Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Agents causing genital infections in routine cytological tests: frequency and characteristics of Papanicolaou smears / Agentes causadores de infecções genitais em exames citológicos de rotina: frequência e características dos esfregaços de papanicolaou

Carvalho, F S; Porto, N K A; Azevedo, P V M; Magalhães, P K A; Araújo, E N de; Correia, M S; Silva, K M da; Pavão, J M S J; Ferreira, J R da S; Maior, L P S; Cavalcanti, M G S; Ferreira-Júnior, G C; Matos-Rocha, T J.
Braz. j. biol; 82: e238180, 2022. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-1278486

Resumo

Abstract Urinary tract infections are responsible for most human infections, these are caused by bacteria, fungi, protozoa and associated microorganisms. The goal of this study was to determine the rate of vaginal infection-causing agents in routine cytological exams and also to evaluate the characteristics of positive tested Pap smears. A retrospective documental with descriptive aspect research was performed in a Clinical Pathology laboratory from Maceió-AL. The results of the Pap smears exams for Trichomonas vaginalis, Gardnerella vaginalis, Candida spp and HPV were arranged in a database as well as other data such as bacterial, protozoan, fungal and viral coinfections. The sample was composed by 18.645 women who have undergone Pap smear exams from 2013 to 2017. Of these analyzed exams, 27.4% in 2013, 10.9% in 2014, 10.6% in 2015, 15.2% in 2016 and 13.67% in 2017 were within normal range, however more than half of these exams presented some infections caused by unspecific or microbiological agents. By analyzing all the reports, 4.073 (21.84%) presented inflammations caused by some species of infectious agent with the following rate order: G. vaginalis and T. vaginalis. Furthermore, it was possible to confirm high rates of coinfection by and Candida spp. The rate of genital infections in this study highlights that there is a public health matter that must be controlled, which points a greater need for monitoring, guidance and actions towards greater awareness in order to prevent these problems.
Resumo Infecções do trato urinário são responsáveis pela maior parte das infecções humanas, sendo causadas por bactérias, fungos, protozoários, e por microrganismos associados. O objetivo deste trabalho foi determinar a frequência de agentes causadores de infecções vaginais nos exames citológicos de rotina, bem como avaliar as características dos esfregaços positivos. Foi realizada uma pesquisa do tipo documental retrospectiva de aspecto descritivo, com abordagem quantitativa, em um Laboratório de Patologia Clínica de Maceió-AL. Nesse sentido, os resultados dos exames colpocitológicos para Trichomonas vaginalis, Gardnerella vaginalis, Candida spp e HPV foram organizados em um banco de dados, contendo os resultados para estes agentes, bem como a coinfecção bacteriana, protozoária, fúngica e viral. A amostra foi composta por 18.645 mulheres que realizaram exame colpocitológico, no período de 2013 a 2017. Destes exames analisados 27,4% em 2013, 10,9% em 2014, 10,6% em 2015, 15,2% em 2016 e 13,67% em 2017, estavam dentro do limite da normalidade, porém mais que a metade desses exames analisados apresentou algumas infecções causadas por agentes inespecíficos ou microbiológicos. Do total de laudos analisados, 4.073 (21,84%), apresentaram inflamações causadas por algum tipo de agente infeccioso, com a seguinte ordem de frequência: G. vaginalis, e T. vaginalis. Além disto, foi possível confirmar a elevada frequência de coinfecção entre G. vaginalis e Candida spp. Os índices de infecções genitais nesse trabalho mostram que há um problema de saúde pública que deve ser controlado, apontando uma necessidade maior de acompanhamento, orientações e de ações para uma maior conscientização para prevenir esses problemas.
Biblioteca responsável: BR1.1