Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Survey of rickettsiae in humans, dogs, horses, and ticks in northern Paraná, Brazil / Levantamento de riquétsias em humanos, cães, cavalos e carrapatos no norte do Paraná, Brasil

Tamekuni, Katia; Toledo, Roberta dos Santos; Silva Filho, Mauro de Freitas; Haydu, Valeska Bender; Pacheco, Richard Campos; Labruna, Marcelo Bahia; Dumler, John Stephen; Vidotto, Odilon.
Semina ciênc. agrar; 32(4): 1527-1538, out.-dez. 2011. tab, ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1436610

Resumo

Brazilian Spotted Fever is a disease caused by Rickettsia rickettsii, and is transmitted to humans and animals by Amblyomma spp. The objective of this work was to study the epidemiology of spotted fever group rickettsiae in rural areas of Northern Parana. In Alvorada do Sul municipality, 88 humans, 83 dogs, and 18 horses were sampled, and in Arapongas municipality, 138 humans, 90 dogs and 18 horses were studied. All the sera were tested by IFA in which R. rickettsii and R. parkeri were used as antigens, considering titers ≥ 64 positive. Ticks collected from dogs and horses were tested by PCR. In Alvorada do Sul, 24% and 16.1% of humans, 55.6% and 22.2% of horses and, 22.9% and 18.1% of dogs were seropositive for R rickettsii and R. parkeri, respectively. In Arapongas, 9.4% and 4.3% of the humans, 5.6% and 5.6% of horses and, 13.3% and 12.2% of the dogs were seropositive for R. rickettsii and R. parkeri, respectively. PCR detected seven ticks with gltA sequences that showed similarity with R. bellii. The presence of antibodies to R. parkeri and R. rickettsii in dogs, horses and humans demonstrates a potential risk for spotted fever group rickettsiae in these areas.
Febre Maculosa Brasileira é uma doença causada por Rickettsia rickettsii, e é transmitida para humanos e animais por Amblyomma spp. O objetivo deste trabalho foi estudar a epidemiologia de riquétsias do grupo da febre em áreas rurais do Norte do Paraná. No município de Alvorada do Sul, 88 pessoas, 83 cães e 18 cavalos foram amostrados, e no município de Arapongas, 138 seres humanos, 90 cães e 18 cavalos foram estudados. Todos os soros foram testados por IFI com R. rickettsii e R. parkeri como antígenos, considerando-se os títulos ≥ 64 positivos. Carrapatos coletados de cães e cavalos foram testados por PCR. Em Alvorada do Sul, 24% e 16,1% dos seres humanos, 55,6% e 22,2% de cavalos e, 22,9% e 18,1% de cães foram soropositivos para R. rickettsii e R. parkeri, respectivamente. Em Arapongas, 9,4% e 4,3% dos seres humanos, 5,6% e 5,6% de cavalos e, 13,3% e 12,2% dos cães foram soropositivos para R. rickettsi e R. parkeri, respectivamente. A PCR detectou 7 carrapatos com seqüências gltA que mostrou semelhança com R. bellii. A presença de anticorpos para R. rickettsii e R. parkeri em cães, cavalos e seres humanos demonstra um risco potencial para riquétsias do grupo da febre maculosa nestas áreas.
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1