Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 11 de 11
Filtrar
Mais filtros

Base de dados
Intervalo de ano de publicação
1.
Bol. Inst. Pesca (Impr.) ; 47: e631, 2021. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1465490

Resumo

This paper reports the evaluation of digestibility, immunological parameters, and resistance to thermal shock at low temperature in Litopenaeus vannamei fed diets with diferent Aurantiochytrium sp. meal additions (0; 0.5; 1 and 2%). First, the apparent digestibility coefficient of the ingredient was determined. The digestibility of the microalgae meal was high for protein (74.90%); around 60% for lipids, and for docosahexaenoic fatty acid (DHA) it was 55.61%. After, shrimp rearing with the feed additive was carried out in a clear water system, containing 25 shrimp (initial weight: 4.89 ± 0.27g) per 400 L tank. Feeding occurred four times a day. After a three-week period, immunological parameters were evaluated and thermal shock was performed. Animals fed 0.5% and 2% of the microalgae Aurantiochytrium sp. showed higher survival to thermal shock. In immunological analyses, the serum agglutiniting titer was higher (p <0.05) in the 0.5 and 2% additions of the microalgae meal, and the phenoloxidase activity (PO) was higher in the 1% addition (p <0.05). It is concluded that there is good utilization of the nutrients of Aurantiochytrium sp. meal by L. vannamei and its addition to the diet (0.5 and 1%) increased shrimp resistance to thermal shock.


Avaliou-se a digestibilidade, os parâmetros imunológicos e a resistência ao choque térmico a baixa temperatura em Litopenaeus vannamei alimentado com dietas contendo diferentes proporções de farinha da microalga Aurantiochytrium sp. (0; 0,5; 1 e 2%). Inicialmente, foi determinado o coeficiente de digestibilidade aparente do ingrediente. A digestibilidade da farinha da microalga foi alta para proteína (74,9%), e em torno no 60% para lipídeos em geral, sendo que para o ácido graxo docosahexaenóico (DHA) foi de 55,61%. Posteriormente, o cultivo com o aditivo alimentar foi realizado em sistema de água clara, contendo 25 camarões (peso inicial 4,89 ± 0,27 g) por tanque de 400 L, alimentados quatro vezes ao dia. Após o período de três semanas, foram avaliados os parâmetros imunológicos e realizado o choque térmico. Os animais alimentados com 0,5% e 1% da microalga na dieta apresentaram melhor sobrevivência ao choque térmico. Nas análises imunológicas, o título aglutinante do soro foi significativamente superior (p <0,05) nas adições de 0,5 e 2% da farinha da microalga, e a atividade da fonoloxidade (PO) na adição de 1% (p <0,05). Conclui-se que a farinha de Aurantiochytrium sp. tem bom aproveitamento de seus nutrientes por L. vannamei e sua adição na dieta (0,5 e 1%) aumentou a resistência dos camarões à variação térmica.


Assuntos
Animais , Penaeidae/imunologia , Penaeidae/metabolismo , Ração Animal/efeitos adversos , Temperatura Baixa/efeitos adversos
2.
B. Inst. Pesca ; 47: 1-8, 2021. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-764687

Resumo

This paper reports the evaluation of digestibility, immunological parameters, and resistance to thermal shock at low temperature in Litopenaeus vannamei fed diets with diferent Aurantiochytrium sp. meal additions (0; 0.5; 1 and 2%). First, the apparent digestibility coefficient of the ingredient was determined. The digestibility of the microalgae meal was high for protein (74.90%); around 60% for lipids, and for docosahexaenoic fatty acid (DHA) it was 55.61%. After, shrimp rearing with the feed additive was carried out in a clear water system, containing 25 shrimp (initial weight: 4.89 ± 0.27g) per 400 L tank. Feeding occurred four times a day. After a three-week period, immunological parameters were evaluated and thermal shock was performed. Animals fed 0.5% and 2% of the microalgae Aurantiochytrium sp. showed higher survival to thermal shock. In immunological analyses, the serum agglutiniting titer was higher (p <0.05) in the 0.5 and 2% additions of the microalgae meal, and the phenoloxidase activity (PO) was higher in the 1% addition (p <0.05). It is concluded that there is good utilization of the nutrients of Aurantiochytrium sp. meal by L. vannamei and its addition to the diet (0.5 and 1%) increased shrimp resistance to thermal shock.(AU)


