Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

New species of the Corumbataia cuestae group (Siluriformes: Loricariidae) from the Rio Tocantins basin, with comments on its phylogenetic relationships

Thimotheo, Mateus Giovanni Rocha; Benine, Ricardo Cardoso; Oliveira, Claudio; Costa e Silva, Gabriel de Souza da.
Neotrop. ichthyol; 18(4): e200060, 2020. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-1143347

Resumo

A new species of Corumbataia is described from Rio Maranhão, Rio Tocantins basin, central Brazil. The new species is distinguished from all congeners by the presence of a small, naked area on snout tip; by having the abdomen covered with small platelets forming a shield which reaches the lateral mid-ventral plates; by the anterior profile of the head rounded in dorsal view; by the lower lip not reaching the transversal line of the pectoral girdle; and by the presence of 28 or 29 vertebrae. High genetic divergence in mitochondrial cytochrome c oxidase subunit I (COI) further supports the validity of this new species. Our phylogenetic analysis shows a derived subclade in Corumbataia, herein named as the Corumbataia cuestae group, composed of the new species plus C. cuestae, C. tocantinensis, C. britskii, C. liliai, and C. lucianoi. This group is defined by having a conspicuous crest of hypertrophied odontodes on head; absence of the adipose fin or a single series of platelets at adipose-fin position; and anastomosis of the infraorbital and otic sensory canals over the pterotic-supracleithrum. Here we also restrict the distribution of C. tocantinensis to the Rio Araguaia basin.(AU)
Uma nova espécie de Corumbataiaé descrita para o Rio Maranhão, na bacia do Rio Tocantins na região central do Brasil. A nova espécie é diagnosticada dos demais congêneres pela presença de uma pequena área nua na ponta do focinho; por possuir o abdômen coberto por pequenas placas formando um escudo que alcança as placas laterais mid-ventrais; perfil anterior da cabeça arredondado em vista dorsal; lábio inferior não alcançando a linha transversal da cintura peitoral; e presença de 28 ou 29 vértebras. Altos valores de divergência genética também suportam a validade dessa nova espécie. Nossa análise filogenética encontrou um subclado derivado em Corumbataia, aqui denominado grupo Corumbataia cuestae, composto pela nova espécie mais C. cuestae, C. tocantinensis, C. britskii, C. liliai e C. lucianoi. Esse grupo é definido por possuir uma crista conspícua de odontódeos hipertrofiados na cabeça; ausência de nadadeira adiposa ou série única de placas na posição da nadadeira adiposa; anastomose dos canais sensoriais infraorbital e ótico sobre o pterótico-supracleitro. Aqui, nós também restringimos a distribuição de C. tocantinensisà bacia do Rio Araguaia.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1