Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 3 de 3
Filtrar
Mais filtros

Base de dados
Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Semina ciênc. agrar ; 42(05): 2685-2702, set.-out. 2021. ilus, tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1501866

Resumo

The black oat (Avena strigosa Schreb.) stands out as a forage of great importance in Brazilian agriculture. However, the productivity and quality of this forage can be affected by abiotic factors, such as temperature and water availability, which affect the physiological processes and facilitate the accumulation of free radicals (reactive oxygen species - ROS). Thus, the objective of this study was to understand the biochemical changes in black oat plants subjected to water deficit at different temperatures. Experiments were conducted in a greenhouse in two experimental periods, which presented an average temperature of 20 °C and 24 °C, respectively. Black oat seeds, of the variety IAPAR 61, were sown in pots and the plants were irrigated for 60 days. After which, the pots were covered with plastic bags and the irrigation was suspended. The analyses were carried out in five periods of evaluation - M1: plants before the suspensionof irrigation, M2: plants at the first wilting point, M3: three days after plastic removal and irrigation return, M4: four days after M3 and before the second suspension of irrigation, and M5: the second wilting point. The levels of total protein and malondialdehyde (MDA), and the activity of the enzymes catalase (CAT) and ascorbate peroxidase (APX), were analyzed. The experimental design was completely randomized, with six replications, in a factorial scheme of average temperature × water management × periods of evaluation, and the means were compared by Tukey's test at 5%. In response to water deficiency and temperature increase, black oat plants increased their levels of total soluble proteins, and there was greater lipid peroxidation due to the increase in malondialdehyde content. There was no change in the activity of the enzymes catalase and ascorbate peroxidase under water deficit, and these activities decreased with increasing temperature.


A aveia-preta (Avena strigosa Schreb.) destaca-se como uma forragem de grande importância na agricultura brasileira. Porém, a produtividade e a qualidade dessa forragem podem ser afetadas por fatores abióticos, como temperatura e disponibilidade de água, que afetam os processos fisiológicos e facilitam o acúmulo de radicais livres (espécies reativas de oxigênio - ROS). Assim, o objetivo deste estudo foi compreender as alterações bioquímicas em plantas de aveia preta submetidas ao déficit hídrico em diferentes temperaturas. Os experimentos foram conduzidos em casa de vegetação em dois períodos experimentais, os quais apresentaram temperatura média de 20 °C e 24 °C, respectivamente. Sementes de aveia preta, variedade IAPAR 61, foram semeadas em vasos e as plantas irrigadas por 60 dias. Depois disso, os vasos foram cobertos com sacos plásticos e a irrigação foi suspensa. As análises foram realizadas em cinco períodos de avaliação - M1: plantas antes da suspensão da irrigação, M2: plantas no primeiro ponto de murcha, M3: três dias após a retirada do plástico e retorno da irrigação, M4: quatro dias após M3 e antes do segundo suspensão da irrigação e M5: o segundo ponto de murcha. Foram analisados os níveis de proteína total e malondialdeído (MDA) e a atividade das enzimas catalase (CAT) e ascorbato peroxidase (APX). O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, com seis repetições, em esquema fatorial temperatura média × manejo da água × períodos de avaliação, e as médias foram comparadas pelo teste de Tukey a 5%. Em resposta à deficiência hídrica e ao aumento da temperatura, as plantas de aveia preta aumentaram seus níveis de proteínas solúveis totais e houve maior peroxidação lipídica devido ao aumento do teor de malondialdeído. Não houve alteração na atividade das enzimas catalase e ascorbato peroxidase sob déficit hídrico, sendo que essas atividades diminuíram com o aumento da temperatura.


Assuntos
Avena/metabolismo , Desidratação/diagnóstico , Geum
2.
Semina Ci. agr. ; 42(05): 2685-2702, set.-out. 2021. ilus, tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-32765

Resumo

The black oat (Avena strigosa Schreb.) stands out as a forage of great importance in Brazilian agriculture. However, the productivity and quality of this forage can be affected by abiotic factors, such as temperature and water availability, which affect the physiological processes and facilitate the accumulation of free radicals (reactive oxygen species - ROS). Thus, the objective of this study was to understand the biochemical changes in black oat plants subjected to water deficit at different temperatures. Experiments were conducted in a greenhouse in two experimental periods, which presented an average temperature of 20 °C and 24 °C, respectively. Black oat seeds, of the variety IAPAR 61, were sown in pots and the plants were irrigated for 60 days. After which, the pots were covered with plastic bags and the irrigation was suspended. The analyses were carried out in five periods of evaluation - M1: plants before the suspensionof irrigation, M2: plants at the first wilting point, M3: three days after plastic removal and irrigation return, M4: four days after M3 and before the second suspension of irrigation, and M5: the second wilting point. The levels of total protein and malondialdehyde (MDA), and the activity of the enzymes catalase (CAT) and ascorbate peroxidase (APX), were analyzed. The experimental design was completely randomized, with six replications, in a factorial scheme of average temperature × water management × periods of evaluation, and the means were compared by Tukey's test at 5%. In response to water deficiency and temperature increase, black oat plants increased their levels of total soluble proteins, and there was greater lipid peroxidation due to the increase in malondialdehyde content. There was no change in the activity of the enzymes catalase and ascorbate peroxidase under water deficit, and these activities decreased with increasing temperature.(AU)


A aveia-preta (Avena strigosa Schreb.) destaca-se como uma forragem de grande importância na agricultura brasileira. Porém, a produtividade e a qualidade dessa forragem podem ser afetadas por fatores abióticos, como temperatura e disponibilidade de água, que afetam os processos fisiológicos e facilitam o acúmulo de radicais livres (espécies reativas de oxigênio - ROS). Assim, o objetivo deste estudo foi compreender as alterações bioquímicas em plantas de aveia preta submetidas ao déficit hídrico em diferentes temperaturas. Os experimentos foram conduzidos em casa de vegetação em dois períodos experimentais, os quais apresentaram temperatura média de 20 °C e 24 °C, respectivamente. Sementes de aveia preta, variedade IAPAR 61, foram semeadas em vasos e as plantas irrigadas por 60 dias. Depois disso, os vasos foram cobertos com sacos plásticos e a irrigação foi suspensa. As análises foram realizadas em cinco períodos de avaliação - M1: plantas antes da suspensão da irrigação, M2: plantas no primeiro ponto de murcha, M3: três dias após a retirada do plástico e retorno da irrigação, M4: quatro dias após M3 e antes do segundo suspensão da irrigação e M5: o segundo ponto de murcha. Foram analisados os níveis de proteína total e malondialdeído (MDA) e a atividade das enzimas catalase (CAT) e ascorbato peroxidase (APX). O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, com seis repetições, em esquema fatorial temperatura média × manejo da água × períodos de avaliação, e as médias foram comparadas pelo teste de Tukey a 5%. Em resposta à deficiência hídrica e ao aumento da temperatura, as plantas de aveia preta aumentaram seus níveis de proteínas solúveis totais e houve maior peroxidação lipídica devido ao aumento do teor de malondialdeído. Não houve alteração na atividade das enzimas catalase e ascorbato peroxidase sob déficit hídrico, sendo que essas atividades diminuíram com o aumento da temperatura.(AU)


Assuntos
Geum , Avena/metabolismo , Desidratação/diagnóstico
3.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online) ; 67(6): 1684-1692, nov.-dez. 2015. tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-334083

Resumo

O presente experimento, conduzido no Laboratório de Ovinocultura da Universidade Federal de Santa Maria, teve como objetivo avaliar o efeito do uso de diferentes dietas de alto grão sobre o consumo de nutrientes e o desempenho de cordeiros terminados em confinamento, bem como realizar uma análise econômica da alimentação utilizada para terminação dos animais. Foram utilizados 32 cordeiros machos, castrados, da raça Texel, nascidos de parto simples e desmamados com aproximadamente 50 dias de idade. Os tratamentos foram constituídos por diferentes tipos de grãos, não processados, sendo: grão de milho, grão de aveia branca, grão de aveia preta ou grão de arroz com casca. Os animais foram abatidos quando atingiram o peso vivo de abate pré-estabelecido de 32kg, que corresponde a 60% do peso adulto de suas mães. Cordeiros alimentados com dietas de alto grão de milho apresentam maiores consumos de matéria seca, matéria orgânica, proteína bruta, carboidratos totais e de nutrientes digestíveis totais, menor consumo de fibra em detergente neutro, melhor escore de condição corporal, ganho de peso e conversão alimentar, o que leva à redução do número de dias no confinamento necessários para atingir o peso de abate. Além disso, cordeiros terminados com o uso de dieta de alto grão à base de grão de milho proporcionam melhor resultado econômico quando comparados com cordeiros terminados com as demais dietas de alto grão utilizadas neste experimento. O uso de dietas de alto grão de milho, aveia branca, aveia preta ou arroz com casca para terminação de cordeiros em sistema de confinamento é uma alternativa viável do ponto de vista produtivo. Porém, o uso de grão de milho proporciona melhores resultados produtivos e econômicos(AU)


This experiment was conducted at the Laboratory of Sheep, Federal University of Santa Maria, and aimed to evaluate the effect of using different high-grain diets on nutrient intake and performance of lambs in a feedlot, as well as conduct an economic analysis of feeding used for termination of the animals. A total of 32 Texel breed castrated male lambs, born from a simple birth and weaned at approximately 50 days of age were used. The treatments consisted of different types of grains, unprocessed, as follows: corn grain, white oat grain, black oat grain or grain of rice in the husk. The animals were slaughtered when they reached a pre-established body weight of 32kg for slaughter, which corresponds to 60% of the mature weight of their mothers. Lambs fed diets with high corn grain have higher intakes of dry matter, organic matter, crude protein, total digestible nutrients and total carbohydrate, lower consumption of neutral detergent fiber and better body condition score, weight gain and feed conversion, which leads to reduction in the number of days in confinement needed to reach slaughter weight. In addition, lambs using high-grain diet based grain corn provide better economic results when compared with lambs with other high-grain diets used in this experiment. The use of diets high in grain corn, white oat grain, black oat grain or grain of rice in the husk for finishing lambs in feedlot is a viable alternative from a productive point of view. However, the use of corn grain provides better performance and economic results(AU)


Assuntos
Animais , Dieta/veterinária , Ovinos/metabolismo , Aumento de Peso , Zea mays/metabolismo , Ração Animal/análise , Ração Animal , Avena/metabolismo , Oryza/metabolismo
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA