Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Quality of life of women from a quilombola community in northeastern Brazil / Qualidade de vida de mulheres de uma comunidade quilombola do nordeste brasileiro

Santos, E N A; Magalhães, P K A; Santos, A M; Correia, M S; Santos, J C S; Carvalho Neto, A P M; Souza, M A; Lima, R F; Fonseca, S A; Ferreira-Júnior, G C; Cavalcanti, M G S; Costa, J G; Matos-Rocha, T J.
Braz. j. biol; 84: e246463, 2024. tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-1355899

Resumo

Abstract Quilombola communities are present in many Brazilian states living in precarious health conditions. This is due to geographic isolation, limitations to the access of the area in which they live in, and the lack of quality in the service when it is needed to be provided. Therefore, the aim of this study was to analyze the quality of life of women from a quilombola community in northeastern Brazil. It is an observational, cross-sectional and descriptive study. 160 adult women were first interviewed through a form to collect a profile and then it was applied the WHOQOL Quality of Life questionnaire - bref. It was observed that the women were on average 40.7 years old (±17.25), married, self-declared black, who did not finish elementary school, housewife, had no income, with their own masonry house, with up to 6 rooms, supplied by a box of community treated water. Quality of Life had median scores in the domains: physical (3.18), psychological (3.4), social relationships (3.45) and environment (2.59). With this research, it was possible to characterize the quilombola community of Santa Luzia do Norte-AL regarding the difficulties of access to health and income generation, issues that affect their health condition. The problems described in this study can contribute to health actions being planned and carried out in order to improve socioeconomic and health conditions in this community, considering the social, political and environmental context, valuing their traditional knowledge and practices.
Resumo As comunidades quilombolas, estão presentes em diversos estados brasileiros, vivendo em condições de saúde mais precárias. Isto ocorre por conta do isolamento geográfico, das limitações de acesso e da falta de qualidade no serviço quando este é prestado. Nesse sentido, o objetivo do estudo foi analisar a qualidade de vida de mulheres de uma comunidade quilombola do nordeste brasileiro. Estudo observacional, transversal e descritivo. Foram entrevistadas 160 mulheres adultas, através de um formulário para a coleta de perfil e do questionário de Qualidade de Vida WHOQOL - bref. Foi observado que as mulheres tinham em média 40,7 anos (±17,25), casadas, autodeclaradas negras, com fundamental incompleto, do lar, sem renda, com moradia de alvenaria, própria, com até 6 cômodos, abastecidas por caixa de água comunitária, tratada. A Qualidade de Vida, apresentou escores medianos nos domínios: físico (3,18), psicológico (3,4), relações sociais (3,45) e meio ambiente (2,59). Com a realização desta pesquisa foi possível caracterizar a comunidade quilombola de Santa Luzia do Norte-AL quanto as dificuldades de acesso a saúde e geração de renda, fatos que repercutem na sua condição de saúde. Os problemas descritos neste estudo podem contribuir para que ações de saúde sejam planejadas e efetivadas com o intuito de melhorar as condições socioeconômicas e de saúde nessa comunidade, considerando-se o contexto social, político e ambiental, valorizando seus saberes e práticas tradicionais.
Biblioteca responsável: BR1.1