Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Long bone fractures in Cerdocyon thous: macroscopic and microstructural evaluation / Fraturas em ossos longos de Cerdocyon thous: avaliação macroscópica e microestrutural

Pastor, Felipe Martins; Resende, Gabriela de Oliveira; Marin, Júlio Francisco Valiati; Nunes, Louisiane de Carvalho; Franco, Guilherme Galhardo; Boeloni, Jankerle Neves; Silva, Maria Aparecida da.
Ciênc. anim. bras. (Impr.); 22: e, 2021. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: biblio-1285982

Resumo

Abstract The aim of the present study was to perform the macroscopic and microstructural morphological classification of long bone fractures of Cerdocyon thous. Eighteen cadavers of the species were necropsied, and subjected to radiographic and microscopical evaluation when long bone fractures were detected. Among the 18 cadavers, eight (44%) had fractures equally distributed (33.33%) in the femur, humerus, or tibia. More frequently (61.54%), the fractures were simple and affected the diaphysis, and in smaller proportions (23.08%) reached the physeal line. In diaphyseal and metaphyseal fractures, microscopical evaluation revealed cortical bone tissue, with longitudinal osteons that contained longitudinal and intermediate collagen fibres and lamellae with a delamination aspect. On the other hand, in epiphyseal fractures, trabecular bone tissue was more frequently observed, consisting of trabeculae with disorganised collagen fibres and absence of osteons. In both cases low activity, osteocytes, and low coverage of osteoblasts on the bone surface were noted. It was concluded that the frequency of fractures in the long bones of C. thous was 44%, with females being more predisposed. The findings support the hypothesis that fractures in such animals are caused by being run over by automobiles. The present study contributes significantly in alerting clinicians and surgeons to the types of fractures that C. thous is more predisposed to, its places of greatest occurrence, and its microstructure. Thus, there is a need for joint actions aimed at reducing the number of cases of wild animals being run over by automobiles.
Resumo Teve-se como objetivo, no presente trabalho, realizar a classificação morfológica macroscópica e microestrutural das fraturas em ossos longos de Cerdocyon thous. Foram utilizados 18 cadáveres da espécie, necropsiados e submetidos à avaliação radiográfica e microscópica quando detectadas fraturas em ossos longos. Dentre os 18 animais, oito (44%) possuíam fraturas igualmente distribuídas (33,33%) em fêmur, úmero ou tíbia. Mais frequentemente (61,54%) as fraturas eram simples e acometiam a diáfise, e em menores proporções (23,08%) atingiam a linha fisária. Nas fraturas em diáfise e metáfise, predominava o tecido ósseo cortical, com ósteons longitudinais que continham fibras colágenas longitudinais e intermediárias, e lamelas com aspecto de delaminação. Por outro lado, nas fraturas fisárias, o tecido ósseo trabecular foi mais frequentemente observado, constituído por trabéculas com fibras colágenas desorganizadas e ausência de ósteons. Em ambos os casos, notou-se baixa atividade de osteócitos e baixa cobertura de osteoblastos na superfície óssea. Conclui-se que, nas condições observadas, a frequência de fraturas em ossos longos de C. thous foi de 44%, sendo as fêmeas mais predispostas, além de os achados embasarem a hipótese da ocorrência de tais lesões estarem relacionadas a atropelamentos. O presente estudo contribui significativamente para alertar clínicos e cirurgiões em relação aos tipos de fraturas as quais C. thous está mais predisposto, seus locais de maior ocorrência e sua microestrutura. Dessa forma, surge a necessidade de implementação de ações conjuntas que visem reduzir o número de casos de atropelamento de animais silvestres.
Biblioteca responsável: BR1.1