Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 14 de 14
Filtrar
Mais filtros

Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Ciênc. Anim. (Impr.) ; 32(4): 188-197, out.-dez. 2022. tab, ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1434922

Resumo

Dentre as hemoparasitoses com maior frequência de transmissão por carrapatos pode-se destacar a Erliquiose, a Hepatozoonose, a Anaplasmose e a Babesiose. A coinfecção por esses agentes são frequentes na rotina clínica; no entanto, poucas são as descrições sobre a ocorrência simultânea desses agentes em hemogramas. Sendo assim, o objetivo deste trabalho foi relatar os casos de quatro cães diagnosticados com coinfecção por Ehrlichia spp. e Hepatozoon canis, os quais foram atendidos no Hospital Veterinário Adílio Santos de Azevedo (HV-ASA) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), campus Sousa. Durante a avaliação clínica, relatou-se que os pacientes apresentavam, de maneira em comum, oligodipsia e hiporexia, além de histórico de presença de carrapatos. Em seguida, foram realizados hemogramas, que revelaram que todos os animais apresentavam anemia leve a moderada. Além disso, notou-se que o animal 1 estava com trombocitopenia e os animais 2 e 3, neutrofilia. Na pesquisa de hemoparasitas em esfregaço sanguíneo, observou-se coinfecção por H. canis e E. spp. nos quatro animais. Desta forma, este relato demonstrou a importância do uso do hemograma e da pesquisa dos agentes causadores das hemoparasitoses, através do esfregaço sanguíneo. Ressalte-se que o esfregaço sanguíneo, embora seja um método inespecífico e de baixa sensibilidade, pode e deve ser adotado como rotina, por ser uma técnica simples, rápida, barata, pouco invasiva e de diagnóstico definitivo.


Among the hemoparasitoses with the highest frequency of transmission by ticks, ehrlichiosis, hepatozoonosis, anaplasmosis, and babesiosis may be highlighted. The coinfection with these agents is frequent in clinical routine; however, there are few descriptions of the simultaneous occurrence of these agents in blood counts. Therefore, this work aimed to report the cases of four dogs diagnosed with Ehrlichia spp. and Hepatozoon canis, which were treated at the Adílio Santos de Azevedo Veterinary Hospital (HV-ASA), of the Federal Institute of Education, Science, and Technology of Paraíba (IFPB), Sousa campus. During the clinical evaluation, it was reported that the patients had oligodipsia and hyporexia in common, in addition to a history of tick presence. Then, blood counts were performed, which revealed that all animals had mild to moderate anemia. In addition, it was noted that animal 1 had thrombocytopenia and animals 2 and 3 had neutrophilia. In the investigation of hemoparasites in blood smears, co-infection with H. canis and E. spp. was observed in the four animals. Thus, this report demonstrated the importance of using the blood count and researching the causative agents of hemoparasitosis, through the blood smear. It should be noted that the blood smear, although it is a non-specific and low-sensitivity method, can and should be adopted as a routine, as it is a simple, fast, inexpensive, minimally invasive, and definitive diagnostic technique.


Assuntos
Animais , Cães , Ehrlichia canis/patogenicidade , Doenças do Cão , Coinfecção/veterinária , Testes Hematológicos/veterinária , Zona Semiárida
2.
Rev. bras. parasitol. vet ; 31(2): e021621, mar. 2022. tab, ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1381609

Resumo

Canine monocytic ehrlichiosis (CME) is one of the most important tick-borne diseases worldwide, with multisystemic presentations. Immune dysregulation has been proposed as the primary mechanism involved in its pathogenesis and in tissue injury in dogs with CME. Experimental infection of German Shepherd dogs in the present study demonstrated that CME caused marked pathological changes in their lymph nodes and spleen, and also gave rise to mononuclear infiltration in organs and tissues. Immunophenotyping of cells in lymph nodes, spleen and injured tissues highlighted differences in lymphocyte subsets, local expression of immunoglobulin subclasses and MHCII molecules between infected and control dogs. These findings suggest that the immunophenotypic and immunopathological changes in dogs with acute experimental CME are related to Th1 bias and compartmentalized immune response.(AU)


A erliquiose monocítica canina (EMC) é uma das doenças veiculadas por carrapatos com apresentações multisistêmicas mais relevantes em todo o mundo. A desregulação do sistema imune vem sendo proposta como o principal mecanismo envolvido na patogênese e lesão de tecidos em cães com EMC. A infecção experimental de pastores alemães nesta pesquisa evidenciou marcadas alterações patológicas em linfonodos, baço e também infiltração mononuclear em órgãos e tecidos. A imunofenotipagem de células em linfonodos, baço e tecidos lesados destacou diferenças em subconjuntos de linfócitos, expressão local de subclasses de imunoglobulinas e de moléculas MHCII entre cães infectados e controle. Esses achados sugerem que um viés Th1 e uma resposta imune compartimentalizada estão relacionados às alterações imunofenotípicas e imunopatológicas em cães com EMC experimental aguda.(AU)


Assuntos
Animais , Imunofenotipagem/veterinária , Ehrlichiose/fisiopatologia , Ehrlichia canis/patogenicidade , Cães/parasitologia
3.
Ars vet ; 37(2): 58-62, 2021. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1463577

