Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Abortion in association with transplacental Theileria equi infection in a mare from the State of Espírito Santo, southeast Brazil: case report / Aborto equino associado à infecção transplacentária de Theileria equi, Espírito Santo, Brasil: relato de caso

Oliveira, A. R; Pinheiro, G. R. G; Souza, T. D; Flecher, M. C; Santos, R. L.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online); 71(2): 369-373, mar.-abr. 2019. ilus
Artigo em Inglês | | ID: biblio-1011261

Resumo

Equine piroplasmosis is a tick-borne disease caused by the protozoan parasites Babesia caballi and Theileria equi. We report a case of abortion in association with transplacental Theileria equi infection in a mare from the State of Espírito Santo, southeast Brazil. An apparently healthy mare aborted at the tenth month of gestation. At necropsy, the subcutaneous tissue, skeletal muscles, and visible mucosae of the aborted fetus were pale, and there was moderate hydrothorax and marked splenomegaly. Microscopic findings included splenic lymphoid hyperplasia and nephrosis. Merozoite-infected erythrocytes were found within blood vessels of all organs examined and were most numerous in the brain. DNA extracted from the spleen, liver, kidney, and thymus was used as a template for PCR. Generic primers were employed for the detection of piroplasm 18S ribosomal gene. All samples were positive for piroplasm DNA by PCR. Amplicons were purified and then sequenced. Sequencing analysis of these amplicons revealed 98% identity to T. equi sequences. Based on our findings, we suggest that abortion in this case resulted from transplacental Theileria infection.(AU)
A piroplasmose equina é transmitida por carrapatos, sendo causada pelos protozoários Babesia caballi e Theileria equi. O objetivo deste trabalho foi relatar um caso de aborto equino associado à piroplasmose fetal. Uma égua gestante, aparentemente saudável, abortou no 10º mês de gestação. Na necropsia do feto, foi observada palidez de subcutâneo, da musculatura esquelética e das mucosas visíveis, moderado hidrotórax e acentuada esplenomegalia. Histologicamente, havia hiperplasia linfoide esplênica e nefrose. Muitos merozoítos foram observados em eritrócitos nos vasos sanguíneos de todos os órgãos examinados, com maior intensidade no encéfalo. Amostras de DNA do baço, fígado, rim e timo foram utilizadas para PCR com primers genéricos para detecção de sequências do gene 18S ribossomal de piroplasmas, com resultado positivo para todas as amostras. Em seguida, os amplicons das amostras de baço foram purificados, sequenciados e, após análise, mostraram 98% de identidade com a sequência de T. equi. Portanto, as alterações microscópicas, os resultados de PCR e sequenciamento confirmam aborto associado à T. equi por transmissão transplacentária.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1