Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Soybean meal particle size for pigs during the nursery phase / Tamanho da partícula do farelo de soja em suínos no período de creche

Almeida, Leopoldo Malcorra de; Senger, Geovani Costa; Silva, Kariny Fonseca da; Moreno, Filipe Augusto; Dias, Isabella de Camargo; Scandolera, Antônio João; Maiorka, Alex.
Ciênc. rural (Online); 52(10): e20210518, 2022. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: biblio-1364723

Resumo

ABSTRACT: This study evaluated the effect of soybean meal (SBM) particle size on nutrient digestibility and the growth performance of nursery piglets. Sixty-three piglets (BW = 6.86 kg ± 0.56; 23 d of age) were distributed in a randomized block design (by initial weight and sex) with 3 dietary treatments: diets with 1,017 µm (unground); 585 µm; and 411µm SBM, with 7 replicates of 3 piglets each. All diets were offered ad libitum in mash form, formulated differently according to three growing phases: (1) with 20% of SBM, from 23 to 32 d of age; (2) with 25% of SBM, from 32 to 44 d of age, and (3) with 30% of SBM, from 44 to 63 d of age. For the first 21 d, pigs fed diets with a medium particle size of SBM (585mm) had better average weight gain and feed/gain ratio (P<0.05). The average feed intake, average body weight gain, and feed/gain ratio from 44 to 63 d improved (P<0.05) with increasing SBM particle sizes, and the average live weight for the overall period increased with coarser SBM (P<0.05). There was a marginally improvement (P < 0.1) on digestible energy as particle size of SBM decreased; although, no differences (P > 0.05) in the coefficients of apparent digestibility of dry matter and crude protein for the assessed SBM particle sizes were observed. It was concluded that the grinding of dietary SBM is not required for piglets during the nursery phase.
RESUMO: O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito do tamanho da partícula do farelo de soja (FS) sobre o desempenho e digestibilidade de leitões no período de creche. 63 leitões (6,86 kg ± 0,56; 23 dias de idade) foram distribuídos aleatoriamente em um delineamento de blocos casualizados (peso inicial e sexo) entre os tratamentos. As dietas experimentais foram produzidas a partir de diferentes tamanhos médios de partículas do FS moídos ou não: 1,017 µm (sem moer), 585 µm (moído em peneira de 10 mm), e 411µm (moído em peneira de 3 mm), totalizando três tratamentos com sete repetições de três animais cada. Todas as dietas foram fornecidas na forma farelada e ad libitum, sendo divididas em três fases: 1) com 20% de FS, dos 23 a 32 dias de idade; 2) com 25% de FS, dos 32 a 44 dias de idade; e 3) com 30% de FS, dos 44 a 62 dias de idade. Nos primeiros 21 dias de experimento, os animais consumindo a dieta com o tamanho médio (585 µm) das partículas do FS apresentaram melhores resultados para o ganho de peso médio e conversão alimentar. No período seguinte (44 a 63 d), houve (P<0.05) aumento do consumo de ração médio, do ganho do peso médio e melhor conversão alimentar dos leitões conforme o aumento do tamanho da partícula de FS incluída na ração. Consequentemente, ao final do experimento houve melhora linear do peso vivo médio dos animais com o aumento do tamanho do FS consumido. Foi observado melhora marginalmente significativa (P < 0.1) da energia digestível conforme a redução no tamanho do FS, entretanto, não houve diferença (P > 0.05) no coeficiente de digestibilidade aparente da matéria seca e da proteína bruta dos animais entre os diferentes tamanhos do FS. Em conclusão, de acordo com as condições deste estudo, não se faz necessária a moagem do farelo de soja para leitões no período de creche.
Biblioteca responsável: BR1.1