Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Epidemiological aspects of cattle tick fever in Brazil / Aspectos epidemiológicos da tristeza parasitária bovina no Brasil

Puentes, Juan Dario; Riet-Correa, Franklin.
Rev. Bras. Parasitol. Vet. (Online); 32(1): e014422, 2023. mapas
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1416295

Resumo

The present work reviews the epidemiologic situation of Anaplasma marginale and Babesia spp. infections and the occurrence of cattle tick fever outbreaks in Brazil. In areas of tick fever enzootic instability, environmental conditions interfere with the development of Rhipicephalus (Boophilus) microplus: chilly winter in the southern region, floods in the Pantanal, and low humidity in the Caatinga. In contrast, the climatic conditions of stable zones (Cerrado, Amazon and Atlantic Forest biomes) favor tick development. In enzootic areas, tick fever is uncommon because the animals are in frequent contact with the parasite, acquiring immunity naturally during the period of innate resistance; however, outbreaks may occur when calves become infested by considerable numbers of infected ticks during this period or in adults raised in tick-free environments that become infested for the first time when transporting to stable areas. It is necessary to better understand the disease's risk factors under stable conditions and the implications of the mechanical and other vector transmission of A. marginale. To prevent tick fever outbreaks in Brazil, it is important to develop and use anaplasmosis and babesiosis vaccines in cattle from enzootic unstable regions, especially when animals are moved to stable areas.(AU)
O presente trabalho revisa a situação epidemiológica das infecções por Anaplasma marginale e Babesia spp. e a ocorrência de surtos de Tristeza parasitária bovina (TPB) no Brasil. Em áreas de instabilidade enzoótica, as condições ambientais interferem no desenvolvimento do Rhipicephalus (Boophilus) microplus: o frio do inverno na região Sul; as inundações no Pantanal; e a baixa umidade na Caatinga. Por outra parte, as condições climáticas das zonas de estabilidade (os biomas Cerrado, Amazônia e Mata Atlântica) favorecem o desenvolvimento do carrapato. A TPB não é comum nas áreas estáveis, porque os animais estão em contato frequente com os parasitas, adquirindo imunidade naturalmente. Podem, porém, ocorrer surtos quando um número considerável de carrapatos infectados infesta bezerros, durante o período de resistência inata, ou quando adultos que foram criados em ambientes livres de carrapatos infestam-se, pela primeira vez, ao serem transportados para áreas estáveis. É necessário entender melhor os fatores de risco da doença em condições de estabilidade e a implicação da transmissão de A. marginale de forma mecânica, ou por meio de vetores diferentes do carrapato. Para prevenir surtos de TPB, no Brasil, é necessário desenvolver e usar vacinas em bovinos de regiões de instabilidade, especialmente antes de transportá-los para áreas estáveis.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1