Resumo

Diagnosing Canine Visceral Leishmaniosis is challenging for veterinarians given that its hematological and biochemical abnormalities greatly resemble those of other illnesses of dogs, such as canine ehrlichiosis, which is caused by Ehrlichia canis and is highly prevalent with high pathogenicity. The aim of this study was to determine occurrences of serological positivity for the antigens of Ehrlichia canis and Leishmania infantum and its relationship to globulin concentrations in samples from dogs. Out of 93 samples tested, 12.9% were negative for the antigens of both L. infantum and E. canis; 33.3% were seropositive for both antigens. Discordant results were found from 18.3% that were positive only for L. infantum, while 35.5% were positive only for E. canis. Hyperglobulinemia was observed in 88.2% and the statistical analysis showed that there was a significant relationship between the high levels of globulins and seropositivity for the antigen of E. canis. However, the relationship between positivity for the antigen of L. infantum and hyperglobulinemia, showed that there was no statistically significant relationship between the two laboratory findings. From these results, it can be concluded that concomitant infections occur frequently and that hyperglobulinemia is more closely related to ehrlichiosis than to leishmaniosis, in dogs.


O diagnóstico da leishmaniose canina é um desafio ao Médico Veterinário visto que anormalidades hematológicas e bioquímicas muito se assemelham à outras enfermidades dos cães, como a erliquiose canina, causada pela Ehrlichia canis, muito prevalente e de alta patogenicidade. O objetivo deste estudo foi determinar a positividade sorológica frente aos antígenos de Ehrlichia canis e Leishmania infantum e a sua relação com as concentrações de globulinas em amostras de cães. Das 93 amostras testadas, 12,9% foram negativas frente aos antígenos de E. canis e L. infantum e 33% foram soropositivas. Resultados discordantes foram encontradas em 18,3% positivas apenas para L. infantum, enquanto que 35,5% reagiram apenas frente a E. canis. Hiperglobulinemia foi observada em 88,2% das amostras e a análise estatística mostrou haver relação significante entre a soropositividade frente aos antígenos de E. canis e a hiperglobulinemia, e em contrapartida, a relação entre esse aumento de globulinas e a positividade para L. infantum foi insignificante. Pelos resultados apresentados, pode-se concluir que as infecções concomitantes são frequentes e que a hiperglobulinemia está mais intimamente relacionada a erliquiose quando comparada à leishmaniose em cães.


Assuntos
Animais , Cães , Biomarcadores , Cães/microbiologia , Cães/sangue , Ehrlichiose/diagnóstico , Leishmaniose/diagnóstico , Soro , Ehrlichia canis/patogenicidade , Leishmania infantum/patogenicidade
4.
Ars Vet. ; 37(2): 58-62, 2021. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-31882

Resumo

Diagnosing Canine Visceral Leishmaniosis is challenging for veterinarians given that its hematological and biochemical abnormalities greatly resemble those of other illnesses of dogs, such as canine ehrlichiosis, which is caused by Ehrlichia canis and is highly prevalent with high pathogenicity. The aim of this study was to determine occurrences of serological positivity for the antigens of Ehrlichia canis and Leishmania infantum and its relationship to globulin concentrations in samples from dogs. Out of 93 samples tested, 12.9% were negative for the antigens of both L. infantum and E. canis; 33.3% were seropositive for both antigens. Discordant results were found from 18.3% that were positive only for L. infantum, while 35.5% were positive only for E. canis. Hyperglobulinemia was observed in 88.2% and the statistical analysis showed that there was a significant relationship between the high levels of globulins and seropositivity for the antigen of E. canis. However, the relationship between positivity for the antigen of L. infantum and hyperglobulinemia, showed that there was no statistically significant relationship between the two laboratory findings. From these results, it can be concluded that concomitant infections occur frequently and that hyperglobulinemia is more closely related to ehrlichiosis than to leishmaniosis, in dogs.(AU)


O diagnóstico da leishmaniose canina é um desafio ao Médico Veterinário visto que anormalidades hematológicas e bioquímicas muito se assemelham à outras enfermidades dos cães, como a erliquiose canina, causada pela Ehrlichia canis, muito prevalente e de alta patogenicidade. O objetivo deste estudo foi determinar a positividade sorológica frente aos antígenos de Ehrlichia canis e Leishmania infantum e a sua relação com as concentrações de globulinas em amostras de cães. Das 93 amostras testadas, 12,9% foram negativas frente aos antígenos de E. canis e L. infantum e 33% foram soropositivas. Resultados discordantes foram encontradas em 18,3% positivas apenas para L. infantum, enquanto que 35,5% reagiram apenas frente a E. canis. Hiperglobulinemia foi observada em 88,2% das amostras e a análise estatística mostrou haver relação significante entre a soropositividade frente aos antígenos de E. canis e a hiperglobulinemia, e em contrapartida, a relação entre esse aumento de globulinas e a positividade para L. infantum foi insignificante. Pelos resultados apresentados, pode-se concluir que as infecções concomitantes são frequentes e que a hiperglobulinemia está mais intimamente relacionada a erliquiose quando comparada à leishmaniose em cães.(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Biomarcadores , Soro , Leishmaniose/diagnóstico , Ehrlichiose/diagnóstico , Cães/sangue , Cães/microbiologia , Ehrlichia canis/patogenicidade , Leishmania infantum/patogenicidade
5.
Arq. Ciênc. Vet. Zool. UNIPAR (Online) ; 23(1, cont.): e2312, 20200000. tab
Artigo em Português | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-1129315

Resumo

A erliquiose é uma doença riquetsial infecciosa causada por uma bactéria, pertencente ao gênero Ehrlichia, muito comum em cães e considerada uma importante hemoparasitose. Devido sua relevância na população canina e fácil transmissão por meio de carrapatos, mostra-se necessário conhecer melhor os aspectos epidemiológicos desta doença. Este estudo teve como objetivo avaliar a prevalência de Ehrlichia canis e os aspectos hematológicos em cães de abrigos temporários, de associações de proteção aos animais abandonados, nos municípios de Palotina e Guaíra, no Paraná. No total, 60 cães foram submetidos à coleta de amostras sanguíneas, para realização de hemograma e imunoflourescência indireta para detecção dos anticorpos anti-E. canis. A prevalência encontrada foi de 60% (36/60), não houve correlação positiva com relação ao sexo dos animais, presença de carrapatos ou trombocitopenia. Os dados revelam uma alta prevalência desta doença parasitária em cães de abrigos e a necessidade do estabelecimento de medidas de controle dos agentes transmissores.(AU)


Ehrlichiosis is an infectious ricketsial disease caused by bacteria belonging to the Ehrlichia genus. It is very common in dogs and is considered as an important hemoparasitosis. Due to its relevance in the canine population and its easy transmission through ticks, it is necessary to further understand the epidemiological aspects of the disease. This study aimed at evaluating the prevalence of Ehrlichia canis and the hematological aspects in dogs from temporary shelters and associations for the protection of abandoned animals in the cities of Palotina and Guaíra, in the state of Paraná. Blood samples were collected from 60 dogs for blood count and indirect immunofluorescence testing, and detection of anti-E. canis antibodies. A prevalence of 60% (36/60) was found, with no positive correlation regarding the gender of the animals, presence of ticks, or thrombocytopenia. The data reveal a high prevalence of this parasitic disease in shelter dogs and the need to establish control measures related to the transmitting agents.(AU)


Ehrlichiosis es una enfermedad ricketsial infecciosa causada por una bacteria perteneciente al género Ehrlichia, muy frecuente en perros y considerada una importante hemoparasitaria. Debido a su relevancia en la población canina y fácil transmisión a través de garrapatas, es necesario conocer mejor los aspectos epidemiológicos de esta enfermedad. Este estudio tenía como objetivo evaluar la prevalencia de Ehrlichia canis, así como los aspectos hematológicos para la protección de animales abandonados en los municipios de Palotina y Guaíra, Paraná. Un total de 60 perros fueron sometidos a muestras de sangre para el recuento sanguíneo y la inmunoflourescencia indirecta detección de anticuerpos anti-E canis. La prevalencia encontrada fue del 60% (36/60), sin correlación positiva con la el sexo de los animales, la presencia de garrapatas o trombocitopenia. Los datos revelan una alta prevalencia de esta enfermedad parasitaria en perros refugio y la necesidad de establecer medidas de control para los agentes transmisores.(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Estudos Soroepidemiológicos , Prevalência , Ehrlichia canis/patogenicidade , Cães/microbiologia , Abrigo
6.
Arq. ciênc. vet. zool. UNIPAR ; 23: e2312, 20200000. tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-29455

Resumo

A erliquiose é uma doença riquetsial infecciosa causada por uma bactéria, pertencente ao gênero Ehrlichia, muito comum em cães e considerada uma importante hemoparasitose. Devido sua relevância na população canina e fácil transmissão por meio de carrapatos, mostra-se necessário conhecer melhor os aspectos epidemiológicos desta doença. Este estudo teve como objetivo avaliar a prevalência de Ehrlichia canis e os aspectos hematológicos em cães de abrigos temporários, de associações de proteção aos animais abandonados, nos municípios de Palotina e Guaíra, no Paraná. No total, 60 cães foram submetidos à coleta de amostras sanguíneas, para realização de hemograma e imunoflourescência indireta para detecção dos anticorpos anti-E. canis. A prevalência encontrada foi de 60% (36/60), não houve correlação positiva com relação ao sexo dos animais, presença de carrapatos ou trombocitopenia. Os dados revelam uma alta prevalência desta doença parasitária em cães de abrigos e a necessidade do estabelecimento de medidas de controle dos agentes transmissores.(AU)


Ehrlichiosis is an infectious ricketsial disease caused by bacteria belonging to the Ehrlichia genus. It is very common in dogs and is considered as an important hemoparasitosis. Due to its relevance in the canine population and its easy transmission through ticks, it is necessary to further understand the epidemiological aspects of the disease. This study aimed at evaluating the prevalence of Ehrlichia canis and the hematological aspects in dogs from temporary shelters and associations for the protection of abandoned animals in the cities of Palotina and Guaíra, in the state of Paraná. Blood samples were collected from 60 dogs for blood count and indirect immunofluorescence testing, and detection of anti-E. canis antibodies. A prevalence of 60% (36/60) was found, with no positive correlation regarding the gender of the animals, presence of ticks, or thrombocytopenia. The data reveal a high prevalence of this parasitic disease in shelter dogs and the need to establish control measures related to the transmitting agents.(AU)


Ehrlichiosis es una enfermedad ricketsial infecciosa causada por una bacteria perteneciente al género Ehrlichia, muy frecuente en perros y considerada una importante hemoparasitaria. Debido a su relevancia en la población canina y fácil transmisión a través de garrapatas, es necesario conocer mejor los aspectos epidemiológicos de esta enfermedad. Este estudio tenía como objetivo evaluar la prevalencia de Ehrlichia canis, así como los aspectos hematológicos para la protección de animales abandonados en los municipios de Palotina y Guaíra, Paraná. Un total de 60 perros fueron sometidos a muestras de sangre para el recuento sanguíneo y la inmunoflourescencia indirecta detección de anticuerpos anti-E canis. La prevalencia encontrada fue del 60% (36/60), sin correlación positiva con la el sexo de los animales, la presencia de garrapatas o trombocitopenia. Los datos revelan una alta prevalencia de esta enfermedad parasitaria en perros refugio y la necesidad de establecer medidas de control para los agentes transmisores.(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Estudos Soroepidemiológicos , Prevalência , Ehrlichia canis/patogenicidade , Cães/microbiologia , Abrigo
7.
Semina ciênc. agrar ; 41(3): 897-906, May-June 2020. ilus, graf, tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1501791

Resumo

Ehrlichiosis is an emerging zoonosis worldwide and has had several adverse effects on public health. Canine monocytic ehrlichiosis (CME), caused by Ehrlichia canis, has the tick Rhipicephalus sanguineus as the vector. The main clinical signs in affected dogs are fever, apathy, anorexia, weight loss, and neurological signs. The diagnosis is made through the association of clinical signs with parasitological, serological, and molecular tests. The aim of this study was to evaluate the occurrence of E. canis infection in dogs from the city of Itabuna-Bahia, as well as to identify the risk factors related to infection. For this, 405 dogs from the Center for Zoonoses Control (CCZ), non-governmental organizations (NGOs), and dogs domiciled and semi-domiciled in the city of Itabuna, southern Bahia, were evaluated. After initial physical evaluation of the dogs, blood samples were collected by venipuncture for subsequent DNA extraction and E. canis testing using the nested Polymerase Chain Reaction (nested-PCR) technique. In addition, an epidemiological questionnaire that included questions related to the animals was administered to the dog owners to identify the risk factors for exposure to the etiological agent and to the vector. Approximately 17% of the dogs in the municipality of Itabuna-Bahia tested positive for E. canis by nested-PCR, a result higher than that found in other studies conducted in the same municipality. Among the factors associated with E. canis infection, contact with other dogs (p = 0.0226) was an important factor for the dissemination of CME, since dogs are reported to be reservoirs of E. canis. Male dogs (p = 0.0016) presented lower risk for E. canis infection. Other studies, however, describe no association between animal gender and infection by E. canis. Preventive measures to reduce exposure to the vector of ehrlichiosis are necessary.


A erliquiose é uma zoonose emergente em todo o mundo e tem acarretado diversos transtornos para a saúde pública. A erliquiose monocítica canina (EMC), causada pela Ehrlichia canis, tem como vetor o carrapato Rhipicephalus sanguineus. Os principais sinais clínicos nos cães afetados são febre, apatia, anorexia, perda de peso e sinais neurológicos. O diagnóstico é feito através da associação dos sinais clínicos, exames parasitológicos, sorológicos e moleculares. Objetivou-se através deste estudo avaliar a ocorrência de infecção por E. canis em cães do município de Itabuna-Bahia, bem como identificar os fatores de risco relacionados à infecção. Para tanto, foram avaliados 405 cães provenientes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), Organizações não governamentais (ONGs), cães domiciliados e semi-domiciliados da cidade de Itabuna-Bahia. Após avaliação física inicial dos cães, procedeu-se em seguida a coleta de amostras de sangue por punção venosa, para posterior extração de DNA e pesquisa de E. canis pela técnica de nested-Reação em Cadeia de Polimerase (nested-PCR). Adicionalmente, um questionário epidemiológico foi aplicado junto aos responsáveis, no qual constavam questões relacionadas aos animais, com a finalidade de identificar os fatores de risco de exposição destes ao agente etiológico e ao vetor. Em suma, este estudo mostrou que aproximadamente 17% dos cães do município de Itabuna-Bahia foram positivos para E. canis pela nested-PCR, resultado superior ao encontrado em outros estudos realizados no mesmo município. Dos fatores associados à infecção por E. canis, foi significativo o contato com outros cães (p=0,0226), um fator importante para a disseminação da EMC, pois os cães são relatados como reservatórios da E. canis. O gênero macho (p=0,0016) apresentou menor risco para a infecção por E. canis. Outros estudos, no entanto, descrevem que não há nenhuma associação entre o gênero do animal e a infecção por...


Assuntos
Animais , Cães , Doenças do Cão/diagnóstico , Ehrlichia canis/patogenicidade , Ehrlichiose/diagnóstico , Ehrlichiose/epidemiologia , Ehrlichiose/veterinária , Rhipicephalus sanguineus/patogenicidade , Zoonoses
8.
Semina Ci. agr. ; 41(3): 897-906, May-June 2020. ilus, graf, tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-746029

Resumo

Ehrlichiosis is an emerging zoonosis worldwide and has had several adverse effects on public health. Canine monocytic ehrlichiosis (CME), caused by Ehrlichia canis, has the tick Rhipicephalus sanguineus as the vector. The main clinical signs in affected dogs are fever, apathy, anorexia, weight loss, and neurological signs. The diagnosis is made through the association of clinical signs with parasitological, serological, and molecular tests. The aim of this study was to evaluate the occurrence of E. canis infection in dogs from the city of Itabuna-Bahia, as well as to identify the risk factors related to infection. For this, 405 dogs from the Center for Zoonoses Control (CCZ), non-governmental organizations (NGOs), and dogs domiciled and semi-domiciled in the city of Itabuna, southern Bahia, were evaluated. After initial physical evaluation of the dogs, blood samples were collected by venipuncture for subsequent DNA extraction and E. canis testing using the nested Polymerase Chain Reaction (nested-PCR) technique. In addition, an epidemiological questionnaire that included questions related to the animals was administered to the dog owners to identify the risk factors for exposure to the etiological agent and to the vector. Approximately 17% of the dogs in the municipality of Itabuna-Bahia tested positive for E. canis by nested-PCR, a result higher than that found in other studies conducted in the same municipality. Among the factors associated with E. canis infection, contact with other dogs (p = 0.0226) was an important factor for the dissemination of CME, since dogs are reported to be reservoirs of E. canis. Male dogs (p = 0.0016) presented lower risk for E. canis infection. Other studies, however, describe no association between animal gender and infection by E. canis. Preventive measures to reduce exposure to the vector of ehrlichiosis are necessary.(AU)


A erliquiose é uma zoonose emergente em todo o mundo e tem acarretado diversos transtornos para a saúde pública. A erliquiose monocítica canina (EMC), causada pela Ehrlichia canis, tem como vetor o carrapato Rhipicephalus sanguineus. Os principais sinais clínicos nos cães afetados são febre, apatia, anorexia, perda de peso e sinais neurológicos. O diagnóstico é feito através da associação dos sinais clínicos, exames parasitológicos, sorológicos e moleculares. Objetivou-se através deste estudo avaliar a ocorrência de infecção por E. canis em cães do município de Itabuna-Bahia, bem como identificar os fatores de risco relacionados à infecção. Para tanto, foram avaliados 405 cães provenientes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), Organizações não governamentais (ONGs), cães domiciliados e semi-domiciliados da cidade de Itabuna-Bahia. Após avaliação física inicial dos cães, procedeu-se em seguida a coleta de amostras de sangue por punção venosa, para posterior extração de DNA e pesquisa de E. canis pela técnica de nested-Reação em Cadeia de Polimerase (nested-PCR). Adicionalmente, um questionário epidemiológico foi aplicado junto aos responsáveis, no qual constavam questões relacionadas aos animais, com a finalidade de identificar os fatores de risco de exposição destes ao agente etiológico e ao vetor. Em suma, este estudo mostrou que aproximadamente 17% dos cães do município de Itabuna-Bahia foram positivos para E. canis pela nested-PCR, resultado superior ao encontrado em outros estudos realizados no mesmo município. Dos fatores associados à infecção por E. canis, foi significativo o contato com outros cães (p=0,0226), um fator importante para a disseminação da EMC, pois os cães são relatados como reservatórios da E. canis. O gênero macho (p=0,0016) apresentou menor risco para a infecção por E. canis. Outros estudos, no entanto, descrevem que não há nenhuma associação entre o gênero do animal e a infecção por...(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Ehrlichiose/diagnóstico , Ehrlichiose/epidemiologia , Ehrlichiose/veterinária , Zoonoses , Ehrlichia canis/patogenicidade , Rhipicephalus sanguineus/patogenicidade , Doenças do Cão/diagnóstico
9.
Pesqui. vet. bras ; 38(3): 528-535, mar. 2018. tab, ilus
Artigo em Português | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-965462

Resumo

Doenças transmitidas por vetores estão emergindo e reemergindo em todo o mundo, representando um desafio na medicina humana e veterinária. Entre essas doenças estão aquelas causadas pelos agentes da ordem das Rickettsiales, que são bactérias Gram-negativas intracelulares obrigatórias, com capacidade de infectar vários animais e seres humanos. As Rickettsiales das espécies Ehrlichia spp. e Anaplasma spp. são observadas em vacúolos citoplasmáticos de leucócitos e plaquetas. As Rickettsiales da espécie Rickettsia spp. infectam livremente citoplasma ou núcleo de células hospedeiras. O objetivo do presente estudo foi investigar a infecção natural por Ehrlichia canis, Anaplasma platys, Anaplasma phagocytophilum e Rickettsia spp. em felídeos selvagens cativos no Distrito Federal e Goiás, Brasil. Além disso, também objetivou-se relacionar possíveis alterações hematológicas decorrentes da presença desses agentes. Amostras de sangue de 34 animais foram analisadas por meio da PCR para detecção de presença de DNA desses agentes. O DNA de Ehrlichia canis foi detectado em 5,8% (2/34) das amostras, A. platys foi detectado 64,7% (22/34), A. phagocytophilum foi detectado em 5,8% (2/34). O DNA de Rickettsia spp. não foi detectado em nenhuma amostra. Dois felídeos apresentaram coinfecção por E. canis e A. platys e dois apresentaram coinfecção por A. platys e A. phagocytophilum. Não houve diferenças significativas nos dados hematológicos das amostras positivas e negativas. Os dados sugerem que os felídeos selvagens cativos podem servir como potenciais reservatórios para Ehrlichia spp. e Anaplasma spp., a despeito de não ocasionarem alterações hematológicas.(AU)


