Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 5 de 5
Filtrar
Mais filtros

Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Acta cir. bras. ; 27(5): 283-288, 2012. ilus, tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-3964

Resumo

PURPOSE: To determine whether it is possible and the difficulty of anatomical placement of guide wires for reconstruction of the two bands of the anterior cruciate ligament using transtibial technique and to measure the angle and positioning of the anatomic tibial guide wires for this technique. METHODS: Ten cadaver knees were dissected and a guide wire was positioned in the center of origin and insertion of each band. Were collected measurements of the distance from: 1) the entry point of the guide wire on tibial tuberosity; 2) the medial end of the tibia; 3) the tibial articular surface. Were also measured the medial and caudal angles of the guide wires. RESULTS: For the anteromedial band the medial angle was 19±5º and the caudal was 44±4º.The distances were 20±2 mm from anterior tuberosity, 26±5 mm from the tibial plateau and 25±5 mm from the medial end of the tibia. For the posterolateral band the medial angle was 26±5º and the caudal one was 36±8°. The distances were 31±6 mm for the anterior tuberosity, 24±4 mm for the tibial plateau and 17±7 mm from the end of the tibia. CONCLUSIONS: It is possible to position the guide wires of the two bands to reconstruct the anterior cruciate ligament using transtibial technique. The parameters for the proper positioning of the guide wire from anteromedial band is caudal angle of 44º with entry point 20 mm from anterior tuberosity; for the posterolateral band the caudal angle is 36º; from the tibial tuberosity the distance is 31 mm. This technique is difficult to perform leaving its questionable reproducibility.(AU)


OBJETIVOS: Determinar se é possível o posicionamento anatômico dos fios-guia para reconstrução das duas bandas do ligamento cruzado anterior pela técnica transtibial, sua dificuldade técnica e medir o posicionamento angular dos parâmetros anatômicos dos fios-guia tibiais para esta técnica. MÉTODOS: Dez joelhos de cadáveres foram dissecados e um fio guia foi posicionado no centro da origem e inserção de cada banda. Foram coletadas as medidas da distância do ponto de entrada do fio-guia à tuberosidade anterior da tíbia, a extremidade medial da tíbia e a superfície articular tibial. Também foram medidos os ângulos mediais e caudais dos fios-guia. RESULTADOS: Para a banda anteromedial o ângulo medial foi de 19±5º e o caudal de 44±4º. As distâncias foram de 20±2 mm da tuberosidade anterior, 26±5 mm do platô tibial e 25±5 mm da extremidade medial da tíbia. Para a banda posterolateral o ângulo medial foi de 26±5° e o caudal de 36±8°. As distâncias foram de 31±6 mm da tuberosidade anterior, 24±4 mm do platô tibial e 17±7 mm da extremidade medial da tíbia. CONCLUSÕES: É possível posicionar os fios-guia para reconstrução das duas bandas do ligamento cruzado anterior pela técnica transtibial. Os parâmetros para o posicionamento adequado do fio-guia da banda anteromedial são ângulo caudal de 44° com ponto de entrada a 20 mm da tuberosidade anterior; para a banda posterolateral o ângulo caudal é de 36° e a distância é de 31 mm da tuberosidade anterior da tíbia. Essa técnica é de difícil execução deixando sua reprodutibilidade questionável.(AU)


Assuntos
Humanos , Joelho/anatomia & histologia , /métodos , Ligamento Cruzado Anterior/anatomia & histologia , Cadáver
2.
Braz. j. vet. res. anim. sci ; 49(4): 301-306, 2012.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-3723

Resumo

O trabalho descreve as lesões de menisco associadas com ruptura do ligamento cruzado cranial em 82 pacientes de diferentes raças, idades e pesos, com o objetivo de avaliar o tipo de ruptura de menisco associada a lesões do ligamento cruzado cranial. No período pré-operatório, os animais foram submetidos à avaliação clínica e radiológica. Todos os animais apresentaram ruptura total ou parcial do ligamento cruzado cranial; 21 (24,14%) animais não apresentaram nenhuma lesão de menisco, os restantes (75,86%) apresentaram apenas lesão no menisco medial. As lesões encontradas no menisco medial foram as seguintes: 33 joelhos (37,93%) apresentaram eversão do corno caudal (Tipo 1); 15 (17,24%) apresentaram lesão em alça de balde (Tipo 6); 3 (3,45%) lesão de fibrilação (Tipo 4); 3 (3,45%) ruptura longitudinal múltipla (Tipo 3); 3 (3,45%) lesão longitudinal (Tipo 2); 1 (1,15%) lesão tipo 7; e 10 (11,49) apresentaram lesões múltiplas. A meniscectomia parcial do menisco medial foi realizada em 63 (72,41%) joelhos e a meniscectomia total em 3 (13,04%). O procedimento cirúrgico para a resolução da ruptura do ligamento cruzado cranial incluiu: avanço da tuberosidade tibial (TTA) (49 joelhos), osteotomia niveladora do platô tibial (TPLO) (15 joelhos), osteotomia em cunha da tíbia (CWO) (14 joelhos), extracapsular (quatro joelhos) e meniscectomia (cinco joelhos). Todos os casos evoluíram com o retorno à função habitual do membro pélvico acometido na primeira semana do período pós-operatório, e com a ausência de complicações. A alta porcentagem (75,86%) de ruptura do menisco medial encontrada no presente trabalho demonstra a importância da avaliação prévia dos meniscos antes da realização da técnica de estabilização da articulação femorotibiopatelar.(AU)


The following study describes meniscus ruptures associated to cranial cruciate ruptures, in 34 dogs of different breeds, ages and weights. Before surgery the animals underwent clinical and radiographic examinations. All animals presented either total or partial cranial cruciate ruptures: 21 (24.14%) of the animals didnt present any meniscus lesions, and the rest (75.86%) presented only a medial meniscus lesion. The lesions found in the medial meniscus were the following: 33 stifles (37.93%) presented with eversion of the caudal pole (Type 1), 15 (17.24%) showed a bucked handle lesion (Type 6), 3 (3.45%) presented with fibrillation lesion (Type 4), 3 (3.45%) multiple fibrillation lesion (Type 3), 3 (3.45%) longitudinal lesion (Type 2), 1 (1.15%) lesion type 7 and 10 (11.49%) presented multiple lesion. Surgical procedure for cranial cruciate rupture included: tibial tuberosity advancement (TTA) (49 stifle), tibial plateau leveling osteotomies (TPLO) (15 stifle), closing wedge osteotomy (CWO) (14 stifle), extracapsular (4 stifle) and meniscectomy alone (5 stifle), and all these techniques guaranteed weight baring and return to function in the first week after surgery, with no complications. Through this study we could demonstrate that meniscus tear is highly associated to cranial cruciate rupture and that the most common is type 1 (eversion of the caudal pole) and that cronicity of the lesion increases the probability of meniscus tear.(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Meniscos Tibiais/anatomia & histologia , Ligamento Cruzado Anterior/anatomia & histologia , Ligamento Cruzado Posterior/anatomia & histologia , Cães , Osteotomia/veterinária , Articulações/anatomia & histologia
3.
São Paulo; s.n; 09/11/2012. 126 p.
Tese em Português | VETINDEX | ID: biblio-1505126

Resumo

Avanço da tuberosidade tibial (ATT) é uma das técnicas para tratamento da ruptura do ligamento cruzado em cães desenvolvida por Montavon, Damur e Tepic (2002). O sucesso da técnica em reduzir ou eliminar as forças de deslocamento cranial da tíbia em joelhos com ruptura do ligamento cruzado cranial tem sido documentado em estudos experimentais e clínicos. No período pós-operatório a técnica, a falha do implante é relatada em 1 a 5% dos membros pélvicos operados. Este número foi atribuído a erro de técnica ou desenho inicial do implante que foi considerado insuficiente. Com objetivo de comparar a resistência biomecânica entre duas diferentes placas de ATT e minimizar a incidência de falhas de implante, foram realizados ensaios biomecânicos em 10 pares de membros pélvicos de cadáveres cães, no membro pélvico direito placa fixa por garfo e no membro pélvico esquerdo placa fixa por parafusos. Os ensaios foram realizados utilizando-se máquina universal de ensaios mecânicos Kratos® modelo 5002, dotada de célula de carga de 3000N com uma velocidade de ensaio de 20 mm/min. O parâmetro força e os gráficos gerados foram gravados por meio de sistema de aquisição analógica TRACOMP-W95 (TRCV61285). A média da carga máxima até a falha foi de 128,70 Kg/F (mínimo 104,55 Kg/F e máximo 151,80 Kg/F) e de 141,99 Kg/F (mínimo 111,60 Kg/F e máximo 169,65 Kg/F) no grupo utilizando garfo e parafusos respectivamente. O desvio padrão dos grupos garfo e parafuso foi baixo, 12,99 e 17,21 respectivamente. Foi encontrada diferença significativa (p = 0,0309) entre as médias dos grupos


Tibial tuberosity advancement (TTA) is one of the techniques for treatment of cruciate ligament rupture in dogs developed by Montavon, Damur and Tepic (2002). The success of the technique in reducing or eliminating the forces of cranial tibial displacement in knees with ruptured cranial cruciate ligament as been documented in experimental and clinical studies. In the post-operative technique, implant failure is reported in 1-5% of hindlimbs operated. This number was attributed to technical error or the initial design of the implant that was considered insufficient. To compare the biomechanical strength between two different plates ATT and minimize the incidence of implant failures, biomechanical tests were performed on 10 pairs of hindlimbs cadaver dogs, the right hindlimb fixed plate and a fork in the left pelvic limbplate fixed by screws. As says were performed using a universal mechanical testing Kratos ® model 5002, equipped with a load cell of 3000N with a test speed of 20 mm / min. The strength parameter and graphs generated were recorded via analog acquisition system TRACOMP-W95 (TRCV61285). The mean load to failure was 128.70 kg/F (minimum 104.55 Kg and maximum 151.80 Kg/F) and 141.99 Kg/F (minimum 111.60 Kg/F and maximum 169.65 Kg/F) in the group using fork and screws respectively. The standard deviation of the groups fork and bolt was low, 12.99 and 17.21 respectively. Significant difference (p = 0.0309) between the means of the groups


Assuntos
Cães , Cães/lesões , Ligamento Cruzado Anterior/anatomia & histologia , Ligamento Cruzado Posterior/anatomia & histologia , Osteotomia/veterinária , Parafusos Ósseos/veterinária , Meniscos Tibiais/anatomia & histologia , Parafusos Ósseos/estatística & dados numéricos
4.
São Paulo; s.n; 09/11/2012. 126 p.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-1229

Resumo

Avanço da tuberosidade tibial (ATT) é uma das técnicas para tratamento da ruptura do ligamento cruzado em cães desenvolvida por Montavon, Damur e Tepic (2002). O sucesso da técnica em reduzir ou eliminar as forças de deslocamento cranial da tíbia em joelhos com ruptura do ligamento cruzado cranial tem sido documentado em estudos experimentais e clínicos. No período pós-operatório a técnica, a falha do implante é relatada em 1 a 5% dos membros pélvicos operados. Este número foi atribuído a erro de técnica ou desenho inicial do implante que foi considerado insuficiente. Com objetivo de comparar a resistência biomecânica entre duas diferentes placas de ATT e minimizar a incidência de falhas de implante, foram realizados ensaios biomecânicos em 10 pares de membros pélvicos de cadáveres cães, no membro pélvico direito placa fixa por garfo e no membro pélvico esquerdo placa fixa por parafusos. Os ensaios foram realizados utilizando-se máquina universal de ensaios mecânicos Kratos® modelo 5002, dotada de célula de carga de 3000N com uma velocidade de ensaio de 20 mm/min. O parâmetro força e os gráficos gerados foram gravados por meio de sistema de aquisição analógica TRACOMP-W95 (TRCV61285). A média da carga máxima até a falha foi de 128,70 Kg/F (mínimo 104,55 Kg/F e máximo 151,80 Kg/F) e de 141,99 Kg/F (mínimo 111,60 Kg/F e máximo 169,65 Kg/F) no grupo utilizando garfo e parafusos respectivamente. O desvio padrão dos grupos garfo e parafuso foi baixo, 12,99 e 17,21 respectivamente. Foi encontrada diferença significativa (p = 0,0309) entre as médias dos grupos (AU)


Tibial tuberosity advancement (TTA) is one of the techniques for treatment of cruciate ligament rupture in dogs developed by Montavon, Damur and Tepic (2002). The success of the technique in reducing or eliminating the forces of cranial tibial displacement in knees with ruptured cranial cruciate ligament as been documented in experimental and clinical studies. In the post-operative technique, implant failure is reported in 1-5% of hindlimbs operated. This number was attributed to technical error or the initial design of the implant that was considered insufficient. To compare the biomechanical strength between two different plates ATT and minimize the incidence of implant failures, biomechanical tests were performed on 10 pairs of hindlimbs cadaver dogs, the right hindlimb fixed plate and a fork in the left pelvic limbplate fixed by screws. As says were performed using a universal mechanical testing Kratos ® model 5002, equipped with a load cell of 3000N with a test speed of 20 mm / min. The strength parameter and graphs generated were recorded via analog acquisition system TRACOMP-W95 (TRCV61285). The mean load to failure was 128.70 kg/F (minimum 104.55 Kg and maximum 151.80 Kg/F) and 141.99 Kg/F (minimum 111.60 Kg/F and maximum 169.65 Kg/F) in the group using fork and screws respectively. The standard deviation of the groups fork and bolt was low, 12.99 and 17.21 respectively. Significant difference (p = 0.0309) between the means of the groups (AU)


Assuntos
Cães , Cães/lesões , Ligamento Cruzado Anterior/anatomia & histologia , Ligamento Cruzado Posterior/anatomia & histologia , Osteotomia/veterinária , Parafusos Ósseos/veterinária , Parafusos Ósseos/estatística & dados numéricos , Meniscos Tibiais/anatomia & histologia
5.
Braz. j. vet. res. anim. sci ; 44(6): 408-414, 2007. ilus, tab, graf
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-5346

Resumo

Estudo-se o ligamento cruzado cranial de 30 cães, quantificando a proporção de fibras colágenas, reticulares e elásticas em 3 regiões, correspondentes à sua origem no fêmur, ao fragmento médio proximal e à inserção na tíbia. Os dados coletados foram confrontados com idade e peso dos animais. A média da proporção de fibras colágenas foi de 43%; fibras reticulares 16,28% e fibras elásticas 7,35%. Não existiu diferença significativa entre as 3 regiões ou entre estas regiões e a média do ligamento como um todo, quando confrontado os dados dos grupos separados por peso, mas ao separá-los conforme a idade observamos diferença muito significativa na proporção de fibras reticulares, a qual sofreu decréscimo progressivo diretamente proporcional com o avançar da idade.(AU)


The cranial cruciate ligament was studied in 30 dogs, where proportion of fibers collagen, elastic and reticulin were measured in 3 segments: femoral insertion, median segment and tibial insertion. The results were analyzed with confrontation of age and body weight. The data were statistically analyzed by means of ANOVA, “t”Student and correlation test. The results draw to the following conclusions: 1- )The mean of fibers collagen proportion was 43%, elastic fibers was 7,35% and reticulin fibers proportion was 16, 28%. 2 -) There was no difference between the 3 regions, 3.) By confrontation among reticulin fibers proportion measurements with the age, a high intensity correlation was observed, as older dog, less reticulin fibers proportion was found. 4 -) There was no significant differences among the ligament fibers proportion data concerning the body weight.(AU)


Assuntos
Animais , Masculino , Feminino , Cães , Ligamento Cruzado Anterior/anatomia & histologia , Ligamento Cruzado Posterior/anatomia & histologia
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA