Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Granulomatous rhinitis by Neoconidiobolus lamprauges in a mule / Rinite granulomatosa por Neoconidiobolus lamprauges em uma mula

Pereira, Gabriela Oliveira; Pereira, Asheley Henrique Barbosa; Carvalho, Taís Medeiros Siqueira; Carvalho, Vivian Assunção Nogueira; Pescador, Caroline Argenta; Maruyama, Fernanda Harumi; Nakazato, Luciano; Ubiali, Daniel Guimarães.
Ciênc. rural (Online); 53(1): e20210648, 2023. graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: biblio-1384542

Resumo

ABSTRACT: Conidiobolomycosis has a wide distribution, predominantly in humid tropical regions, affecting several species with significant mortality rates. The genus Conidiobolus is now divided into four genera: Capillidium, Conidiobolus, Microconidiobolus, and Neoconidiobolus. There are no confirmed reports of infection by these fungi in Equidae in Brazil. We present a rhinofacial rhinitis caused by Neoconidiobolus lamprauges in a mule from Rio de Janeiro, Brazil. The mule presented bilateral semi-occlusion of the nostrils, difficulty breathing, and weight loss. The histological examination of the nostril biopsied mass revealed multifocal necrotizing areas with nonstained images of fungal hyphae in the Splendore-Hoeppli reaction and surrounded by macrophages, eosinophils, neutrophils, and multinucleated giant cells. The Grocott methenamine silver staining revealed thin-walled, rarely septated, irregular branching hyphae, with a varying diameter of 12 μm (± 3.63 μm), and terminal ballooning dilations. The determining etiology of this rhinitis was based on the hyphae staining by immunohistochemistry and by amplifying the DNA fragment of N. lamprauges by polymerase chain reaction. Conidiobolomycosis should be included in the differential diagnosis of the causes of rhinitis in equids, mainly in tropical regions.
RESUMO: A conidiobolomicose apresenta ampla distribuição geográfica, com predominância em regiões tropicais úmidas, afeta várias espécies e apresenta taxa de mortalidade significativa. O gênero Conidiobolus está agora dividido em quatro gêneros: Capillidium, Conidiobolus, Microconidiobolus e Neoconidiobolus. Não há relatos confirmados de infecção por esses fungos em equídeos no Brasil. Relata-se o caso de uma mula com rinite rinofacial causada por Neoconidiobolus lamprauges no Rio de Janeiro, Brasil. A mula apresentava uma massa que semiocluía as narinas bilateralmente, dificuldade respiratória e emagrecimento. O exame histológico de biópsia da massa da narina revelou áreas de necrose multifocais com imagens negativas de hifas fúngicas em meio à reação de Splendore-Hoeppli, circundadas por macrófagos, eosinófilos, neutrófilos e células gigantes multinucleadas. O exame histoquímico metenamina prata de Grocott revelou hifas de parede fina, raramente septadas, com ramificação irregular, grau variável de paralelismo, e diâmetro médio de 12 μm (± 3,63) e dilatações balonosas terminais. O diagnóstico etiológico foi realizado pela associação da imuno-histoquímica e da amplificação do fragmento de DNA de N. lamprauges pela reação em cadeia da polimerase. A conidiobolomicose deve ser incluída no diagnóstico diferencial das causas de rinite em equídeos, principalmente em regiões tropicais.
Biblioteca responsável: BR1.1