Vector-borne diseases have been emerging and reemerging all over the world, causing a challenge to veterinary and human medicine. Among these diseases are those caused by agents of the order Rickettsiales, obligatory intracellular Gram-negative bacteria, with ability to infect several animals and humans. Rickettsiales of the species Ehrlichia spp. and Anaplasma spp. residing in cytoplasmic vacuoles of leukocytes and platelets. Rickettsiales of the species Rickettsia spp. freely infect cytoplasm or nucleus of host cells. The aim of the present study was to investigate the natural infection with Ehrlichia canis, Anaplasma platys, Anaplasma phagocytophilum and Rickettsia spp. in captive wild felids at the Federal District and Goiás, Brazil. In addition, it was also aimed to relate possible changes in hemogram with the presence of these agents. Blood samples from 34 animals were analyzed by PCR to detect the presence of DNA from these agents. The DNA of Ehrlichia canis was detected in 5.8% (2/34) of samples. A. platys was detected in 64.7% (22/34), A. phagocytophilum was detected in 5.8% (2/34). The DNA of Rickettsia spp. was not detected in any sample. Two felides presented co-infection with E. canis and A. platys, and two presented co-infection with A. platys and A. phagocytophilum. There were no significant differences in hematological data from positive and negative samples. The data suggest that captive wild felids can serve as potential reservoirs for Ehrlichia spp. and Anaplasma spp., despite hematological abnormalities were not observed.(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Rickettsia/patogenicidade , Ehrlichia canis/patogenicidade , Felidae/microbiologia , Anaplasma/patogenicidade , Patologia Molecular
10.
Pesqui. vet. bras ; 38(3): 528-535, mar. 2018. tab, ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-18422

Resumo

Doenças transmitidas por vetores estão emergindo e reemergindo em todo o mundo, representando um desafio na medicina humana e veterinária. Entre essas doenças estão aquelas causadas pelos agentes da ordem das Rickettsiales, que são bactérias Gram-negativas intracelulares obrigatórias, com capacidade de infectar vários animais e seres humanos. As Rickettsiales das espécies Ehrlichia spp. e Anaplasma spp. são observadas em vacúolos citoplasmáticos de leucócitos e plaquetas. As Rickettsiales da espécie Rickettsia spp. infectam livremente citoplasma ou núcleo de células hospedeiras. O objetivo do presente estudo foi investigar a infecção natural por Ehrlichia canis, Anaplasma platys, Anaplasma phagocytophilum e Rickettsia spp. em felídeos selvagens cativos no Distrito Federal e Goiás, Brasil. Além disso, também objetivou-se relacionar possíveis alterações hematológicas decorrentes da presença desses agentes. Amostras de sangue de 34 animais foram analisadas por meio da PCR para detecção de presença de DNA desses agentes. O DNA de Ehrlichia canis foi detectado em 5,8% (2/34) das amostras, A. platys foi detectado 64,7% (22/34), A. phagocytophilum foi detectado em 5,8% (2/34). O DNA de Rickettsia spp. não foi detectado em nenhuma amostra. Dois felídeos apresentaram coinfecção por E. canis e A. platys e dois apresentaram coinfecção por A. platys e A. phagocytophilum. Não houve diferenças significativas nos dados hematológicos das amostras positivas e negativas. Os dados sugerem que os felídeos selvagens cativos podem servir como potenciais reservatórios para Ehrlichia spp. e Anaplasma spp., a despeito de não ocasionarem alterações hematológicas.(AU)


Vector-borne diseases have been emerging and reemerging all over the world, causing a challenge to veterinary and human medicine. Among these diseases are those caused by agents of the order Rickettsiales, obligatory intracellular Gram-negative bacteria, with ability to infect several animals and humans. Rickettsiales of the species Ehrlichia spp. and Anaplasma spp. residing in cytoplasmic vacuoles of leukocytes and platelets. Rickettsiales of the species Rickettsia spp. freely infect cytoplasm or nucleus of host cells. The aim of the present study was to investigate the natural infection with Ehrlichia canis, Anaplasma platys, Anaplasma phagocytophilum and Rickettsia spp. in captive wild felids at the Federal District and Goiás, Brazil. In addition, it was also aimed to relate possible changes in hemogram with the presence of these agents. Blood samples from 34 animals were analyzed by PCR to detect the presence of DNA from these agents. The DNA of Ehrlichia canis was detected in 5.8% (2/34) of samples. A. platys was detected in 64.7% (22/34), A. phagocytophilum was detected in 5.8% (2/34). The DNA of Rickettsia spp. was not detected in any sample. Two felides presented co-infection with E. canis and A. platys, and two presented co-infection with A. platys and A. phagocytophilum. There were no significant differences in hematological data from positive and negative samples. The data suggest that captive wild felids can serve as potential reservoirs for Ehrlichia spp. and Anaplasma spp., despite hematological abnormalities were not observed.(AU)


Assuntos
Animais , Rickettsia/patogenicidade , Ehrlichia canis/patogenicidade , Felidae/microbiologia , Anaplasma/patogenicidade , Animais Selvagens/microbiologia , Reação em Cadeia da Polimerase
11.
R. bras. Parasitol. Vet. ; 26(2): 211-215, 2017. mapas, tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-25945

Resumo

The aims of our study was to identify Ehrlichia canis and antibodies against Rickettsia spp. belonging to the spotted fever group (SFG) in dogs sampled from Paraiba state, northeastern Brazil. Blood and serum samples collected by convenience from dogs in urban areas of five municipalities were analyzed by real-time PCR for the detection of E. canis DNA and by immunofluorescence assay test (IFAT) for the identification of antibodies against Rickettsia rickettsii, R. felis, R. parkeri, R. amblyommii and R. rhipicephali antigens. E. canis DNA was detected in 8.9% (64/719) of the blood samples, whereas 5.63% (43/763) of the serum samples were positive for at least one of the Rickettsia antigens tested by IFAT. This study showed for the first time the occurrence of E. canis and suggested the circulation of SFG Rickettsia in dogs in the study region of Paraiba state, northeastern Brazil.(AU)


Os objetivos do nosso estudo foram identificar Ehrlichia canis e anticorpos contra Rickettsia spp. pertencentes ao Grupo da Febre Maculosa (GFM) em cães amostrados no estado da Paraíba, nordeste do Brasil. As amostras de sangue e soro, coletados por conveniência, de cães em áreas urbanas de cinco municípios foram analisadas por PCR em tempo real para a detecção de DNA de E. canis e pela Reação de Imunofluorescência Indireta (RIFI) para identificação de anticorpos contra Rickettsia rickettsii, R. felis, R. parkeri, R. amblyommii e R. rhipicephali. O DNA de E. canis foi detectado em 8,9% (64/719) das amostras de sangue, enquanto que 5,63% (43/763) das amostras de soro foram positivas para pelo menos um dos antígenos de Rickettsia testados por RIFI. Este estudo mostrou pela primeira vez a ocorrência de E. canis e sugere a circulação de Rickettsia do GFM em cães na região em estudo do estado da Paraíba, Nordeste do Brasil.(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Cães/microbiologia , Ehrlichia canis/patogenicidade , Rickettsia/patogenicidade , Reação em Cadeia da Polimerase/veterinária
12.
Semina ciênc. agrar ; 38(1): 295-300, jan.-fev. 2017. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-24737

Resumo

The transfusion of blood components is common in a veterinary clinic; however, the safety of this therapeutic measure cannot always be guaranteed. Studies show a high risk of haemoparasite transmission during blood transfusion in canines. These parasites include Leishmania chagasi, Anaplasma platys, and Ehrlichia canis, which are endemic to the city of Cuiabá. This study aimed to evaluate the occurrence of L. chagasi, Trypanosoma cruzi, Babesia (canis) vogeli, A. platys, and E. canis in canine blood donor candidates, and identify possible factors associated with the infection of these agents. Sixty-six canines were evaluated using serologic and molecular tests, for the presence of the Leishmania species. While one canine sample showed a positive result for L. chagasi with indirect fluorescent antibody test, with titer of 1:40, and seven canine samples were positive using DPP, all other samples were negative when using PCR and ELISA. All canines were negative for T. cruzi when using PCR. The B. (c.) vogeli infection was identified in one canine and A. platys was identified in six canines. E. canis was identified in 17 canines, with a prevalence of 25.7%. There were no significant factors associated with the infection of the pathogens investigated. Given the observation of infection, even in the absence of clinical symptoms, emphasis must be placed on the need for the use of more sensitive and specific diagnostic methods for the screening of donor canines.(AU)


Administração de hemocomponentes é uma prática de rotina na clínica veterinária, entretanto, a segurança nessa medida terapêutica nem sempre é garantida. Estudos mostram risco elevado na transmissão de hemoparasitos pela transfusão sanguínea em cães. Dentre estes, Leishmania chagasi, Anaplasma platys e Ehrlichia canis são endêmicas no município de Cuiabá. Este estudo teve como objetivo avaliar a ocorrência de L. chagasi, Trypanosoma cruzi, Babesia (canis) vogeli, A. platys e E. canis em cães candidatos a doadores de sangue e identificar os possíveis fatores associados à infecção pelos referidos agentes. Dos 66 cães avaliados por exames sorológicos e moleculares para Leishmania sp, um cão reagiu na IFI na titulação 1:40 para L. chagasi., sete no DPP, e todos negativos na PCR e ELISA. Todos os cães foram negativos na PCR para T. cruzi. Foi identificada infecção por Babesia (c.) vogeli em apenas um cão e seis para A. platys. E. canis foi diagnosticado em 17 cães, com ocorrência de 25,7%. Não foram observados fatores associados significativamente à infecção pelos patógenos pesquisados. Diante da observação da infecção mesmo na ausência de alterações clínicas, ressalta-se o uso de métodos diagnósticos mais sensíveis e específicos na triagem de cães doadores.(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Leishmania infantum/química , Leishmania infantum/patogenicidade , Trypanosoma cruzi/patogenicidade , Babesia/patogenicidade , Anaplasma/patogenicidade , Ehrlichia canis/patogenicidade
13.
Rev. bras. parasitol. vet ; 21(4): 379-385, out.-dez. 2012. tab
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: lil-660934

Resumo

Canine monocytic ehrlichiosis caused primarily by Ehrlichia canis and canine thrombocytic anaplasmosis induced by Anaplasma platys are important emerging zoonotic tick-borne diseases of dogs. There is evidence that these pathogens can also affect humans. This study evaluated the presence of E. canis and A. platys in blood samples collected from 256 domiciled dogs in the municipality of Jataizinho, located in north region of the State of Parana, Brazil, by PCR assay. The occurrence of E. canis and A. platys was 16.4% (42/256) and 19.4% (49/256), respectively; while 5.47% (14/256) of the dogs evaluated were co-infected by these two organisms. The presence of E. canis and A. platys was not significantly associated with the variables evaluated (sex, age, outdoor access, and presence of ticks during blood collection). Infection of dogs by E. canis was associated with anemia and thrombocytopenia, while infection induced by A. platys was related only to thrombocytopenia. Canine monocytic ehrlichiosis and canine thrombocytic anaplasmosis should be included in the differential diagnoses when these hematological alterations are observed during routine laboratory evaluation of dogs.(AU)


Erliquiose monocítica canina, causada principalmente por Ehrlichia canis, e anaplasmose trombocítica canina, devida a infecção com Anaplasma platys, são importantes doenças transmitidas por carrapatos que acometem os cães, com evidências que podem também acometer o homem. O presente estudo avaliou a ocorrência desses agentes em amostras de sangue de 256 cães domiciliados na cidade de Jataizinho, na região Norte do Paraná, Brasil, utilizando a técnica da Reação em Cadeia da Polimerase (PCR). A ocorrência de E. canis e A. platys foi de 16,4% (42/256) e 19,4% (49/256), respectivamente, com 5,47% (14/256) dos animais apresentando coinfecção. Não foi observada associação significativa com as variáveis sexo, idade, acesso à rua e presença de carrapatos no momento da coleta de sangue. A infecção por E. canis teve relação com anemia e com trombocitopenia, enquanto a infecção por A. platys apresentou relação apenas com trombocitopenia. Com base nos resultados obtidos, reforçou-se a necessidade de que erliquiose e anaplasmose canina devem estar entre os diagnósticos diferenciais, quando da detecção de anemia e trombocitopenia em exames laboratoriais.(AU)


Assuntos
Animais , Reação em Cadeia da Polimerase/métodos , Ehrlichiose/diagnóstico , Cães/parasitologia , Anaplasmose/diagnóstico , Doenças Parasitárias em Animais/diagnóstico , Brasil , Ehrlichia canis/patogenicidade , Anaplasma/patogenicidade
14.
Semina ciênc. agrar ; 38(1): 295-300, 2017. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1500688

Resumo

The transfusion of blood components is common in a veterinary clinic; however, the safety of this therapeutic measure cannot always be guaranteed. Studies show a high risk of haemoparasite transmission during blood transfusion in canines. These parasites include Leishmania chagasi, Anaplasma platys, and Ehrlichia canis, which are endemic to the city of Cuiabá. This study aimed to evaluate the occurrence of L. chagasi, Trypanosoma cruzi, Babesia (canis) vogeli, A. platys, and E. canis in canine blood donor candidates, and identify possible factors associated with the infection of these agents. Sixty-six canines were evaluated using serologic and molecular tests, for the presence of the Leishmania species. While one canine sample showed a positive result for L. chagasi with indirect fluorescent antibody test, with titer of 1:40, and seven canine samples were positive using DPP, all other samples were negative when using PCR and ELISA. All canines were negative for T. cruzi when using PCR. The B. (c.) vogeli infection was identified in one canine and A. platys was identified in six canines. E. canis was identified in 17 canines, with a prevalence of 25.7%. There were no significant factors associated with the infection of the pathogens investigated. Given the observation of infection, even in the absence of clinical symptoms, emphasis must be placed on the need for the use of more sensitive and specific diagnostic methods for the screening of donor canines.


Administração de hemocomponentes é uma prática de rotina na clínica veterinária, entretanto, a segurança nessa medida terapêutica nem sempre é garantida. Estudos mostram risco elevado na transmissão de hemoparasitos pela transfusão sanguínea em cães. Dentre estes, Leishmania chagasi, Anaplasma platys e Ehrlichia canis são endêmicas no município de Cuiabá. Este estudo teve como objetivo avaliar a ocorrência de L. chagasi, Trypanosoma cruzi, Babesia (canis) vogeli, A. platys e E. canis em cães candidatos a doadores de sangue e identificar os possíveis fatores associados à infecção pelos referidos agentes. Dos 66 cães avaliados por exames sorológicos e moleculares para Leishmania sp, um cão reagiu na IFI na titulação 1:40 para L. chagasi., sete no DPP, e todos negativos na PCR e ELISA. Todos os cães foram negativos na PCR para T. cruzi. Foi identificada infecção por Babesia (c.) vogeli em apenas um cão e seis para A. platys. E. canis foi diagnosticado em 17 cães, com ocorrência de 25,7%. Não foram observados fatores associados significativamente à infecção pelos patógenos pesquisados. Diante da observação da infecção mesmo na ausência de alterações clínicas, ressalta-se o uso de métodos diagnósticos mais sensíveis e específicos na triagem de cães doadores.


Assuntos
Animais , Cães , Anaplasma/patogenicidade , Babesia/patogenicidade , Ehrlichia canis/patogenicidade , Leishmania infantum/patogenicidade , Leishmania infantum/química , Trypanosoma cruzi/patogenicidade
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA