Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Comparative analysis of three bait types in deep-set pelagic longline gear in the Equatorial Atlantic Ocean / Análise comparativa de três diferentes tipos de isca utilizados noespinhel pelágico de profundidade no Oceano Atlântico Equatorial

Campello, Tiago Hilário Pedrosa; Comassetto, Lucas Eduardo; Hazin, Humberto Gomes; Santos, José Carlos Pacheco dos; Kerstetter, David; Hazin, Fábio Hissa Vieira.
Bol. Inst. Pesca (Impr.); 48: e678, 2022. ilus, tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1400894

Resumo

The choice of bait is one of the fisheries tactics used to increase selectivity for particular target species. The performance of three bait types (mackerel, sardine, squid) was evaluated with a commercial vessel operating in the Equatorial Atlantic Ocean using the deep-set pelagic longline deployment method to target large yellowfin and bigeye tunas. The effect of different factors and covariates on the Capture per Effort Unit - CPUE was evaluated through Generalized Linear Models (GLM). In 121 experimental sets using three bait types, 2385 individuals of the two target species were captured, 1166 yellowfin tuna and 1219 bigeye tuna. The results suggest a preference between bait types for each target species, with the yellowfin tuna being mostly caught by the hooks using squid and bigeye tuna with fish bait mackerel. Stratifying the results for three depth ranges of the hooks, the combination of bait and depth for yellowfin tuna resulted in an increase of catch probability in the intermediary depth layer using mackerel. For bigeye tuna, using mackerel in the intermediary layer resulted in a reduction in the catch rate. Bycatch represented around 11.15% of total captures. These results will provide important information to choosing the most efficient bait for the pelagic longline fishing operation and will help future decisions of fisheries management.
A escolha da isca é uma das estratégias utilizadas para aumentar a seletividade para espécies-alvo com espinhel pelágico. O desempenho de três tipos de isca (cavala, sardinha e lula) foi avaliado em um barco de pesca comercial, operando no Oceano Atlântico Equatorial usando o espinhel pelágico de profundidade para captura de tunídeos. O efeito de diferentes fatores e covariáveis sobre a Captura por Unidade de Esforço - CPUE das espécies-alvo foi avaliado por meio de Modelos Lineares Generalizados (GLM). Em 121 lances de espinhel usando os três tipos de isca, foram capturados 2385 indivíduos das espécies-alvo de atum, 1166 albacora laje e 1219 albacora bandolim. Os resultados sugerem uma preferência entre os tipos de isca para cada espécie-alvo. Com a albacora laje sendo principalmente capturada pelos anzóis utilizando lula e a albacora bandolim pelos anzóis utilizando com isca de cavala e sardinhas. As capturas acidentais representaram em torno de 11,15%. A combinação de isca e profundidade para albacora laje resultou em um aumento de captura utilizando cavala em profundidade intermediária. No caso da albacora bandolim resultou em uma redução de captura utilizando cavala em profundidades intermediarias. Esses resultados fornecerão informações importantes para a escolha da isca mais eficiente para a operação de pesca com espinhel pelágico de profundidade e auxiliarão nas decisões futuras de gestão pesqueira.
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1