Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

In vivo studies could not confirm in vitro prophylactic synergism between Moringa essential oil and Lactobacillus reuteri (MT180537) / Estudos in vivo não puderam confirmar o sinergismo profilático in vitro entre o óleo essencial de Moringa e Lactobacillus reuteri (MT180537)

Shazadi, K; Arshad, N; Ambreen, H. S; Riaz, A; Mehreen, A.
Braz. j. biol; 84: e254513, 2024. tab, graf, ilus
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-1360222

Resumo

Aerobic vaginitis (AV) is a recently defined vaginal recurring infection, which is treated with antibiotics. However, excessive and prolonged use of antibiotics disrupts healthy vaginal microflora and leads to the emergence of antibiotic resistance among pathogens. This situation has directed researchers to explore alternative antimicrobials. The current study describes in vitro and in vivo antimicrobial efficacy and pharmaceutical interactions between plant essential oils (EOs) and five lactic acid bacteria (LABs), isolated from the healthy vagina, against E. faecalis, one of the major etiological agents of AV. In vitro experiments confirm good antimicrobial activity of both plant EOs and cell free supernatant (CFS) from LABs. Based on high antimicrobial efficacy, Moringa essential oil (MO) was selected to determine its nature of interaction with CFS of five LAB strains. Synergism was recorded between MO and CFS of L. reuteri (MT180537). To validate in vitro findings, prophylactic responses of individual and synergistic application of MO and L. reuteri (MT180537) were evaluated in an E. faecalis (MW051601) induced AV murine model. The prophylactic efficacy was evidenced by a reduction in intensity of clinical symptoms, E. faecalis (MW051601) count per vaginal tissue along with a reduction in AV associated changes in histological markers of infection in animals receiving Moringa essential oil and L. reuteri (MT180537) alone or in combination. However, significant synergism between Moringa essential oil and L. reuteri (MT180537) could not be observed. Our data confirms the importance of in vivo experiments in deducing pharmacological interactions.
Vaginite aeróbica (VA) é uma infecção vaginal recorrente definida recentemente, que é tratada com antibióticos. No entanto, o uso excessivo e prolongado de antibióticos perturba a microflora vaginal saudável e leva ao surgimento de resistência aos antibióticos entre os patógenos. Esta situação levou os pesquisadores a explorar antimicrobianos alternativos. O presente estudo descreve a eficácia antimicrobiana in vitro e in vivo e as interações farmacêuticas entre óleos essenciais vegetais (OE) e cinco bactérias lácticas (BAL), isoladas de vagina sã, contra E. faecalis, um dos principais agentes etiológicos da AV. Os experimentos in vitro confirmam a boa atividade antimicrobiana de ambos os EOs de plantas e sobrenadante livre de células (CFS) de LABs. Com base na alta eficácia antimicrobiana, o óleo essencial de Moringa (MO) foi selecionado para determinar sua natureza de interação com o sobrenadante livre de células (CFS) de cinco cepas de LAB. Sinergismo foi registrado entre MO e CFS de L. reuteri (MT180537). Para validar os resultados in vitro, as respostas profiláticas da aplicação individual e sinérgica de MO e L. reuteri (MT180537) foram avaliadas em um modelo murino AV induzido por E. faecalis (MW051601). A eficácia profilática foi evidenciada por uma redução na intensidade dos sintomas clínicos, contagem de E. faecalis (MW051601) por tecido vaginal, juntamente com uma redução nas alterações associadas a AV nos marcadores histológicos de infecção em animais que receberam óleo essencial de Moringa e L. reuteri (MT180537) sozinho ou em combinação. No entanto, não foi possível observar sinergismo significativo entre o óleo essencial de Moringa e L. reuteri (MT180537). Nossos dados confirmam a importância dos experimentos in vivo na dedução de interações farmacológicas.
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1