Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 1 de 1
Filtrar
Mais filtros

Base de dados
Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Acta amaz ; 52(3): 179-188, 2022. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1392762

Resumo

The insecticidal effect of the essential oil of Piper aduncum (EOPA), and of its constituent dillapiole [1-allyl-2,3-dimethoxy-4,5- (methylenedioxy) benzene] in particular, is well documented in the literature and can be associated with its interference with the enzymatic detoxification in arthropods. However, no data exist on the range of dillapiole content associated with insecticidal activity, which is necessary to establish reliable dose-activity parameters for a formulated product. The oil composition can also change during storage after distillation, mainly due to environmental factors such as light incidence, atmospheric oxygen and temperature, which can be deleterious to oil quality. In this study, EOPA subjected to different storage conditions over four years and its rectified fractions were submitted to bioassays to evaluate their insecticidal effect by topical contact and residual contact against Spodoptera frugiperda. Our objectives were to determine the relationship between dillapiole content and the insecticidal activity of EOPA, and to evaluate its chemical and toxicological properties over time under different conditions. Our results showed that EOPA was stable with respect to the dillapiole content and the toxicological effect against S. frugiperda under different storage conditions for four years. The overall chemical composition of the EOPA did not vary significantly among storage conditions. EOPA with dillapiole content ranging between 68% and 100% showed greater insecticidal toxicity by residual and topical contact against S. frugiperda larvae.(AU)


O efeito inseticida do óleo essencial de Piper aduncum (OEPA) e, particularmente, de seu constituinte dilapiol [1-alil-2,3- dimetoxi-4,5-(metilenodioxi) benzeno], está bem documentado na literatura e pode estar associado à sua interferência na desintoxicação enzimática em artrópodes. No entanto, não existem dados sobre a amplitude de teores de dilapiol associados à atividade inseticida, o que é necessário para estabelecer parâmetros de dose-atividade confiáveis para um produto formulado. A composição do óleo também pode sofrer alterações durante seu armazenamento após a destilação, principalmente devido a fatores ambientais como incidência de luz, oxigênio atmosférico e temperatura, que podem ser deletérios à qualidade do óleo. Neste estudo, durante quatro anos, OEPA submetido a diferentes condições de armazenamento e suas frações retificadas foram submetidos a bioensaios para avaliar seu efeito inseticida por contato tópico e contato residual contra Spodoptera frugiperda. Nossos objetivos foram determinar a relação entre o teor de dilapiol e a atividade inseticida do OEPA, e avaliar suas propriedades químicas e toxicológicas ao longo do tempo sob diferentes condições. Nossos resultados mostraram que o OEPA foi estável em relação ao teor de dilapiol e o efeito toxicológico contra S. frugiperda sob diferentes condições de armazenamento durante quatro anos. A composição química do OEPA não variou significativamente entre as condições de armazenamento. OEPA com teor de dilapiol entre 68% e 100% apresentou maior toxicidade inseticida por contato residual e tópico contra larvas de S. frugiperda.(AU)


Assuntos
Piper/efeitos adversos , Inseticidas/efeitos adversos , Éteres Fenílicos/administração & dosagem , Óleos Voláteis/administração & dosagem
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA