Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Evaluation of interferon-stimulated gene 15 (ISG15) expression in blood neutrophils in beef cattle poisoned by Senecio spp / Avaliação da expressão do gene estimulado por interferon 15 (ISG15) em neutrófilos sanguíneos em bovinos de corte intoxicados por Senecio spp

Stefanello, Simone; Amaral, Carolina S; Zappe, Igor G; Mujica, Lady K. S; Emanuelli, Mauren P; Portela, Valério M; Ramos, Adriano T; Antoniazzi, Alfredo Q.
Pesqui. vet. bras; 41: e06880, 2021. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-1287517

Resumo

This study aimed to assess liver damage and interferon-stimulated gene 15 (ISG15) blood expression as a consequence of embryonic signaling on maternal recognition of pregnancy in beef cattle presenting natural ingestion of Senecio spp. Epidemiological aspects, as the presence of the plant, associated to gamma glutamyl transferase (GGT) activity can be used as Senecio spp. poisoning diagnosis. Maternal recognition of pregnancy period occurs when the embryo secretes interferon tau (IFNT) to signal its presence to the mother and eventually extend corpus luteum (CL) lifespan. In our study, liver damage was determined by concentration serum GGT, cytological and histopathological examinations. Reproductive status was evaluated by concentration of progesterone, CL diameter and ISG15 mRNA expression on Day 19 following fixed-time artificial insemination (FTAI). Cows were categorized into two groups based on concentration of GGT: Group 1 (GGT<30U/L) and 2 (GGT>31U/L). No difference on body condition scores was observed. All the cows presented liver damage based on cytology and histopathological exams. Cows from the Group 1 had higher pregnancy rate, presenting larger CL diameter and greater concentration of progesterone. Interestingly, ISG15 mRNA expression had no difference between Groups 1 and 2, even presenting difference in pregnancy status. These findings suggest embryonic loss beyond Day 19. It suggests late embryonic mortality may be associated to liver insufficiency. In conclusion, liver injury and/or concentration of GGT does not alter ISG15 expression on blood neutrophils, however cows presenting lower concentration of GGT (<30U/L) had increased pregnancy status. Therefore, the concentration of GGT allow us to screen liver status and foresee a successful pregnancy in beef cattle.(AU)
O objetivo deste estudo foi avaliar a lesão hepática e a expressão sanguínea do gene estimulado por interferon 15 (ISG15) durante a sinalização embrionária, no reconhecimento materno da gestação, em bovinos de corte apresentando ingestão natural de Senecio spp. Fatores epidemiológicos, como a presença da planta, associados à atividade da gama glutamil transferase (GGT) podem ser utilizados como diagnóstico da intoxicação por Senecio spp. O reconhecimento materno da gestação ocorre quando o embrião secreta interferon tau (IFNT) para sinalizar sua presença à mãe. Em nosso estudo, a lesão hepática foi determinada pela concentração sérica de GGT, pelos exames citológicos e histopatológicos. O estado reprodutivo foi avaliado pela concentração de progesterona, diâmetro de corpo lúteo (CL) e expressão de mRNA ISG15 no Dia 19 após a inseminação artificial em tempo fixo (IATF). As vacas foram separadas em dois grupos com base na concentração de GGT sanguíneo: Grupo 1 (GGT<30U/L) e Grupo 2 (GGT>31U/L). Não foi observada nenhuma diferença no escore de condição corporal entre os grupos. Na citologia e nos exames histopatológicos todas as vacas apresentaram lesão hepática. As vacas do Grupo 1 apresentaram maior taxa de prenhez, maior diâmetro do CL e maior concentração de progesterona. Diferente do esperado, a expressão do mRNA ISG15 não foi diferente entre os Grupos 1 e 2, mesmo apresentando diferença na taxa de prenhez. Esses achados sugerem perda embrionária após o Ddia 19. Isso demonstra que a mortalidade embrionária tardia pode estar associada à insuficiência hepática. Dessa forma, conclui-se que a lesão hepática e/ou concentração de GGT não altera a expressão de ISG15 nos neutrófilos sanguíneos, porém vacas com menor concentração de GGT (<30U/L) apresentaram maiores taxas de prenhez. Assim, a concentração de GGT nos permite avaliar a saúde hepática e prever uma gestação bem-sucedida em bovinos de corte.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1