Avaliou-se a digestibilidade, os parâmetros imunológicos e a resistência ao choque térmico a baixa temperatura em Litopenaeus vannamei alimentado com dietas contendo diferentes proporções de farinha da microalga Aurantiochytrium sp. (0; 0,5; 1 e 2%). Inicialmente, foi determinado o coeficiente de digestibilidade aparente do ingrediente. A digestibilidade da farinha da microalga foi alta para proteína (74,9%), e em torno no 60% para lipídeos em geral, sendo que para o ácido graxo docosahexaenóico (DHA) foi de 55,61%. Posteriormente, o cultivo com o aditivo alimentar foi realizado em sistema de água clara, contendo 25 camarões (peso inicial 4,89 ± 0,27 g) por tanque de 400 L, alimentados quatro vezes ao dia. Após o período de três semanas, foram avaliados os parâmetros imunológicos e realizado o choque térmico. Os animais alimentados com 0,5% e 1% da microalga na dieta apresentaram melhor sobrevivência ao choque térmico. Nas análises imunológicas, o título aglutinante do soro foi significativamente superior (p <0,05) nas adições de 0,5 e 2% da farinha da microalga, e a atividade da fonoloxidade (PO) na adição de 1% (p <0,05). Conclui-se que a farinha de Aurantiochytrium sp. tem bom aproveitamento de seus nutrientes por L. vannamei e sua adição na dieta (0,5 e 1%) aumentou a resistência dos camarões à variação térmica.(AU)


Assuntos
Animais , Penaeidae/imunologia , Penaeidae/metabolismo , Ração Animal/efeitos adversos , Temperatura Baixa/efeitos adversos
3.
Bol. Inst. Pesca (Impr.) ; 47: e652, 2021. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1465488

Resumo

The present study evaluated the use of the indigenous probiotic Lactobacillus plantarum and commercial probiotic containing Bacillus spp. in the culture of Litopenaeus vannamei in a biofloc system. Shrimp were fed four diets: L. plantarum, Bacillus spp., L. plantarum + Bacillus spp. and feed with no additives. Growth performance, water quality variables, microbiological counting of water and digestive tract of shrimp were determined. The control group and L. plantarum treatment showed better growth performance. The highest feed conversion ratio (FCR) and the lowest survival were obtained in the L. plantarum + Bacillus spp. treatment, which had significantly higher nitrite values. Vibrio spp. counts in the water were lower in the L. plantarum and L. plantarum + Bacillus spp. treatments and were lower in the intestinal tract in the L. plantarum treatment. Lactic acid bacteria (LAB) was higher in the L. plantarum treatment in the water and digestive tract. The count of total heterotrophic bacteria (THB) deferred only among Bacillus spp. and L. plantarum + Bacillus spp. treatment, being higher in the latter group. In Bacillus spp. treatment, no presence of LAB was detected in the water or intestinal tract. We conclude that the use of L. plantarum combined with Bacillus spp. negatively affected survival, FCR and water quality, but that the use of L. plantarum alone reduced the presence of Vibrio spp., even though it did not change the growth performance of L. vannamei.


O presente estudo avaliou o uso do probiótico endógeno Lactobacillus plantarum e do probiótico comercial contendo Bacillus spp. no cultivo de Litopenaeus vannamei em sistema de bioflocos. Camarões foram alimentados com quatro dietas: L. plantarum, Bacillus spp., L. plantarum + Bacillus spp. e ração sem aditivos. Foram avaliados o crescimento, a qualidade da água e contagem microbiológica na água e intestino dos camarões. O controle e o tratamento com L. plantarum apresentaram melhor desempenho de crescimento. O maior fator de conversão alimentar (FCA) e a menor sobrevivência foram obtidas no tratamento L. plantarum + Bacillus spp., apresentando valores de nitrito significativamente elevados. As contagens de Vibrio spp na água foram menores nos tratamentos L. plantarum e L. plantarum + Bacillus spp. e igualmente foram menores no intestino no tratamento com L. plantarum. As contagens de bactérias ácido lácticas (BAL) foram maiores no tratamento L. plantarum na água e no trato intestinal. A contagem de bactérias heterotróficas totais (BHT) diferiu apenas entre os tratamentos Bacillus spp. e L. plantarum + Bacillus spp., sendo maior no último grupo. No tratamento Bacillus spp. não foi detectada presença de BAL na água nem no trato intestinal. Concluímos que o uso de L. plantarum combinado com Bacillus spp. afetou negativamente a sobrevivência, o FCA e a qualidade da água, contudo o uso de L. plantarum isoladamente reduziu a presença de Vibrio spp., embora não tenha alterado o desempenho de crescimento de L. vannamei.


Assuntos
Animais , Penaeidae/crescimento & desenvolvimento , Penaeidae/metabolismo , Penaeidae/microbiologia , Probióticos/administração & dosagem , Probióticos/efeitos adversos
4.
B. Inst. Pesca ; 47: 1-9, 2021. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-764685

Resumo

The present study evaluated the use of the indigenous probiotic Lactobacillus plantarum and commercial probiotic containing Bacillus spp. in the culture of Litopenaeus vannamei in a biofloc system. Shrimp were fed four diets: L. plantarum, Bacillus spp., L. plantarum + Bacillus spp. and feed with no additives. Growth performance, water quality variables, microbiological counting of water and digestive tract of shrimp were determined. The control group and L. plantarum treatment showed better growth performance. The highest feed conversion ratio (FCR) and the lowest survival were obtained in the L. plantarum + Bacillus spp. treatment, which had significantly higher nitrite values. Vibrio spp. counts in the water were lower in the L. plantarum and L. plantarum + Bacillus spp. treatments and were lower in the intestinal tract in the L. plantarum treatment. Lactic acid bacteria (LAB) was higher in the L. plantarum treatment in the water and digestive tract. The count of total heterotrophic bacteria (THB) deferred only among Bacillus spp. and L. plantarum + Bacillus spp. treatment, being higher in the latter group. In Bacillus spp. treatment, no presence of LAB was detected in the water or intestinal tract. We conclude that the use of L. plantarum combined with Bacillus spp. negatively affected survival, FCR and water quality, but that the use of L. plantarum alone reduced the presence of Vibrio spp., even though it did not change the growth performance of L. vannamei.(AU)


O presente estudo avaliou o uso do probiótico endógeno Lactobacillus plantarum e do probiótico comercial contendo Bacillus spp. no cultivo de Litopenaeus vannamei em sistema de bioflocos. Camarões foram alimentados com quatro dietas: L. plantarum, Bacillus spp., L. plantarum + Bacillus spp. e ração sem aditivos. Foram avaliados o crescimento, a qualidade da água e contagem microbiológica na água e intestino dos camarões. O controle e o tratamento com L. plantarum apresentaram melhor desempenho de crescimento. O maior fator de conversão alimentar (FCA) e a menor sobrevivência foram obtidas no tratamento L. plantarum + Bacillus spp., apresentando valores de nitrito significativamente elevados. As contagens de Vibrio spp na água foram menores nos tratamentos L. plantarum e L. plantarum + Bacillus spp. e igualmente foram menores no intestino no tratamento com L. plantarum. As contagens de bactérias ácido lácticas (BAL) foram maiores no tratamento L. plantarum na água e no trato intestinal. A contagem de bactérias heterotróficas totais (BHT) diferiu apenas entre os tratamentos Bacillus spp. e L. plantarum + Bacillus spp., sendo maior no último grupo. No tratamento Bacillus spp. não foi detectada presença de BAL na água nem no trato intestinal. Concluímos que o uso de L. plantarum combinado com Bacillus spp. afetou negativamente a sobrevivência, o FCA e a qualidade da água, contudo o uso de L. plantarum isoladamente reduziu a presença de Vibrio spp., embora não tenha alterado o desempenho de crescimento de L. vannamei.(AU)


Assuntos
Animais , Penaeidae/crescimento & desenvolvimento , Penaeidae/metabolismo , Penaeidae/microbiologia , Probióticos/administração & dosagem , Probióticos/efeitos adversos
5.
Acta Sci. Anim. Sci. ; 402018. tab, graf, ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-733698

Resumo

The objective of this study was to determine the effect of replacing FM with mealworm (Tenebrio molitor) on the growth performance and immunologic responses of white shrimp. In addition, the toxicity of such replacement to white shrimp was measured. Mealworm was incorporated to partially or totally replace fish meal in diets for white shrimp. Experimental groups of shrimp with an average initial body weight of 2.39 ± 0.49 g were fed each of 4 isonitrogeneous diets formulated to include 0, 25, 50 and 100% (control, MW25, MW50 and MW100 respectively) of mealworm substituted for fish meal. After eight weeks of feeding trials, shrimp fed diets MW25, MW50 and MW100 had higher live weight gain (10.05 ± 3.06, 11.41 ± 2.08, and 10.36 ± 1.57, respectively), higher specific growth rate (2.56 ± 0.11, 2.79 ± 0.09, and 2.61 ± 0.07, respectively), and better feed conversion ratio (2.89 ± 0.08, 2.69 ± 0.09, and 2.72 ± 0.19, respectively) compared to those of shrimp fed control diet. Survival rate was 98% in all treatments. No toxicity was found in post-mortem pathophysiologic examinations. The levels of immune markers such as beta -glucan binding protein, prophenoloxidase and crustin associated with shrimps cellular and humoral immunity were found to be higher in 25 and 50% mealworm replacement groups. These results clearly indicated that replacement of fish meal with 50% mealworm for shrimp diet was optimal in promoting the growth performance of shrimp without any adverse effect.(AU)


O objetivo deste estudo foi determinar o efeito da substituição do FM por larva de farinha (Tenebrio molitor) sobre o desempenho de crescimento e respostas imunológicas do camarão branco. Além disso, a toxicidade dessa substituição ao camarão branco foi medida. As larvas foram inseridas para substituir parcialmente ou totalmente a farinha de peixe em dietas do camarão branco. Grupos experimentais de camarão com a média de peso inicial de 2.39 ± 0.49g, foram alimentados com quatro dietas isonitrogênicas elaboradas para incluir 0, 25, 50 e 100% (control, MW25, MW50 e MW100 respectivamente) de larvas substituído por farinha de peixe. Após oito semanas de experiencia, os camarões alimentados pelas dietas MW25, MW50 e MW100 tiveram um maior ganho de peso (10.05 ± 3.06, 11.41 ± 2.08 e 10.36 ± 1.57, respectivamente), e uma taxa de crescimento especifico mais alta (2.56 ± 0.11, 2.79 ± 0.09, e2.61 ± 0.07 respectivamente), comparados a aqueles que tiveram a dieta de controle. A taxa de sobrevivência foi de 98% em todos os tratamentos. Nenhuma toxina foi encontrada após a morte, nas quais foram feitos exames fisiopatológicos. Os níveis de marcadores imunológicos como as ligações de proteína betaglucanos, prophenoloxidase, crustinas associadas à imunidade celular e humoral do camarão, foram encontrados maiores que 25 e 50% dos grupos substituídos pelas larvas. Esses resultados indicaram que a troca da farinha de peixe com 50% de larvas para a dieta dos camarões foi ideal para promover o desempenho de crescimento do camarão sem qualquer efeito adverso.(AU)


Assuntos
Animais , Penaeidae/imunologia , Penaeidae/metabolismo , Tenebrio/química , Crescimento
6.
Acta sci., Anim. sci ; 402018. tab, graf, ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1459790

Resumo

The objective of this study was to determine the effect of replacing FM with mealworm (Tenebrio molitor) on the growth performance and immunologic responses of white shrimp. In addition, the toxicity of such replacement to white shrimp was measured. Mealworm was incorporated to partially or totally replace fish meal in diets for white shrimp. Experimental groups of shrimp with an average initial body weight of 2.39 ± 0.49 g were fed each of 4 isonitrogeneous diets formulated to include 0, 25, 50 and 100% (control, MW25, MW50 and MW100 respectively) of mealworm substituted for fish meal. After eight weeks of feeding trials, shrimp fed diets MW25, MW50 and MW100 had higher live weight gain (10.05 ± 3.06, 11.41 ± 2.08, and 10.36 ± 1.57, respectively), higher specific growth rate (2.56 ± 0.11, 2.79 ± 0.09, and 2.61 ± 0.07, respectively), and better feed conversion ratio (2.89 ± 0.08, 2.69 ± 0.09, and 2.72 ± 0.19, respectively) compared to those of shrimp fed control diet. Survival rate was 98% in all treatments. No toxicity was found in post-mortem pathophysiologic examinations. The levels of immune markers such as beta -glucan binding protein, prophenoloxidase and crustin associated with shrimp’s cellular and humoral immunity were found to be higher in 25 and 50% mealworm replacement groups. These results clearly indicated that replacement of fish meal with 50% mealworm for shrimp diet was optimal in promoting the growth performance of shrimp without any adverse effect.


O objetivo deste estudo foi determinar o efeito da substituição do FM por larva de farinha (Tenebrio molitor) sobre o desempenho de crescimento e respostas imunológicas do camarão branco. Além disso, a toxicidade dessa substituição ao camarão branco foi medida. As larvas foram inseridas para substituir parcialmente ou totalmente a farinha de peixe em dietas do camarão branco. Grupos experimentais de camarão com a média de peso inicial de 2.39 ± 0.49g, foram alimentados com quatro dietas isonitrogênicas elaboradas para incluir 0, 25, 50 e 100% (control, MW25, MW50 e MW100 respectivamente) de larvas substituído por farinha de peixe. Após oito semanas de experiencia, os camarões alimentados pelas dietas MW25, MW50 e MW100 tiveram um maior ganho de peso (10.05 ± 3.06, 11.41 ± 2.08 e 10.36 ± 1.57, respectivamente), e uma taxa de crescimento especifico mais alta (2.56 ± 0.11, 2.79 ± 0.09, e2.61 ± 0.07 respectivamente), comparados a aqueles que tiveram a dieta de controle. A taxa de sobrevivência foi de 98% em todos os tratamentos. Nenhuma toxina foi encontrada após a morte, nas quais foram feitos exames fisiopatológicos. Os níveis de marcadores imunológicos como as ligações de proteína betaglucanos, prophenoloxidase, crustinas associadas à imunidade celular e humoral do camarão, foram encontrados maiores que 25 e 50% dos grupos substituídos pelas larvas. Esses resultados indicaram que a troca da farinha de peixe com 50% de larvas para a dieta dos camarões foi ideal para promover o desempenho de crescimento do camarão sem qualquer efeito adverso.


Assuntos
Animais , Penaeidae/imunologia , Penaeidae/metabolismo , Tenebrio/química , Crescimento
7.
Acta sci., Anim. sci ; 40: e42570-e42570, 2018. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-738833

Resumo

Litopenaeus vannamei shrimp were reared in a bioflocs system and fed different levels of soybean protein concentrate as a replacement for fishmeal, and both immunological parameters of this marine shrimp and its resistance to Vibrio sp. infection (CPQBA 378-12 DRM01) were evaluated. Four different diets were formulated with 0, 33, 66 and 100 % of soybean protein concentrate as a substitute for fishmeal. Shrimp were reared in a biofloc system in twelve 800 L tanks (250 shrimp m-3) maintained at constant aeration and temperature. After 42 days, 36 animals (14.21 ± 0.89 g) per treatment were challenged with Vibrio sp. (1 x 105 CFU mL-1 - LD10), and hemolymph was collected before and after challenge to perform immunological assays (agglutination titer, concentration of protein and phenoloxidase activity). Shrimp fed with the experimental diets showed no difference in their resistance to infection and haemato-immunological parameters. Thus, rearing L. vannamei in a biofloc system on diets containing either partial or total replacement of fishmeal for soybean protein concentrate did not affect either immunocompetence or susceptibility to infection.(AU)


O presente trabalho avaliou os parâmetros imunológicos e a resistência contra o Vibrio sp. (CPQBA 378-12 DRM01) de camarões marinhos Litopenaeus vannamei alimentados com diferentes níveis de concentrado proteico de soja em substituição à farinha de peixe e cultivados em sistema de bioflocos. Foram formuladas quatro dietas com 0, 33, 66 e 100 % de concentrado proteico de soja em substituição a farinha de peixe. Os camarões foram cultivados em 12 tanques de 800 L com 250 camarões m-3, sob temperatura e aeração constantes. Após 42 dias, 36 animais (14,21 ± 0,89 g) por tratamento foram desafiados com Vibrio sp. (1 x 105 UFC mL-1 - DL10). Antes e após o desafio foi coletada hemolinfa para avaliação dos parâmetros imunológicos (título aglutinante, concentração de proteína no soro e atividade da fenoloxidase). Não houve diferença na resistência ao desafio e nos parâmetros imunológicos entre os tratamentos. Portanto, o cultivo de L. vannamei em sistema de bioflocos utilizando dietas com substituição total ou parcial com concentrado proteico de soja não afeta sua imunocompetência e susceptibilidade a infecção bacteriana.(AU)


Assuntos
Animais , Ração Animal/análise , Proteínas/análise , Penaeidae/química , Penaeidae/metabolismo , Infecções/imunologia , Vibrio
8.
Acta sci., Anim. sci ; 40: 42570-42570, 2018. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1459818

Resumo

Litopenaeus vannamei shrimp were reared in a bioflocs system and fed different levels of soybean protein concentrate as a replacement for fishmeal, and both immunological parameters of this marine shrimp and its resistance to Vibrio sp. infection (CPQBA 378-12 DRM01) were evaluated. Four different diets were formulated with 0, 33, 66 and 100 % of soybean protein concentrate as a substitute for fishmeal. Shrimp were reared in a biofloc system in twelve 800 L tanks (250 shrimp m-3) maintained at constant aeration and temperature. After 42 days, 36 animals (14.21 ± 0.89 g) per treatment were challenged with Vibrio sp. (1 x 105 CFU mL-1 - LD10), and hemolymph was collected before and after challenge to perform immunological assays (agglutination titer, concentration of protein and phenoloxidase activity). Shrimp fed with the experimental diets showed no difference in their resistance to infection and haemato-immunological parameters. Thus, rearing L. vannamei in a biofloc system on diets containing either partial or total replacement of fishmeal for soybean protein concentrate did not affect either immunocompetence or susceptibility to infection.


O presente trabalho avaliou os parâmetros imunológicos e a resistência contra o Vibrio sp. (CPQBA 378-12 DRM01) de camarões marinhos Litopenaeus vannamei alimentados com diferentes níveis de concentrado proteico de soja em substituição à farinha de peixe e cultivados em sistema de bioflocos. Foram formuladas quatro dietas com 0, 33, 66 e 100 % de concentrado proteico de soja em substituição a farinha de peixe. Os camarões foram cultivados em 12 tanques de 800 L com 250 camarões m-3, sob temperatura e aeração constantes. Após 42 dias, 36 animais (14,21 ± 0,89 g) por tratamento foram desafiados com Vibrio sp. (1 x 105 UFC mL-1 - DL10). Antes e após o desafio foi coletada hemolinfa para avaliação dos parâmetros imunológicos (título aglutinante, concentração de proteína no soro e atividade da fenoloxidase). Não houve diferença na resistência ao desafio e nos parâmetros imunológicos entre os tratamentos. Portanto, o cultivo de L. vannamei em sistema de bioflocos utilizando dietas com substituição total ou parcial com concentrado proteico de soja não afeta sua imunocompetência e susceptibilidade a infecção bacteriana.


Assuntos
Animais , Infecções/imunologia , Penaeidae/metabolismo , Penaeidae/química , Proteínas/análise , Ração Animal/análise , Vibrio
9.
B. Inst. Pesca ; 42(2): 457-463, abr./jun. 2016. ilus, tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-684317

Resumo

This study aimed to evaluate the diet supplementation with sodium butyrate, probiotic (Lactobacillus plantarum) and their interaction, in the diet for post-larvae of the Pacific white shrimp (Litopenaeus vannamei) in pre-nursery. We used the following treatments during the entire experimental period: (1) Probiotic 1x108 UFC/g, sodium butyrate 2%, (3) probiotic 1x108 UFC/g + sodium butyrate 2%, (4) control (Base diet). In all treatment we added culture medium in the same doses as in the probiotic treatments. We used 16 experimental units of 60L each, with the bottom Ushaped, stocked with 2,880 post-larvae 5. Fifteen days later, regardless the presence or absence of the probiotic, shrimps from treatment with butyrate had higher survival (p = 0.0039) and lowest individual dry weight (p = 0.0043). No morphological changes were observed in the gut of postlarvae in any treatment. Therefore, the diet supplementation with sodium butyrate increases the survival of shrimp post-larvae of in the pre-nursery phase, without causing morphological changes in its gut.(AU)


Este estudo teve por objetivo avaliar o uso suplementar de probiótico (Lactobacillus plantarum) e butirato de sódio, e a interação deles na dieta de póslarvas de camarão-branco-do-pacífico (Litopenaeus vannamei) em fase de pré-berçário. Durante o experimento foram aplicados nas dietas os tratamentos: (1) probiótico 1x108 UFC/g, (2) butirato de sódio 2%, (3) probiótico 1x108 UFC/g + butirato de sódio 2%, (4) controle (dieta base). Todos os tratamentos tiveram a adição de meio de cultura na mesma dosagem utilizada nos tratamentos com probiótico. Foram utilizadas 16 unidades experimentais de 60 L cada uma, com fundo em formato U, povoadas com 2.880 póslarvas 5. Após quinze dias, independentemente da presença ou não do probiótico, os camarões dos tratamentos com butirato apresentaram maior sobrevivência (p = 0,0039) e menor peso seco individual (p = 0,0043). Não foram observadas alterações morfológicas no intestino das pós-larvas em nenhum dos tratamentos. Portanto, a suplementação com butirato de sódio na ração aumenta a sobrevivência das pós-larvas de camarões na fase de pré-berçário sem causar alteração morfológica em seu intestino.(AU)


Assuntos
Animais , Suplementos Nutricionais/análise , Probióticos/análise , Butiratos/análise , Penaeidae/metabolismo , Larva , Lactobacillus plantarum , Crustáceos/metabolismo , Dieta/veterinária , Compostos Orgânicos
10.
Bol. Inst. Pesca (Impr.) ; 42(2): 457-463, abr./jun. 2016. ilus, tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1465161

Resumo

This study aimed to evaluate the diet supplementation with sodium butyrate, probiotic (Lactobacillus plantarum) and their interaction, in the diet for post-larvae of the Pacific white shrimp (Litopenaeus vannamei) in pre-nursery. We used the following treatments during the entire experimental period: (1) Probiotic 1x108 UFC/g, sodium butyrate 2%, (3) probiotic 1x108 UFC/g + sodium butyrate 2%, (4) control (Base diet). In all treatment we added culture medium in the same doses as in the probiotic treatments. We used 16 experimental units of 60L each, with the bottom Ushaped, stocked with 2,880 post-larvae 5. Fifteen days later, regardless the presence or absence of the probiotic, shrimps from treatment with butyrate had higher survival (p = 0.0039) and lowest individual dry weight (p = 0.0043). No morphological changes were observed in the gut of postlarvae in any treatment. Therefore, the diet supplementation with sodium butyrate increases the survival of shrimp post-larvae of in the pre-nursery phase, without causing morphological changes in its gut.


Este estudo teve por objetivo avaliar o uso suplementar de probiótico (Lactobacillus plantarum) e butirato de sódio, e a interação deles na dieta de póslarvas de camarão-branco-do-pacífico (Litopenaeus vannamei) em fase de pré-berçário. Durante o experimento foram aplicados nas dietas os tratamentos: (1) probiótico 1x108 UFC/g, (2) butirato de sódio 2%, (3) probiótico 1x108 UFC/g + butirato de sódio 2%, (4) controle (dieta base). Todos os tratamentos tiveram a adição de meio de cultura na mesma dosagem utilizada nos tratamentos com probiótico. Foram utilizadas 16 unidades experimentais de 60 L cada uma, com fundo em formato U, povoadas com 2.880 póslarvas 5. Após quinze dias, independentemente da presença ou não do probiótico, os camarões dos tratamentos com butirato apresentaram maior sobrevivência (p = 0,0039) e menor peso seco individual (p = 0,0043). Não foram observadas alterações morfológicas no intestino das pós-larvas em nenhum dos tratamentos. Portanto, a suplementação com butirato de sódio na ração aumenta a sobrevivência das pós-larvas de camarões na fase de pré-berçário sem causar alteração morfológica em seu intestino.


Assuntos
Animais , Butiratos/análise , Larva , Penaeidae/metabolismo , Probióticos/análise , Suplementos Nutricionais/análise , Compostos Orgânicos , Crustáceos/metabolismo , Dieta/veterinária , Lactobacillus plantarum
11.
Braz. j. biol ; 71(1): 131-137, Feb. 2011. ilus, graf, tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: lil-578408

Resumo

This study describes the accumulation of Hg and metallothionein gene expression in Litopenaeus vannamei Boone, 1931 with aquafeeds as the major source of Hg. Trials were conducted under controlled conditions in experimental tank facilities with high (indoor tanks) and low (outdoor tanks) Hg aquafeeds concentrations. Aquafeeds were the sole source of Hg for the shrimps and concentrations varied from 5.4 to 124 ng.g-1 d.w.. In the three animal fractions analysed; muscle (6,3 - 15,9 ng.g-1); hepatopancreas (5,1 - 22,0 ng.g-1) and exoskeleton (3,0 - 16,2 ng.g-1), Hg concentrations were significantly lower in the outdoor trials submitted to Hg-poor aquafeeds. Maximum shrimp muscle Hg concentrations were low (36.4 ng.g-1 w.w.) relative to maximum permissible concentrations for human consumption and Hg content in muscle and hepatopancreas were significantly correlated with Hg content in aquafeeds. Highest Hg concentrations in the exoskeleton of animals exposed to Hg-richer aquafeed, suggested that a detoxification mechanism is taking place. On the other hand the metallothionein suffered no variation in its relative expression in any of the experiments, meaning that the contact with feed containing the observed Hg concentrations were not sufficient to activate gene transcription. It was not possible, under the experimental design used, to infer Hg effects on the biological performance of the animals.


Este estudo descreve a acumulação de Hg e a expressão gênica de metaloproteínas em Litopenaeus vannamei Boone, 1931 tendo a ração como única fonte de Hg. Os experimentos ocorreram sob condições experimentais controladas comparando-se tanques receptores de rações ricas em Hg (tanques interiores) e pobres em Hg (tanques exteriores). As concentrações de Hg nas rações variaram de 5,4 a 124 ng.g-1 em peso seco. Nas três frações dos animais analisados; músculo (6,3 - 15,9 ng.g-1); hepatopâncreas (5,1 - 22,0 ng.g-1); e exoesqueleto (3,0 - 16,2 ng.g-1), as concentrações de Hg foram significativamente menores nos experimentos em tanques exteriores submetidos a rações com menores teores de Hg. As maiores concentrações de Hg medidas na musculatura dos camarões ao final do experimento (34,6 ng.g-1) foram muito baixas em relação às concentrações legais máximas permitidas para consumo humano e as concentrações em musculatura e hepatopâncreas foram significativamente correlacionadas às concentrações nas rações. As maiores concentrações de Hg medidas no exoesqueleto de animais expostos a rações de maior conteúdo de Hg, sugerem a ocorrência de um mecanismo de detoxificação. Por outro lado, a expressão de metaloproteínas não apresentou variação entre as diferentes concentrações de Hg presentes na ração, sugerindo que a concentração utilizada não foi capaz de induzir a transcrição gênica responsável pela produção de metaloproteínas.


Assuntos
Animais , Ração Animal/análise , Aquicultura , Mercúrio/farmacocinética , Metalotioneína/genética , Penaeidae/química , Expressão Gênica , Metalotioneína/metabolismo , Penaeidae/metabolismo , Reação em Cadeia da Polimerase
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA