Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Environmental temperature and broiler age on corn energy value / Temperatura ambiente e idade do frango de corte sobre o valor energético do milho

Carvalho, Fabyola Barros; Sartori, José Roberto; Pezzato, Antonio Celso; Fascina, Vitor Barbosa; Castelo, Pedro Gibim; Souza, Ivan Mailinch Gonçalves Pereira de.
Ciênc. anim. bras. (Impr.); 22: e65526, 2021. tab
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: biblio-1285990

Resumo

Abstract This study aimed to assess the effects of environmental temperature and age of broilers on the energy value of corn. A total of 288 Cobb 500 chicks were distributed in a complete randomized design with a split-plot arrangement and six replications of six chicks each. The main plot consisted of three temperatures (cold: 18 ºC; thermoneutral: 25 ºC; and hot: 33 ºC), while the secondary plot consisted of age (initial: 11 to 14 days; growing: 25 to 28 days; and final: 39 to 42 days). The basal diet was based on corn and soybean meal. The test diet was produced by replacing the basal diet for test food: 40% corn + 60% basal diet. The mean values of AMEn observed for broiler chicks under cold, thermoneutral, and hot temperatures were 3322, 3279, and 3233 kcal/kg of natural matter, respectively, and 3215, 3218, and 3400 kcal/ kg of natural matter for the initial, growing, and final phases, respectively. Overall, the metabolizable energy values of corn and the balance and coefficients of metabolizability of nutrients in the test diet increased with the broiler age, but the true metabolizable energies of corn were not affected by environmental temperature. The balance and coefficients of metabolizability of nutrients in the test diet decreased due to heat exposure during the growing and final phases.
Resumo O objetivo deste trabalho foi determinar o efeito da temperatura ambiente e da idade da ave sobre o valor energético do milho. Foram utilizados 288 pintos de corte, da linhagem Cobb 500, distribuídos em delineamento experimental inteiramente casualizado em esquema de parcelas subdivididas no tempo, sendo as parcelas as três temperaturas de criação (fria: 18 ºC; termoneutra: 25 ºC e quente: 33 ºC) e as subparcelas as três idades de avaliação (inicial: 11 a 14; crescimento: 25 a 28 e final: 39 a 42 dias), com seis repetições de seis aves cada. A dieta basal foi composta por milho e farelo de soja. A dieta teste foi produzida substituindo a dieta basal pelo alimento teste: 40% de milho + 60% da dieta basal. Encontraram-se valores médios de energia metabolizável aparente, corrigida pelo balanço de nitrogênio (EMAn) do milho, para aves criadas em 18 ºC; 25 ºC e 33 ºC de 3322, 3279 e 3233 kcal/kg de matéria natural, respectivamente, e para as fases de 11 a 14; 25 a 28 e 39 a 42 dias de 3215, 3218 e 3400 kcal/kg de matéria natural, respectivamente. De um modo geral, os valores de energia metabolizável do milho, os balanços e os coeficientes de metabolizabilidade dos nutrientes da dieta teste aumentam com a idade do frango de corte, porém as energias metabolizáveis verdadeiras do milho não foram afetadas pela temperatura ambiente. Os balanços e os coeficientes de metabolizabilidade dos nutrientes da dieta teste foram reduzidos em estresse por calor para aves na fase de crescimento e final.
Biblioteca responsável: BR1.1