Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 4 de 4
Filtrar
Mais filtros

Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Pesqui. vet. bras ; 37(4): 339-345, Apr. 2017. tab, graf
Artigo em Português | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-895413

Resumo

O pescado é um alimento altamente perecível, possui pH próximo a neutralidade, elevada atividade de água e alto teor de nutrientes facilmente utilizáveis por micro-organismos. Vibrio parahaemolyticus pode ser encontrado em ambientes com salinidade entre 3% e 8% e tem pH ideal para multiplicação entre 7,8 e 8,6. É um patógeno que pode causar gastrenterite aguda pelo consumo de frutos do mar contaminados, crus ou mal cozidos. Mesmo os processos de tratamento de água como cloração, adição de antibióticos e filtros apresentam dificuldade em reduzir a contaminação por Vibrio, sendo suposto que este gênero bacteriano pode formar biofilmes em diferentes superfícies. O objetivo do trabalho foi verificar a capacidade de V. parahaemolyticus isolados de pescados formarem biofilme após estresse subletal. No decorrer de um ano, foram realizadas 12 coletas mensais de amostras de peixes capturados no estuário da Lagoa dos Patos, as quais foram analisadas quanto à presença de V. parahaemolyticus. Concomitantemente, foram coletadas assepticamente amostras de água do estuário para análise de sanilidade e pH. Os isolados de Vibrio foram analisados pela reação em cadeia da polimerase (PCR) para identificação da espécie pela presença dos genes toxR. Além dos isolados obtidos no presente trabalho, também foram estudadas 15 outras cepas de V. parahaemolyticus previamente isoladas em outros trabalhos. As cepas foram avaliadas quanto à capacidade de produção de biofilme em placas de microtitulação. A capacidade de produção de biofilme após as cepas serem submetidas a diferentes tipos de estresse subletal (42ºC, 20ºC, 4ºC e pH ácido) também foi testada. Dentre os 120 peixes analisados, foram isolados V. parahaemolyticus de quatro (3,33%) pescados, sendo Mugil platanus a única espécie de peixe na qual o micro-organismo foi encontrado. Das 19 cepas analisadas, 89,5% foram capazes de formar biofilme, o que parece indicar que essa capacidade tem um papel importante na sobrevivência do micro-organismo nos pescados. Dessas, 25% das cepas aumentaram a capacidade de formar biofilme. Com base nos resultados, conclui-se que peixes da espécie M. platanus do estuário da Lagoa dos Patos são hospedeiros de V. parahaemolyticus e que a quase totalidade das cepas são formadoras de biofilme. A exposição a condições subletais de estresse tem efeito distinto sobre as diferentes cepas, induzindo aumento na capacidade de formar biofilme em algumas. Este foi o primeiro estudo realizado com V. parahaemolyticus, para avaliar o efeito de fatores de estresse sobre a formação de biofilme.(AU)


Fish is a highly perishable food, has a neutral pH, high water activity and high content nutrient, which makes it favorable to the microorganisms multiplication. Vibrio parahaemolyticus may be found in environments with a salinity of 3% and 8% and has optimal pH for multiplication between 7.8 and 8.6. This pathogen can cause acute gastroenteritis by consumption of contaminated raw or undercooked seafood. There is difficulty in reducing Vibrio contamination during fish processing, being supposed that this bacterial genus can form biofilm on different surfaces. The aim of this study was to verify the ability of V. parahaemlyticus isolated from fish from biofilm after sublethal stress. In the course of one year, 12 monthly samples of fish caught in the Lagoa dos Patos Estuary were analyzed for the presence of V. parahaemolyticus. Concurrently, water samples from estuary were collected aseptically for salinity analysis and pH. Vibrio isolates were analyzed by polymerase chain reaction (PCR) to identification of the species by presence of the toxR gene. In addition to the isolates obtained in this study were also studied 15 other strains of V. parahaemolyticus previously isolated in other works. The strains were evaluated for biofilm production capacity in microtiter plates. The biofilm production capacity after the strains had being subjected to different types of sublethal stress (42oC, 20°C, 4°C and acid pH) was also tested. Among the 120 analyzed fish, V. parahaemolyticus were isolated from four (3.33%) fishes, and Mugil platanus was the only species in which the microorganism was found. Among the 19 strains analyzed, 89.5% were able to form biofilm, which seems to indicate that this ability has an important role in the microorganism survival in the fish. Among these strains, 25% increased the ability to form biofilm after sublethal exposure. Based on the results, we concluded that fish of the species M. platanus of the Lagoa dos Patos Estuary are hosts of V. parahaemolyticus and that almost all of these strains are forming biofilm. Exposure to sublethal stress conditions has distinct effect on different strains, inducing an increase in the ability to form biofilm in some. This was the first study about the effects of stress on the V. parahaemolyticus biofilms formation.(AU)


