Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 1 de 1
Filtrar
Mais filtros

Base de dados
Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Semina ciênc. agrar ; 44(1): 185-202, jan.-fev. 2023. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1418817

Resumo

The objective of this study was to analyze the immune responses of bucks to small ruminant lentivirus (SRLV) with a focus on the reproductive system of males with recent and chronic infection. A total of 12 bucks were selected, six seronegative and six seropositive with chronic natural infection for more than 18 months (chronic infection group). After selecting the animals, the six seronegative males were intravenously inoculated with caprine arthritis-encephalitis virus (CAEV)-Co viral strain at a titer of 10-5,6 TCID50/mL. After viral inoculation, this group was called the recent infection group and was monitored weekly with the chronically infected group for 180 days with blood serum and seminal plasma Western Blot (WB) analysis. Of the animals with chronic SRLV infection, 18.94% (50/264) showed anti-SRLV antibodies in at least one of the samples, and 81.06% (214/264) were negative. Anti-SRLV antibodies were detected in 27.27% (36/132) of the blood serum samples from this group, while 10.60% (14/132) were reactive in the seminal plasma WB test. The animals inoculated with CAEV-Co became seropositive after the third week of viral inoculation. In this group, 31.06% (41/132) of seminal plasma samples had anti-SRLV antibodies, and of these, 70.73% (29/41) coincided with blood serum results. Of the remaining 29.27% (12/41), the seminal plasma sample of only three animals (RIA2, RIA3, and RIA5) had anti-SRLV antibodies. One of the animals with a recent infection presented anti-SRLV antibodies only in seminal plasma samples, possibly due to virus compartmentalization. Intermittent viral shedding was observed in both biological samples, regardless of the infection stage. The immune response in bucks with recent SRLV infection is more significant than in chronically infected animals. Regardless of the stage of infection, there is a fluctuation in antibody levels, therefore, this creates a risk of false-negative samples when performing the diagnosis.


O objetivo desse estudo foi analisar a resposta imunológica aos lentivírus de pequenos ruminantes (LVPR) com enfoque no sistema reprodutor de machos com infecção recente e crônica. Para isso, foram selecionados 12 reprodutores caprinos, sendo seis soronegativos e seis soropositivos com infecção natural crônica há mais de 18 meses (grupo com infecção crônica). Após seleção dos animais, os seis machos soronegativos foram inoculados com a cepa viral do vírus da artrite encefalite caprina (CAEV)-Co, título 10-5,6 TCID50/mL, por via intravenosa. A partir da inoculação viral este agrupamento passou a ser denominado de grupo com infecção recente e juntamente com o grupo com infecção crônica foram acompanhados, semanalmente por 180 dias, com análise dos testes de Western Blot (WB) no soro sanguíneo e plasma seminal. Nos animais com infecção crônica para LVPR, 18,94% (50/264) apresentaram anticorpos anti-LVPR em pelo menos uma das distintas amostras, e 81,06% (214/264) tiveram resultados negativos. Das amostras de soro sanguíneo do referido grupo, em 27,27% (36/132) detectou-se anticorpos anti-LVPR, enquanto que no plasma seminal 10,60% (14/132) foram reagentes no teste de WB. Nos animais inoculados com o CAEV-Co, ocorreu a soroconversão após a terceira semana da inoculação viral. Nesse grupo, 31,06% (41/132) das amostras de plasma seminal tiveram anticorpos anti-LVPR, sendo que dessas 41, 70,73% (29/41) coincidiram com resultado das amostras de soro sanguíneo. Nos 29,27% (12/41) restante, houve a detecção somente no plasma seminal e eram amostras provenientes de três animais (AIR2, AIR3 e AIR5). Em um dos animais com infecção recente, só foi identificado anticorpos anti-LVPR em amostras de plasma seminal, possivelmente em função da compartimentalização do vírus. Intermitência viral foi observada em ambas as amostras biológicas, independentemente do estágio de infecção. Conclui-se que a resposta imunológica em reprodutores com infecção recente LVPR é mais acentuada do que em animais cronicamente infectados. E, independentemente do estágio da infecção há uma flutuação nos níveis de anticorpos, sendo, portanto, um fator de risco, em virtude da existência de amostras falso-negativo ao realizar o diagnóstico.


Assuntos
Animais , Ruminantes , Infecções por Lentivirus/veterinária , Doenças dos Genitais Masculinos
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA