Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Marking fin spine of juvenile sturgeon (Acipenseriformes: Acipenseridae) using oxytetracycline and the comparing of growth performance / [Marcação da espinha da nadadeira de esturjão juvenil (Acipenseriformes: Acipenseridae) usando-se oxitetraciclina e comparação do desempenho de crescimento]

Bakhshalizadeh, S; Bani, A; Abdolmalaki, S; Ponce-Palafox, J. T.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online); 73(4): 902-908, Jul.-Aug. 2021. tab, ilus
Artigo em Inglês | | ID: biblio-1285280

Resumo

This study aimed to describe and validate the formation of the rings in the spine of the pectoral fin and to determine the coherence of the OTC mark with the rings of three species of Caspian Sea sturgeon, the Persian sturgeon (Acipenser persicus), the Starry sturgeon (Acipenser stellatus) and Ship sturgeon (Acipenser nudiventris). Validation was achieved by comparing the total radius of the fin spine of fish of known age after one and two years of growth with the measured radius of the first and second rings in the zone. There was no overlap between the measured radius for the first year and the increase for the second. The Ship sturgeon showed the largest width of the second ring followed by the Persian sturgeon and Stellate sturgeon. The results indicate that the highest growth parameter belongs to the juvenile Ship sturgeon. This research showed that chemically marking the fin spines of juvenile Acipenseridae leads to unbiased estimates and contributes to the knowledge of the population dynamics of these species. The study found that the combination of the dial ring of the pectoral fin spine with growth validated the age estimation in juvenile sturgeon Ship, Persian, and Starry sturgeon.(AU)
O objetivo deste estudo foi descrever e validar a formação dos anéis na espinha da nadadeira peitoral de três espécies de esturjão do mar Cáspio: o esturjão-persa (Acipenser persicus), o esturjão-estrelado (Acipenser stellatus) e o esturjão-de-navio (Acipenser nudiventris), bem como determinar a coerência da marca OTC com os anéis dessas três espécies. A validação foi alcançada comparando-se o raio total da espinha da nadadeira de peixes de idade conhecida, após um e dois anos de crescimento, com o raio medido do primeiro e segundo anéis na zona. Não houve sobreposição entre o raio medido no primeiro ano e o aumento no segundo. O esturjão-de-navio mostrou a maior largura do segundo anel, seguido pelo esturjão-persa e pelo esturjão-estrelado. Os resultados indicam que o maior parâmetro de crescimento pertence ao esturjão-de-navio juvenil. Esta pesquisa mostrou que a marcação química dos espinhos das nadadeiras de juvenis de Acipenseridae leva a estimativas imparciais e contribui para o conhecimento da dinâmica populacional dessas espécies. O estudo descobriu que a combinação do anel do mostrador da barbatana peitoral espinhal com o crescimento validou a estimativa de idade em esturjão-de-navio juvenil, esturjão-persa e esturjão-estrelado.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1