Assuntos
Animais , Estresse Fisiológico , Vibrio parahaemolyticus , Acidez da Água , Biofilmes , Smegmamorpha/microbiologia , Reação em Cadeia da Polimerase/veterinária
2.
Pesqui. vet. bras ; 37(4): 339-345, Apr. 2017. tab, graf
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-23631

Resumo

O pescado é um alimento altamente perecível, possui pH próximo a neutralidade, elevada atividade de água e alto teor de nutrientes facilmente utilizáveis por micro-organismos. Vibrio parahaemolyticus pode ser encontrado em ambientes com salinidade entre 3% e 8% e tem pH ideal para multiplicação entre 7,8 e 8,6. É um patógeno que pode causar gastrenterite aguda pelo consumo de frutos do mar contaminados, crus ou mal cozidos. Mesmo os processos de tratamento de água como cloração, adição de antibióticos e filtros apresentam dificuldade em reduzir a contaminação por Vibrio, sendo suposto que este gênero bacteriano pode formar biofilmes em diferentes superfícies. O objetivo do trabalho foi verificar a capacidade de V. parahaemolyticus isolados de pescados formarem biofilme após estresse subletal. No decorrer de um ano, foram realizadas 12 coletas mensais de amostras de peixes capturados no estuário da Lagoa dos Patos, as quais foram analisadas quanto à presença de V. parahaemolyticus. Concomitantemente, foram coletadas assepticamente amostras de água do estuário para análise de sanilidade e pH. Os isolados de Vibrio foram analisados pela reação em cadeia da polimerase (PCR) para identificação da espécie pela presença dos genes toxR. Além dos isolados obtidos no presente trabalho, também foram estudadas 15 outras cepas de V. parahaemolyticus previamente isoladas em outros trabalhos. As cepas foram avaliadas quanto à capacidade de produção de biofilme em placas de microtitulação. A capacidade de produção de biofilme após as cepas serem submetidas a diferentes tipos de estresse subletal (42ºC, 20ºC, 4ºC e pH ácido) também foi testada. Dentre os 120 peixes analisados, foram isolados V. parahaemolyticus de quatro (3,33%) pescados, sendo Mugil platanus a única espécie de peixe na qual o micro-organismo foi encontrado. Das 19 cepas analisadas, 89,5% foram capazes de formar biofilme, o que parece indicar que essa capacidade tem um papel importante na sobrevivência do micro-organismo nos pescados. Dessas, 25% das cepas aumentaram a capacidade de formar biofilme. Com base nos resultados, conclui-se que peixes da espécie M. platanus do estuário da Lagoa dos Patos são hospedeiros de V. parahaemolyticus e que a quase totalidade das cepas são formadoras de biofilme. A exposição a condições subletais de estresse tem efeito distinto sobre as diferentes cepas, induzindo aumento na capacidade de formar biofilme em algumas. Este foi o primeiro estudo realizado com V. parahaemolyticus, para avaliar o efeito de fatores de estresse sobre a formação de biofilme.(AU)


Fish is a highly perishable food, has a neutral pH, high water activity and high content nutrient, which makes it favorable to the microorganisms multiplication. Vibrio parahaemolyticus may be found in environments with a salinity of 3% and 8% and has optimal pH for multiplication between 7.8 and 8.6. This pathogen can cause acute gastroenteritis by consumption of contaminated raw or undercooked seafood. There is difficulty in reducing Vibrio contamination during fish processing, being supposed that this bacterial genus can form biofilm on different surfaces. The aim of this study was to verify the ability of V. parahaemlyticus isolated from fish from biofilm after sublethal stress. In the course of one year, 12 monthly samples of fish caught in the Lagoa dos Patos Estuary were analyzed for the presence of V. parahaemolyticus. Concurrently, water samples from estuary were collected aseptically for salinity analysis and pH. Vibrio isolates were analyzed by polymerase chain reaction (PCR) to identification of the species by presence of the toxR gene. In addition to the isolates obtained in this study were also studied 15 other strains of V. parahaemolyticus previously isolated in other works. The strains were evaluated for biofilm production capacity in microtiter plates. The biofilm production capacity after the strains had being subjected to different types of sublethal stress (42oC, 20°C, 4°C and acid pH) was also tested. Among the 120 analyzed fish, V. parahaemolyticus were isolated from four (3.33%) fishes, and Mugil platanus was the only species in which the microorganism was found. Among the 19 strains analyzed, 89.5% were able to form biofilm, which seems to indicate that this ability has an important role in the microorganism survival in the fish. Among these strains, 25% increased the ability to form biofilm after sublethal exposure. Based on the results, we concluded that fish of the species M. platanus of the Lagoa dos Patos Estuary are hosts of V. parahaemolyticus and that almost all of these strains are forming biofilm. Exposure to sublethal stress conditions has distinct effect on different strains, inducing an increase in the ability to form biofilm in some. This was the first study about the effects of stress on the V. parahaemolyticus biofilms formation.(AU)


Assuntos
Animais , Estresse Fisiológico , Vibrio parahaemolyticus , Acidez da Água , Biofilmes , Smegmamorpha/microbiologia , Reação em Cadeia da Polimerase/veterinária
3.
R. Inst. Adolfo Lutz ; 74(2): 151-155, 2015. tab, graf
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-324204

Resumo

Lagoa dos Patos estuary is an important artisanal fishing pole because it represents an area for breeding several species of fish and shellfish. Water is directly influenced by meteorological factors, which interfere in the ocean water into the estuary and flow, reflecting on the salinity. For this reason, there is the possibility of V. parahaemolyticus be found in the lagoon estuary; consequently the fish caught from these place could offer risks to the health of consumers. The objective of this study was to evaluate the presence of V. parahaemolyticus in the Lagoa dos Patos estuary, and in the fishes captured from small-scale fishing and processing. Fifty-six samples of fish caught from the Lagoa dos Patos estuary were analyzed for the presence of V. parahaemolyticus. Three of five species analyzed, shrimp (Farfantepenaeus paulensis), mullet (Mugil platanus) and sole (Paralichthys orbignyanus) harbored this microorganism. These results serve as a warning for providing the best technical oversight to the production of fish, and also the adoption of hygienic and sanitary measures to prevent the risk of transmission of this pathogen to consumers. This is the first report on the isolation of V. parahaemolyticus from F. paulensis, M. platanus and P.orbignyanus(AU)


O estuário da Lagoa dos Patos é um importante polo pesqueiro artesanal por constituir área de criação de diversas espécies de peixes e crustáceos. Suas águas são influenciadas diretamente por fatores meteorológicos, os quais interferem na entrada de água oceânica no estuário e na vazão, refletindo na sua salinidade. Por esta razão, há a possibilidade de V. parahaemolyticus ser encontrado no estuário da lagoa e, consequentemente, nos pescados nele capturados, o que ofereceria risco aos consumidores. O objetivo do estudo foi de avaliar a presença de V. parahaemolyticus em pescados do estuário da Lagoa dos Patos, capturados e processados artesanalmente. Cinquenta e seis amostras de pescados oriundos do estuário da Lagoa dos Patos foram analisadas quanto à presença de V. parahaemolyticus. Três das cinco espécies analisadas, camarão-rosa (Farfantepenaeus paulensis), tainha (Mugil platanus) e linguado (Paralichthys orbignyanus) albergavam o micro-organismo pesquisado. Estes resultados servem de alerta para a necessidade de maior fiscalização na produção de pescados, bem como da adoção de medidas higiênico-sanitárias que previnam o risco de transmissão deste patógeno para os consumidores. Este é o primeiro registro de isolamento de V. parahaemolyticus de F. paulensis, M. platanus e P. orbignyanus(AU)


Assuntos
Animais , Vibrio parahaemolyticus/isolamento & purificação , Astacoidea/microbiologia , Smegmamorpha/microbiologia , Linguados/microbiologia , Contaminação de Alimentos/análise , Vibrioses/diagnóstico , Crustáceos/microbiologia , Peixes/microbiologia , Reação em Cadeia da Polimerase/veterinária
4.
Braz. J. Biol. ; 70(1): 205-209, Feb. 2010. tab, ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-2650

Resumo

The aim of this study was to evaluate the pathogenicity of Vibrio alginolyticus isolated from an outbreak of sea horse Hippocampus reidi reared in the State of Santa Catarina, Brazil, by experimental infection. Sea horses with necrosis on the mouth epithelium were collected from aquaria at the Aquaculture Department, UFSC and the bacterium isolated from the mouth, liver, heart and blood in tiosulphate citrate bilesalt sucrose agar broth. The strains were identified by API 20E kit with 99.1 percent probability as Vibrio alginolyticus. Twelve adult sea horses (9.63 ± 2.42 g and 15.12 ± 0.87 cm) were distributed in six aquaria of 10 L capacity with aerated sea water. Fish from three aquaria were submitted to an immersion bath in a solution containing 1.0 × 10(7) CFU of V. alginolyticus/mL for 15 minutes. Fish from the other three aquaria received the same procedure without bacteria. Twenty four hours after this challenge, 100 percent mortality was observed in the animals infected with V. alginolyticus. No mortality was observed in non-infected fish. Hyperplasia, displacement and fusion of secondary lamellae of the gills; leukocyte infiltration and necrotic foci in the kidney; hyperplasia, sinusoidal deformation and necrotic foci in the liver were observed in histopathological analysis. The V. alginolyticus isolated in this study was pathogenic to H. reidi and constitutes an important sanitary problem to its culture.(AU)


Foi avaliado por meio de infecção experimental a patogenicidade de Vibrio alginolyticus isolado de um surto de enfermidade em cavalo-marinho Hippocampus reidi cultivado no Estado de Santa Catarina, Brasil. Os peixes com necroses no epitélio bucal foram coletados em aquários do Departamento de Aquicultura, UFSC e as bactérias isoladas da boca, fígado, coração e sangue em meio Agar tiossulfato citrato bile sacarose. Os isolados foram identificados pelo kit API 20E como Vibrio alginolyticus com 99,1 por cento de probabilidade. Doze peixes adultos (9,63 ± 2,42 g e 15,12 ± 0,87 cm) foram distribuídos em seis aquários de 10 L com água marinha e aeração. Peixes de três aquários foram submetidos a um banho de imersão por 15 minutos em uma solução contendo 1,0 × 10(7) UFC de V. alginolyticus/mL. Nos outros três aquários realizou-se o mesmo procedimento sem a bactéria. Vinte e quatro horas após o desafio, 100 por cento de mortalidade foi observada nos animais infectados com V. alginolyticus. Não houve mortalidade nos peixes não infectados. Nas análises histopatológicas, foi observado hiperplasia, deslocamento do epitélio e fusão das lamelas secundárias das brânquias; infiltração de leucócitos e necrose no rim; hiperplasia, deformação sinusoidal e necrose no fígado nos animais desafiados com V. alginolyticus. O V. alginolyticus isolado neste estudo foi patogênico para H. reidi, constituindo-se de um importante problema para seu cultivo.(AU)


Assuntos
Animais , Doenças dos Peixes/microbiologia , Smegmamorpha/microbiologia , Vibrioses/microbiologia , Vibrio alginolyticus/patogenicidade , Brasil , Vibrio alginolyticus/isolamento & purificação
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA