Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 9 de 9
Filtrar
Mais filtros

Intervalo de ano de publicação
1.
Rev. bras. zootec ; 51: e20220087, 2022. ilus, tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1442799

Resumo

The objective of this study was to investigate the effects of recombinant adiponectin on chicken liver cells. The full-length chicken adiponectin gene was amplified by PCR and cloned into the vector pET-32a, followed by the transformation of the vector into Escherichia coli BL21. SDS-PAGE was used to detect and analyze the purity of the expressed recombinant protein. Induction was performed with 1 mM IPTG at 30 °C for 3 h, and the recombinant thioredoxin­adiponectin fusion protein was purified using Ni-NTA affinity chromatography. Chicken adiponectin was successfully expressed and purified in a bacterial system. In addition, the chicken recombinant adiponectin demonstrated that it ameliorates palmitic acid- and oleic acid-induced adipogenesis, in which an increase in ß-oxidation and a decrease in lipogenesis-related genes may be involved. In summary, chicken recombinant adiponectin enhances fatty acid metabolism in LMH cells.(AU)


Assuntos
Animais , Galinhas/metabolismo , Adiponectina/efeitos adversos , Ácidos Graxos/análise , Ácido Palmítico/efeitos adversos , Ácido Oleico/efeitos adversos
2.
Acta cir. bras. ; 35(1): e202000107, Mar. 23, 2020. ilus, tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-25792

Resumo

Purpose Patients with diabetes are vulnerable to myocardial I/R (ischaemia/reperfusion) injury, but are not responsive to IPO (ischaemic post-conditioning). We hypothesized that decreased cardiac Adiponectin (APN) is responsible for the loss of diabetic heart sensitivity to IPO cardioprotecton. Methods Diabetic rats were subjected to I/R injury (30 min of LAD occlusion followed by 120 min of reperfusion). Myocardial infarct area was determined by TTC staining. Cardiac function was monitored by a microcatheter. ANP, 15-F2t-isoprostane, nitrotyrosine and MDA were measured by assay kits. Levels of p-Akt, total-Akt and GAPDH were determined by Western Blot. Results Diabetic rats subjected to myocardial IR exhibited severe myocardial infarction and oxidative stress injury, lower APN in the plasma and cardiac p-Akt expression ( P <0.05). IPO significantly attenuated myocardial injury and up-regulated plasma APN content and cardiac p-Akt expression in non-diabetic rats but not in diabetic rats. Linear correlation analysis showed that the expression of adiponectin was positively correlated with p-Akt and negatively correlated with myocardial infarction area ( P <0.01). Conclusion Protective effect of IPO was tightly correlated with the expression of adiponectin, exacerbation of I/R injury and ineffectiveness of IPO was partially due to the decline of adiponectin and inactivation of Akt in diabetes mellitus.(AU)


Assuntos
Animais , Ratos , Camundongos Endogâmicos NOD , Adiponectina/análise , Pós-Condicionamento Isquêmico , Traumatismo por Reperfusão/fisiopatologia
3.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online) ; 71(5): 1741-1744, set.-out. 2019. tab
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-1038676

Resumo

Em seres humanos, a adiponectinemia está associada à obesidade e ao risco aumentado a uma ampla variedade de cânceres. Embora o papel dessa adipocina esteja bem documentado na patogênese do câncer em humanos, tal associação permanece a ser determinada em cães. Nesses animais, a relação da adiponectina com a carcinogênese parece ser ainda meramente especulativa. Nesse contexto, buscou-se nesta investigação comparar os níveis séricos de adiponectina em fêmeas hígidas e em portadoras de carcinomas mamários com diagnóstico histopatológico de carcinoma mamário tubular simples estágio 4, com comprometimento de linfonodos, porém sem metástases a distância detectadas. Foi observado que as cadelas diagnosticadas com carcinoma mamário tiveram níveis séricos de adiponectina significativamente menores (média de 3,72±1,54µg/mL, P<0,05) em relação às fêmeas consideradas hígidas (média de 5,61±2,18µgl/mL), sugerindo associação entre câncer e hipoadiponectinemia similar à encontrada em humanos. Em relação à idade e ao peso corporal dos animais do estudo, não foi encontrada diferença significativa entre os grupos. Os resultados encontrados nas cadelas portadoras de carcinoma mamário do presente estudo corroboram a associação já descrita em humanos entre ocorrência de carcinogênese e baixos níveis de adiponectina.(AU)


Assuntos
Animais , Feminino , Cães , Adenocarcinoma/sangue , Adenocarcinoma/veterinária , Adiponectina , Obesidade/complicações , Obesidade/veterinária
4.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online) ; 71(5): 1741-1744, set.-out. 2019. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-25304

Resumo

Em seres humanos, a adiponectinemia está associada à obesidade e ao risco aumentado a uma ampla variedade de cânceres. Embora o papel dessa adipocina esteja bem documentado na patogênese do câncer em humanos, tal associação permanece a ser determinada em cães. Nesses animais, a relação da adiponectina com a carcinogênese parece ser ainda meramente especulativa. Nesse contexto, buscou-se nesta investigação comparar os níveis séricos de adiponectina em fêmeas hígidas e em portadoras de carcinomas mamários com diagnóstico histopatológico de carcinoma mamário tubular simples estágio 4, com comprometimento de linfonodos, porém sem metástases a distância detectadas. Foi observado que as cadelas diagnosticadas com carcinoma mamário tiveram níveis séricos de adiponectina significativamente menores (média de 3,72±1,54µg/mL, P<0,05) em relação às fêmeas consideradas hígidas (média de 5,61±2,18µgl/mL), sugerindo associação entre câncer e hipoadiponectinemia similar à encontrada em humanos. Em relação à idade e ao peso corporal dos animais do estudo, não foi encontrada diferença significativa entre os grupos. Os resultados encontrados nas cadelas portadoras de carcinoma mamário do presente estudo corroboram a associação já descrita em humanos entre ocorrência de carcinogênese e baixos níveis de adiponectina.(AU)


Assuntos
Animais , Feminino , Cães , Adenocarcinoma/sangue , Adenocarcinoma/veterinária , Adiponectina , Obesidade/complicações , Obesidade/veterinária
5.
Acta Vet. bras. ; 11(3): 145-149, Sep. 2017. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-17660

Resumo

Adipocytokines are substances produced by adipocytes responsible for the regulation of several physiological processes. Among those substances, leptin and adiponectin have been intensively investigated because of their possible effects on metabolism, reproduction, hematopoiesis and cardiovascular system. The current study aimed to assess the effects of adipocytokines, leptin and adiponectin on cardiac and respiratory functions, as well as on the hematological parameters of healthy female dogs of different breeds. Parameters of rectal temperature, diastolic blood pressure, systolic blood pressure, mean arterial pressure, pulse, heart rate and respiratory rate were evaluated in fifty two healthy female dogs. Blood samples were collected for complete blood count and plasma leptin and adiponectin measurement via ELISA technique. There was no difference in circulating levels of adipocytokines among the different breeds (p ≤ 0,05). Negative correlation between leptin and mean corpuscular hemoglobin concentration was found, while it was positive regarding systolic blood pressure, heart rate and breathing. Adiponectin was positively correlated with red blood cells and platelets and negatively with heart rate, respiratory rate, diastolic blood pressure and pulse. Adipocytokines, leptin and adiponectin, exert regulatory effects on cardiorespiratory function and hematopoiesis in healthy female dogs.(AU)


Assuntos
Animais , Feminino , Cães , Leptina/análise , Adiponectina/análise , Doenças Cardiovasculares/veterinária , Doenças Respiratórias/veterinária , Testes Hematológicos/veterinária , Ensaio de Imunoadsorção Enzimática/veterinária
6.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online) ; 67(3): 707-715, May-Jun/2015. tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-303238

Resumo

O objetivo deste estudo é comparar e descrever medidas morfométricas e perfil energético de éguas da raça Crioula no terço final da gestação. Foram utilizadas vinte éguas gestantes, divididas em 2 grupos conforme o escore corporal (BCS); o GrN (n=10), grupo de éguas com BCS 5 ou moderado, e GrO (n=10), grupo de éguas obesas ou BCS 9, analisadas conforme o mês de gestação (8º, 9º, 10º e 11º). Foram realizadas coletas de sangue e avaliações morfométricas mensais do peso corporal (PC), perímetro torácico (PT), perímetro abdominal (PA), altura da crista do pescoço (AC), espessura de gordura subcutânea na base da cauda (EGBC) e espessura de gordura retroperitoneal (EGRP). Para avaliar o perfil energético, foram mensurados os níveis séricos de triglicerídeos (TAG), ácidos graxos não esterificados (NEFA), Leptina (LEP) e Adiponectina. Os resultados das mensurações analisadas demonstraram no GrN incremento (P<0,05) nas variáveis PC, PT, PA e NEFA do 8º para o 9º mês de gestação. Porém, na variável EGBC, o aumento (P<0,01) foi observado entre o 8º e o 11º mês avaliado. No GrO, o PA demonstrou incremento (P<0,01) entre o 8º e o 11º mês de gestação, e a LEP apresentou aumento (P<0,05) entre o 10º e o 11º mês. Quando os dois grupos foram comparados, as variáveis PC, PT, EGBC e EGRP apresentaram diferença (P<0,05) em todos os meses avaliados. Na análise de correlação, o BCS associou-se com o PC (r=0,691; P<0,0001), PT (r=0,705; P<0,0001), EGBC (r=0,701; P<0,0001), EGRP (r=0,627; P<0,0001), níveis séricos de LEP (r=0,426; P<0,0001) e Adiponectina (r=0,217; P<0,05). Dessa forma, pode-se afirmar que a gordura corporal aumentou progressivamente nas éguas do GrN, diferentemente do observado no GrO. Através dos métodos utilizados neste trabalho, torna-se possível a avaliação prática da morfometria das éguas da raça Crioula no terço final da gestação, possibilitando de forma objetiva a identificação de indivíduos obesos(AU)


The aim of this study was to compare and describe morphometric measurements and energy profile of the Crioula breed mares at the end of gestation. Twenty pregnant mares were used and separated into 2 groups according to body condition score (BCS). The GrN (n= 10) group of mares with BCS 5 or moderate and GrO (n = 10) group of obese mares or BCS 9 were analyzed according to the month of pregnancy (8th, 9th, 10th and 11th). Blood samples and monthly morphometric evaluation were performed for body weight (PC), heart girth (PT), waist circumference (PA), height of the crest of the neck (AC), thickness subcutaneous fat on the base of the tail (EGBC) and retroperitoneal (EGRP). To evaluate the energy profile serum levels of triglycerides (TAG), non-esterified fatty acids (NEFA), leptin (LEP) and adiponectin were measured. The results of the analyzed measurements showed an increase in GrN (P<0.05) in the PC, PT, PA and NEFA variables between the 8th and 9th month of pregnancy. Although there was an increase (P<0.01) between the 8th and 11th month of pregnancy in the EGBC variable, in GrO the PA was increased (P<0.01) between the 8th and 11th month of pregnancy and the LEP showed an increase (P<0.05) between the 10th and 11th month. When both groups were compared, the variables PC, PT, EGBC and EGRP showed differences (P<0.05) in all months evaluated. In the correlation the BCS was associated with PC (r=0.691, P<0.0001), PT (r=0.705, P<0.0001), EGBC (r=0.701, P<0.0001), EGRP (r=0.627, P<0.0001), serum leptin levels (r=0.426, P<0.0001) and adiponectin (r=0.217, P<0.05). Thus, it can be stated that the body fat increased progressively in mares GrN, different from that observed in GrO. Therefore, by the methods used in this study, the morphometry practical evaluation of the Crioula breed mares in the last third of gestation became possible, allowing an objective way to identify obese individuals(AU)


Assuntos
Animais , Feminino , Gravidez , Cavalos/anatomia & histologia , Metabolismo Energético/fisiologia , Pesos e Medidas Corporais/veterinária , Obesidade/veterinária , Leptina/análise , Adiponectina/análise
7.
Pesqui. vet. bras ; 32(10): 1055-1060, out. 2012. ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-3788

Resumo

No ciclo estral de cadelas a fase luteínica, denominada diestro, compreende um período que varia de 60 a 100 dias em animais não-prenhes, caracterizado pela elevação plasmática de progesterona nos primeiros 20 dias pós ovulação (p.o). A adiponectina é a mais abundante proteína secretada pelo tecido adiposo, porém sua concentração plasmática diminui significativamente em alterações metabólicas como resistência insulínica e Diabetes mellitus tipo2, alterações descritas como relacionadas em algumas cadelas com o período de diestro. O objetivo do estudo foi determinar a expressão e imunolocalização do sistema adiponectina (adiponectina e seus receptores, adipoR1 e adipoR2) no corpo lúteo de cadelas ao longo do diestro, correlacionando-o ao perfil hormonal de 17β-estradiol e progesterona, assim como à expressão de um dos genes alvo do sistema, o PPAR-γ. Para realização do estudo foram coletados corpos lúteos de 28 cadelas durante ovariosalpingohisterectomia de eleição nos dias 10, 20, 30, 40, 50, 60 e 70 pós ovulação (o dia zero da ovulação foi considerado aquele no qual a concentração plasmática de progesterona atingiu 5ng/mL). Os corpos lúteos foram avaliados por imunohistoquímica para adiponectina e seus receptores e a expressão do RNAm do PPAR-γ por PCR em tempo real. A análise estatística da avaliação gênica foi realizada com o teste ANOVA, seguido por comparação múltipla Newman-Keuls. O sinal da adiponectina apresentou-se mais intenso até os primeiros 20 dias p.o, momento de regência da progesterona; houve queda gradativa após este período, coincidindo com a ascensão do 17β-estradiol, cujo pico foi notado próximo do dia 40 p.o. A queda marcante da adiponectina ocorreu após 50 dias p.o. O sinal do adipoR1 mostrou-se bem evidente até os 40 dias p.o e o do adipoR2 até os 50 dias p. o, decaindo posteriormente. Foi observada maior expressão do gene PPAR-γ aos 10, 30 e 70 dias p.o. Estes resultados mostram que a expressão protéica da adiponectina e de seus receptores se altera ao longo do diestro e que estas alterações podem estar relacionados às alterações hormonais e expressão do PPAR- γ, participando do mecanismo fisiológico de desenvolvimento, manutenção, atividade e regressão luteínica em cadelas.(AU)


In the estrous cycle of bitches, the luteal phase or diestrus includes a period ranging from 60 to 100 days in non-pregnant animals, characterized by elevated serum progesterone during the first 20 days post-ovulation (p.o). Adiponectin is the most abundant protein secreted by adipose tissue, but plasma concentration decreases significantly in metabolic disorders like insulin resistance and diabetes mellitus type 2, described as related changes in some bitches in diestrus. The aim of this study was to determine the expression and immunolocalization of the adiponectin system (adiponectin, and adipoR1 adipoR2) in the corpus luteum during diestrus, and correlate it to hormonal profile of 17β-estradiol and progesterone, as well as the expression of a gene target of the system, the PPAR-γ. For the study, corpora lutea were collected from 28 dogs during ovariosalpingohysterectomy on days 10, 20, 30, 40, 50, 60 and 70 post ovulation (day zero of ovulation was considered the day when the plasma progesterone concentration reached 5ng/mL). The corpora lutea were evaluated by immunohistochemistry for adiponectin, adipoR1 and adipoR2 and mRNA expression of PPAR-γ by real-time PCR. Statistical analysis of gene expression was performed with ANOVA followed by Newman-Keuls multiple comparisons. Adiponectin positive signal was stronger during the first 20 days p.o, time of the regency of progesterone; there was a gradual adiponectin and progesterone decline after this period, coinciding with the rise of 17β-estradiol, whose peak was near the 40 days p.o. The markedly adiponectin decrease occurred after 50 days p.o. The signal of adipoR1 was markedly evident at 40 days p.o and that of adipoR2 up to 50 days p.o, declining afterwards. We observed higher expression of PPAR-γ gene at 10, 30 and 70 days p.o. These results show that adiponectin and its receptors protein expression is altered during the diestrus and that these changes may be related to hormonal changes and expression of PPAR-γ, participating in the physiological mechanism of development, maintenance, activity and luteal regression in bitches.(AU)


Assuntos
Animais , Feminino , Cães , Adiponectina/biossíntese , Tecido Adiposo Branco/metabolismo , Diestro/metabolismo , Hormônios do Corpo Lúteo/metabolismo , PPAR gama/metabolismo , Receptores de Adiponectina , Caspase 3 , Marcação In Situ das Extremidades Cortadas
8.
São Paulo; s.n; 28/08/2012. 160 p. ilus, tab.
Tese em Português | VETINDEX | ID: biblio-1505059

Resumo

A obesidade é definida como acúmulo excessivo de gordura corpórea, derivada de um desequilíbrio crônico entre energia ingerida e gasta. Neste desequilíbrio estão relacionados fatores como estilo de vida (dieta e atividade física), alterações neuro-endócrinas e fatores hereditários (MARQUES-LOPES et al., 2004). A obesidade não acomete apenas seres humanos, tornando-se um elemento importante de estudos e pesquisas, inclusive em animais de companhia como cães e gatos. O diagnóstico da obesidade geralmente é feito por inspeção direta. Cães e gatos devem ter costelas facilmente palpáveis com configuração de ampulheta, quando vistos de cima. Incapacidade de palpar as costelas e presença de depósitos de gordura facilmente palpáveis na base da cauda, sobre os quadris ou na área inguinal sugerem obesidade. Condições ideais de gordura corporal giram em torno de 15% a 20% para cães (LEWIS et al., 1987). O tecido adiposo é conhecido como um local de armazenamento de energia e síntese de vários hormônios, dentre eles, destaca-se a adiponectina, proteína responsável pela correlação entre obesidade associada à ateroesclerose (ISHIOKA et al., 2006). Expressa exclusivamente em adipócitos, sua concentração plasmática diminui com o aumento da gordura corporal (ISHIOKA et al., 2006). Vários estudos têm sugerido também que a adiponectina tenha seus efeitos como uma molécula anti-aterogênica e anti-inflamatória, demonstrando ser um fator de proteção para doenças cardiovasculares (OUCHI et al., 1999; OUCHI et al., 2000), porém valores circulantes de adiponectina devem ser interpretados com cautela. Sabe-se que a obesidade em seres humanos está relacionada ao aumento da morbidade e da letalidade por doenças cardiovasculares (ATKINS, 1991; GRUNDY; ABATE, 2004; WOFFORD; HALL, 2004), portanto a mensuração deste polipeptídeo pode auxiliar a demonstrar se pacientes obesos e/ou cardiopatas estão expostos a um maior ou menor risco do desenvolvimento de eventos cardiovasculares. Assim, considerando que os diversos estudos com adiponectina em humanos obesos associado à doenças cardiovasculares são controversos, e os poucos relatos, relativos ao tema, publicados na medicina veterinária, objetivou-se avaliar a concentração sérica de adiponectina em cães: normais, obesos, com doença valvar crônica da mitral e em obesos com insuficiência valvar mitral concomitante, por meio de técnicas laboratoriais de radioimunoensaio (RIE) e enzyme linked immuno sorbent assay (ELISA), verificando se existe correlação entre níveis séricos diminuídos da adiponectina na obesidade e no paciente com insuficiência valvar crônica de mitral. Para isto, selecionaram-se 53 cães de raças, sexo e idades variadas, divididos nos quatro grupos de estudo. Realizou-se avaliação clínica e complementares, além da mensuração das concentrações séricas da adiponectina. O grupo de cães obesos associados à insuficiência valvar crônica mitral apresentou tendência a diminuição nas médias das concentrações circulantes da adiponectina pela técnica de radioimunoensaio, quando comparado aos outros grupos de estudo


Obesity is defined as excessive accumulation of body fat, derived from a chronic imbalance between food intake and energy expended. This imbalance is related factors such as lifestyle (diet and physical activity), neuroendocrine disorders, and hereditary factors (MARQUES-LOPES et al., 2004). Obesity is not only affecting humans, making it an important element of studies and research, including pets such as dogs and cats. The obesity is usually done by direct inspection. Dogs and cats must be easily palpable ribs with hourglass configuration when viewed from above. Inability to palpate the ribs and the presence of fat deposits easily palpable at the base of the tail, on the hips or in the inguinal area suggest obesity. Ideally body fat are around 15% to 20% clothing (LEWIS et al., 1987). Adipose tissue is known as a local energy storage and synthesis of several hormones, among them, there is adiponectin, a protein responsible for the correlation between obesity associated with atherosclerosis (ISHIOKA et al., 2006). Exclusively expressed in adipocytes, its plasmatic concentration decreased with increase in body fat (ISHIOKA et al., 2006). Several studies have also suggested that adiponectin has its effect as a molecule anti-atherogenic and anti-inflammatory, proving to be a protective factor for cardiovascular disease (OUCHI et al., 1999, OUCHI et al., 2000), although values of circulating adiponectin should be interpreted with caution. It is known that obesity in humans is associated with increased morbidity and mortality from cardiovascular disease (ATKINS, 1991; GRUNDY, SLAUGHTER, 2004; WOFFORD; HALL, 2004), so measurement of the polypeptide can help show whether patients obese and / or heart are exposed to a greater or lesser risk of developing cardiovascular events. Thus, considering that several studies of adiponectin in obese humans associated with cardiovascular disease are controversial, and few published reports in veterinary medicine, aimed to evaluate the serum adiponectin in dogs: normal, overweight, with chronic mitral valve disease and In obese patients with concomitant mitral valve insufficiency using laboratory techniques for radioimmunoassay (RIA) and enzyme linked immuno sorbent assay (ELISA), checking whether a correlation exists between low serum adiponectin in obesity and in patients with chronic mitral valve insufficiency. For this, we selected 53 breeds, sex and ages were divided into four study groups. We carried out clinical evaluation and complementary addition to the measurement of serum adiponectin. The group of obese dogs associated with chronic mitral valve regurgitation tended to decrease in mean circulating concentrations of adiponectin by radioimmunoassay, when compared to other study groups


Assuntos
Animais , Cães , Adiponectina/análise , Adiponectina/classificação , Cães/classificação , Cães/crescimento & desenvolvimento , Obesidade/diagnóstico , Valva Mitral
9.
São Paulo; s.n; 28/08/2012. 160 p. ilus, tab.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-1211

Resumo

A obesidade é definida como acúmulo excessivo de gordura corpórea, derivada de um desequilíbrio crônico entre energia ingerida e gasta. Neste desequilíbrio estão relacionados fatores como estilo de vida (dieta e atividade física), alterações neuro-endócrinas e fatores hereditários (MARQUES-LOPES et al., 2004). A obesidade não acomete apenas seres humanos, tornando-se um elemento importante de estudos e pesquisas, inclusive em animais de companhia como cães e gatos. O diagnóstico da obesidade geralmente é feito por inspeção direta. Cães e gatos devem ter costelas facilmente palpáveis com configuração de ampulheta, quando vistos de cima. Incapacidade de palpar as costelas e presença de depósitos de gordura facilmente palpáveis na base da cauda, sobre os quadris ou na área inguinal sugerem obesidade. Condições ideais de gordura corporal giram em torno de 15% a 20% para cães (LEWIS et al., 1987). O tecido adiposo é conhecido como um local de armazenamento de energia e síntese de vários hormônios, dentre eles, destaca-se a adiponectina, proteína responsável pela correlação entre obesidade associada à ateroesclerose (ISHIOKA et al., 2006). Expressa exclusivamente em adipócitos, sua concentração plasmática diminui com o aumento da gordura corporal (ISHIOKA et al., 2006). Vários estudos têm sugerido também que a adiponectina tenha seus efeitos como uma molécula anti-aterogênica e anti-inflamatória, demonstrando ser um fator de proteção para doenças cardiovasculares (OUCHI et al., 1999; OUCHI et al., 2000), porém valores circulantes de adiponectina devem ser interpretados com cautela. Sabe-se que a obesidade em seres humanos está relacionada ao aumento da morbidade e da letalidade por doenças cardiovasculares (ATKINS, 1991; GRUNDY; ABATE, 2004; WOFFORD; HALL, 2004), portanto a mensuração deste polipeptídeo pode auxiliar a demonstrar se pacientes obesos e/ou cardiopatas estão expostos a um maior ou menor risco do desenvolvimento de eventos cardiovasculares. Assim, considerando que os diversos estudos com adiponectina em humanos obesos associado à doenças cardiovasculares são controversos, e os poucos relatos, relativos ao tema, publicados na medicina veterinária, objetivou-se avaliar a concentração sérica de adiponectina em cães: normais, obesos, com doença valvar crônica da mitral e em obesos com insuficiência valvar mitral concomitante, por meio de técnicas laboratoriais de radioimunoensaio (RIE) e enzyme linked immuno sorbent assay (ELISA), verificando se existe correlação entre níveis séricos diminuídos da adiponectina na obesidade e no paciente com insuficiência valvar crônica de mitral. Para isto, selecionaram-se 53 cães de raças, sexo e idades variadas, divididos nos quatro grupos de estudo. Realizou-se avaliação clínica e complementares, além da mensuração das concentrações séricas da adiponectina. O grupo de cães obesos associados à insuficiência valvar crônica mitral apresentou tendência a diminuição nas médias das concentrações circulantes da adiponectina pela técnica de radioimunoensaio, quando comparado aos outros grupos de estudo(AU)


Obesity is defined as excessive accumulation of body fat, derived from a chronic imbalance between food intake and energy expended. This imbalance is related factors such as lifestyle (diet and physical activity), neuroendocrine disorders, and hereditary factors (MARQUES-LOPES et al., 2004). Obesity is not only affecting humans, making it an important element of studies and research, including pets such as dogs and cats. The obesity is usually done by direct inspection. Dogs and cats must be easily palpable ribs with hourglass configuration when viewed from above. Inability to palpate the ribs and the presence of fat deposits easily palpable at the base of the tail, on the hips or in the inguinal area suggest obesity. Ideally body fat are around 15% to 20% clothing (LEWIS et al., 1987). Adipose tissue is known as a local energy storage and synthesis of several hormones, among them, there is adiponectin, a protein responsible for the correlation between obesity associated with atherosclerosis (ISHIOKA et al., 2006). Exclusively expressed in adipocytes, its plasmatic concentration decreased with increase in body fat (ISHIOKA et al., 2006). Several studies have also suggested that adiponectin has its effect as a molecule anti-atherogenic and anti-inflammatory, proving to be a protective factor for cardiovascular disease (OUCHI et al., 1999, OUCHI et al., 2000), although values of circulating adiponectin should be interpreted with caution. It is known that obesity in humans is associated with increased morbidity and mortality from cardiovascular disease (ATKINS, 1991; GRUNDY, SLAUGHTER, 2004; WOFFORD; HALL, 2004), so measurement of the polypeptide can help show whether patients obese and / or heart are exposed to a greater or lesser risk of developing cardiovascular events. Thus, considering that several studies of adiponectin in obese humans associated with cardiovascular disease are controversial, and few published reports in veterinary medicine, aimed to evaluate the serum adiponectin in dogs: normal, overweight, with chronic mitral valve disease and In obese patients with concomitant mitral valve insufficiency using laboratory techniques for radioimmunoassay (RIA) and enzyme linked immuno sorbent assay (ELISA), checking whether a correlation exists between low serum adiponectin in obesity and in patients with chronic mitral valve insufficiency. For this, we selected 53 breeds, sex and ages were divided into four study groups. We carried out clinical evaluation and complementary addition to the measurement of serum adiponectin. The group of obese dogs associated with chronic mitral valve regurgitation tended to decrease in mean circulating concentrations of adiponectin by radioimmunoassay, when compared to other study groups (AU)


Assuntos
Animais , Cães , Adiponectina/análise , Adiponectina/classificação , Cães/classificação , Cães/crescimento & desenvolvimento , Valva Mitral , Obesidade/diagnóstico
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA