Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Yellow grease in sheep diets: intake and digestibility / [Óleo residual de fritura em dietas para ovinos: consumo e digestibilidade]

Rêgo, A. C; Oliveira, C. S. B; Afonso, L. E. F; Azevedo, J. C; Machado Neto, O. R; Monteiro, E. M. M; Domingues, F. N; Faturi, C.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online); 73(3): 684-692, May-June 2021. tab
Artigo em Inglês | | ID: biblio-1278367

Resumo

This study aimed to assess the effects of yellow grease supplementation on the intake, digestibility, and nitrogen balance in sheep. Twenty Santa Inês lambs with a mean age of 95 ± 10 d and body weight of 19.29 ± 3.17kg were evaluated in a completely randomized design. The diets were supplemented with oil at concentrations of 0, 20, 40, 60, and 80 gkg-1 of dry matter (DM) of the concentrate. The diets were based on roughage and concentrate (50:50). The experimental period lasted 19 d and included 14 adaptation days and five collection days for the total supplied diet, orts, feces, and urine. Supplementation with yellow grease had no significant effect on the intake of DM, crude protein (CP), neutral detergent fiber (NDF), or non-fiber carbohydrates (NFC). However, the ether extract (EE) intake increased linearly with supplementation of yellow grease. Moreover, no effect was observed for DM, CP, NDF, and NFC digestibility and nitrogen balance. EE digestibility increased linearly with the yellow grease dietary supplementation. Thus, sheep dietary supplementation with yellow grease may be used at a level of up to 80 gkg-1 of DM of concentrate without impairing nutrient intake and digestibility.(AU)
Objetivou-se, com o estudo, avaliar os efeitos do óleo residual de fritura, em dietas para ovinos, sob o consumo, a digestibilidade e o balanço de nitrogênio. Foram utilizados 20 cordeiros Santa Inês, com idade de 95 ± 10 dias e peso corporal de 19,29 ± 3,17kg, em delineamento inteiramente ao acaso. As dietas continham óleo de fritura nas concentrações de 0; 20; 40; 60 e 80gkg-1 da matéria seca (MS) do concentrado. As dietas tinham relação volumoso:concentrado de 50:50. O período experimental foi de 19 dias, incluindo 14 dias em adaptação e cinco dias de coleta do fornecido, das sobras, das fezes e da urina. A suplementação com óleo de fritura não alterou o consumo de MS, proteína bruta (PB), matéria orgânica (MO), fibra em detergente neutro (FDN) e carboidratos não fibrosos (CNF). Entretanto, o consumo de extrato etéreo (EE) aumentou com a inclusão do óleo. Não foi observado efeito na digestibilidade da MS, da PB, da FDN, dos CNF e no balanço de nitrogênio. A digestibilidade do EE aumentou com a inclusão do óleo. Assim, a inclusão de óleo de fritura em dietas para ovinos pode ser utilizada em até 80gkg-1 da MS do concentrado, sem limitar ingestão e digestibilidade dos nutrientes.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1