Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Diagnóstico e tratamento videoassistido de tumor de células de Leydig em cadela com síndrome do ovário remanescente / Videoassisted diagnosis and treatment for Leydig cell tumor in a bitch with remaining ovary syndrome

Conte, Fernanda; Bravo, Sabrina Allendes; Bortolato, Thabata Laccort; Freitas, Ítallo Barros de; Marks, Adriana; Guedes, Rogério Luizari.
Ciênc. Anim. (Impr.); 31(4): 181-187, 2021. ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1369514

Resumo

Neoplasias ovarianas de origem primária são incomuns em cadelas, exigindo métodos diagnósticos e terapêuticos mais precisos. Fêmeas também possuem células intersticiais secretoras de esteróides, contudo o aparecimento do tumor de células de Leydig é considerado raro. Uma cadela sem raça definida e 12 anos apresentava sinais de estro após ovariohisterectomia pré-púbere. Na avaliação ultrassonográfica, foi identificada uma massa localizada na região abdominal lateral direita, sugestiva de ovário remanescente. Durante a inspeção laparoscópica foi identificada a massa distante caudalmente do coto ovariano direito, inserida em região de mesentério jejunal. O segmento intestinal foi apreendido e exteriorizado de maneira videoassistida, optando-se pela remoção do tumor associado à enterectomia do segmento afetado. A avaliação do coto ovariano esquerdo, revelou um cisto de 0,5cm de diâmetro que também foi removido. A análise histopatológica foi sugestiva de neoplasia de células intersticiais (tumor de células de Leydig) e um cisto epitelial ovariano. O tumor de células de Leydig é relatado com freqüência em machos, entretanto, sua aparição em fêmeas é considerada extremamente incomum acometendo principalmente animais não esterilizados. A neoplasia não aderida ao coto ovariano comprova ainda que resquícios de tecido ovariano que porventura fiquem livres na cavidade abdominal podem ser responsáveis pelo desenvolvimento da síndrome do ovário remanescente e neoplasias. O prognóstico para neoplasias ovarianas sem metástases é favorável, principalmente quando aplicada a intervenção cirúrgica como método terapêutico. O uso da videocirurgia para auxiliar no diagnóstico e tratamento demonstrou-se adequado para o caso descrito, mas que deve ser complementado pela análise histopatológica.
Primary ovarian neoplasms are uncommon in bitches, requiring more accurate diagnostic and therapeutic methods. Females also have steroid-secreting interstitial cells, however, the appearance of the Leydig cell tumor is considered rare. A 12-year-old mongrel bitch showed signs of estrus after prepubertal ovariohysterectomy. Ultrasound evaluation located a mass in the right lateral abdominal region, suggestive of a remaining ovary. During laparoscopic exploration, the mass was identified caudally distant from the right ovarian stump, adhered to the jejunal mesentery. The intestinal segment was apprehended and exteriorized by video-assisted technique, and removal of the tumor was performed associated with enterectomy of the affected segment. Evaluation of the left ovarian stump revealed a 0.5cm diameter cyst that was also removed. Histopathological analysis was suggestive of interstitial cell neoplasia (Leydig cell tumor) and an ovarian epithelial cyst. The Leydig cell tumor is frequently related in males, however, its appearance in bitches is considered uncommon, affecting mainly nonsterile animals. The mass non-adhered to the ovarian stump proves that remnants of ovarian tissue that may be free in the abdominal cavity and may be responsible for the development of the remaining ovary syndrome and neoplasms. The prognosis for ovarian neoplasms without metastasis is favorable, especially when surgical intervention is applied as a therapeutic method. The use of video surgery to assist in the diagnosis and treatment was considered appropriate for the case described, but it must be complemented by histopathological analysis.
Biblioteca responsável: BR68.1