Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Chemical composition and aerobic stability of corn silages made with bacterials and/or enzymatic inoculants - DOI: 10.4025/actascianimsci.v28i2.640 / Composição química e estabilidade aeróbia em silagens de milho preparadas com inoculantes bacteriano e/ou enzimático - DOI: 10.4025/actascianimsci.v28i2.640

Luiza de Godoy Gimenes, Agda; Yurika Mizubuti, Ivone; Barros Moreira, Fernanda; Sales Pereira, Elzânia; Luiz de Azambuja Ribeiro, Edson; Massato Mori, Rinaldo.
Acta sci., Anim. sci; 28(2): 153-158, 2006.
Artigo em Português | LILACS-Express | ID: biblio-1458986

Resumo

This work evaluated the effect of bacterial and/or enzymatic inoculants on chemical composition and aerobic stability in corn silage, made in mini-silos. The treatments were: CS (control silage), SBI (silage with bacterial inoculant), SBEI (silage with bacterial and enzymatic inoculant) and SEI (silage with enzymatic inoculant). The use of inoculants did not affect the organic matter (87,43%), crude protein (7,99%), neutral detergent fiber (55,43%) and acid detergent fiber (27,67%) contents. The SEI and CS treatments showed the lowest (3,28) and the highest (3,42) pH values in the beginning and after an air exposure period, showed again the lowest (3,87) and the highest (6,64) pH values, respectively. The inoculants used did not affect N-amonniacal contents of the silages. The treatments with inoculants presented the lowest temperature peak, more time to reach this temperature and the highest aerobics stability.
Este trabalho avaliou o efeito de inoculantes bacterianos e/ou enzimáticos na composição química e na estabilidade aeróbia da silagem de milho confeccionada em minisilos. Os tratamentos foram: SC (silagem controle), SIB (silagem com inoculante bacteriano), SIBE (silagem com inoculante bacteriano e enzimático) e SIE (silagem com inoculante enzimático). A adição de inoculante não alterou os teores de matéria orgânica (87,43%), proteína bruta (7,99%), fibra em detergente neutro (55,43%) e fibra em detergente ácido (27,67%). Os tratamentos SIE e SC apresentaram, na abertura, o menor (3,28) e maior (3,42) pH, e, após o período de exposição ao ar, o menor (3,87) e maior (6,64) pH, respectivamente. O uso de inoculantes não influenciou os teores de N-amoniacal das silagens. Os tratamentos com inoculantes apresentaram menor pico de temperatura, maior tempo para atingir o pico de temperatura e maior estabilidade aeróbia.
Biblioteca responsável: BR68.1