações principais da artéria basilar e formação do circuito arterial. A média mais erro padrão da média do comprimento da artéria basilar foi de3,629 cm ± 0,1550 nos machos e 4,423 cm ± 0,1990 nas fêmeas (p=0,0037). Em todos os equinos dissecados, a artéria basilar originou-se da convergência das artérias vertebrais, emitindo a artéria cerebelar caudal, ramos variados para bulbo e ponte, ramos terminais e artérias cerebelares rostrais. As artérias da base do encéfalo estiveram na dependência dos sistemas carótico e vértebrobasilar. O circuito arterial do cérebro apresentou-se fechado rostral e caudalmente em 100% dos animais dissecados.

6.
Ci. Anim. bras. ; 15(3): 330-338, Jul-Set. 2014. tab, ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-381325

Resumo

The aim of this study was to describe the main branches of the basilar artery, formation of the arterial circuit and the morphometry of the brain in adult crossbreed horses of both sexes. The setting was made by plastic tube inserted into the common carotid artery with 10% formaldehyde solution. After fixed, latex solution stained with pigment was injected. Craniotomy, morphometry of the brain and dissection were made to identify the main branches of the basilar arteries and the formation of the arterial circuit. The mean and standard error of the mean of the basilar artery was 3.629 cm ± 0.1550 in males and 4.423 cm ± 0.1990 in females (p=0.0037). In all animals the basilar artery originated from the fusion of the vertebral arteries giving rise to caudal cerebellar arteries, different numbers of branches to bulbus and pons, terminal branches and rostral cerebellar arteries. The arteries of the base of the brain depended on the carotid and vertebral-basilar systems. The brain circuit was closed rostrally and caudally in all horses.(AU)


O objetivo desta investigação foi caracterizar a morfometria do encéfalo e a formação do circuito arterial em equinos adultos mestiços de ambos os sexos. A fixação foi feita através de cânula plástica introduzida na artéria carótida comum com solução de formaldeído a 10%.  Em seguida, foram feitas repleções vasculares com solução aquosa de Petrolátex S65 corado com pigmento Suvinil vermelho. Procedeu-se a craniotomia, remoção e morfometria dos encéfalos e dissecção para a observação das ramificações principais da artéria basilar e formação do circuito arterial. A média mais erro padrão da média do comprimento da artéria basilar foi de 3,629 cm ± 0,1550 nos machos e 4,423 cm ± 0,1990 nas fêmeas (p=0,0037). Em todos os equinos dissecados, a artéria basilar originou-se da convergência das artérias vertebrais, emitindo a artéria cerebelar caudal, ramos variados para bulbo e ponte, ramos terminais e artérias cerebelares rostrais. As artérias da base do encéfalo estiveram na dependência dos sistemas carótico e vértebrobasilar. O circuito arterial do cérebro apresentou-se fechado rostral e caudalmente em 100% dos animais dissecados.(AU)


Assuntos
Animais , Cavalos/anatomia & histologia , Cérebro/anatomia & histologia , Artérias/anatomia & histologia , Dissecação/métodos , Dissecação/veterinária , Artéria Basilar/anatomia & histologia , Artéria Vertebral/anatomia & histologia
7.
Pesqui. vet. bras ; 30(8): 685-688, 2010. ilus, tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-14109

Resumo

A busca pela compreensão do funcionamento do sistema nervoso resultou em um aumento de estudos morfológicos sobre a vascularização encefálica em diferentes espécies animais. As artérias encefálicas são a principal rota para transporte de sangue para o cérebro e, portanto têm um papel essencial na manutenção de atividade normal do mesmo, o que desperta, devido sua importância funcional, o interesse pela realização de vários estudos. A artéria caroticobasilar foi investigada em animais da ordem Perissodactyla, de espécies da família dos eqüídeos. Pesquisou-se a frequência da artéria caroticobasilar em 30 encéfalos de equinos adultos e mestiços, do sexo masculino. As observações realizadas mostraram que este importante vaso apresentou as seguintes frequências absolutas e percentuais: presente em 15(50 por cento) dos encéfalos examinados sendo 4 (13,3 por cento) no antímero direito, 6 (20 por cento) no antímero esquerdo e 5 (16,7 por cento) em ambos os antímeros.(AU)


The search for the functional understanding of the nervous system has resulted in an increase of morphological studies about encephalic vascularization in different animal species. The encephalic arteries are the main rote for blood transport to the brain and therefore have an essential role in the maintenance of normal brain activity. The functional importance of these vessels has led to various studies. The caroticobasilar artery was investigated in animals of order Perissodactyla, in species of Equidae family. The frequency of caroticobasilar artery was studied in 30 adult male crossbreed brain horses. The observations showed that this important vessel presented the following absolute and percentual frequencies: present in 15 (50 percent) brains 4 (13.3 percent) in the right antimere, 6 (20 percent) in the left antimere and 5 (16.7 percent) on both antimeres.(AU)


Assuntos
Animais , Masculino , Adulto , Cavalos/cirurgia , Sistema Nervoso Central/anatomia & histologia , Sistema Nervoso Central/irrigação sanguínea , Artérias Cerebrais/anatomia & histologia , Artéria Carótida Interna
8.
Braz. j. vet. res. anim. sci ; 36(4): 219-222, 1999. tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-2480

Resumo

Objetivando avaliar a eficiência da técnica de punção hepática no diagnóstico da fasciolose ovina, quer aguda, subaguda ou crônica, em regiões endêmicas, esta foi experimentada em dois grupos de animais. O grupo 1, constando de 65 deles, posteriormente sacrificados, e o grupo 2, envolvendo 12 ovinos previamente selecionados ao acaso, de um rebanho original de 250, ambos oriundos do Município de Santa Vitória do Palmar, RS. Os resultados, em ambos os grupos, corroboraram os achados dos exames coprológicos; e, em algumas amostras em que estes resultaram negativos, a positividade foi confirmada através da técnica da punção-biópsia. Demonstra-se, assim, ser esse um excelente instrumento no diagnóstico da F. hepatica, nas três fases, principalmente quando acompanhados de informações quanto à epidemiologia da doença na região. (AU)


Assuntos
Fasciola hepatica/isolamento & purificação , Fasciolíase/diagnóstico , Fasciolíase/veterinária , Biópsia por Agulha/métodos , Ovinos
9.
Rev. bras. ciênc. vet ; 3(1): 1-3, jan./abril 1996. il.
Artigo em Português | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-1402121

Resumo

A comparação entre três técnicas coproparasitológicas para o diagnóstico de ovos de Fasciola hepática em fezes de bovinos, testadas para o mesmo grupo de animais, demonstrou convergência de resultados nos 1439 de 37 propriedades rurais. As pequenas diferenças observadas foram estatisticamente não significativas. O estudo concluiu que as três técnicas podem ser utilizadas como rotina para o diagnóstico da fasciolose, mas sugere que em condições de campo, a técnica de Girão ou dos quatro tamises seja a indicada.


The comparison of the three coproparasitological technics for diagnosis of Fasciola hepatica eggs in cattle faeces, performed at the same groups of animais, gave highly convergent results in 1439 bovines from 67 farms. In weak difference the results were no discordant significant. The study concluded that the three technics can be used in routine procedure for the diagnosis of F. hepatica, but allow to suggest that in field situation, the Girão's technics must be indicated and used.


Assuntos
Animais , Bovinos , Contagem de Ovos de Parasitas/veterinária , Bovinos/parasitologia , Técnicas de Laboratório Clínico/veterinária , Fasciola hepatica/parasitologia , Fezes/parasitologia
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA