Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Mastite subclínica bovina: teores de proteína no leite após o tratamento durante a lactação

Zafalon, L.F.; Nader Filho, A.; Carvalho, M.R.B. de; Lima, T.M.A. de.
Arq. Inst. Biol; 76(2)2009.
Artigo em Português | LILACS-Express | ID: biblio-1462014

Resumo

ABSTRACT The present study assessed the protein fractions of the milk in 135 mammary quarters with subclinical mastitis caused by Staphylococcus aureus. These quarters were classified in two groups: treated (67) and not treated (68). The antimicrobial drug used for the treatment was gentamicin (150 mg) once a day and for three consecutive days. The herd was situated in the Barretos region, state of São Paulo, Brazil. Mammary quarters were considered cured when samples of milk were negative for the isolation of S. aureus 30 days after the treatment. Fractions of total protein, true protein, casein and whey protein were determined, before and after lactation. Total solids, somatic cell counts and milk production were also analyzed. After the analyses of the data, it was verified that there was no significant difference for total protein, true protein or whey protein after the treatment, while the same difference found in sick mammary quarters for casein, before and after the treatment, was verified for the healthy quarters. In conclusion, the treatment of subclinical mastitis caused by S. aureus during lactation did not produce improvement in the quality of the product when the milk protein levels were analyzed.
RESUMO Verificou-se os teores protéicos do leite em 135 quartos mamários com mastite subclínica causada por Staphylococcus aureus divididos em dois grupos, tratados (67) e não tratados (68). Utilizou-se para a tratamento a dose de 150 mg de gentamicina, uma vez ao dia e por três dias consecutivos, em uma propriedade com rebanho leiteiro experimental localizada na região de Barretos, interior do Estado de São Paulo. Foram considerados curados os quartos mamários cujas amostras de leite mostraram-se negativas ao isolamento das cepas de S. aureus 30 dias após o tratamento. Determinou-se as frações de proteína total (PT), proteína verdadeira (PV), caseína (CAS) e soroproteínas (SP), antes e depois do tratamento durante a lactação. As análises do extrato seco total (EST), da contagem de células somáticas (CCS) e da produção de leite também foram efetuadas. Após as análises dos dados, verificou-se que não houve diferença significativa para PT, PV e SP após o tratamento, enquanto a mesma diferença encontrada em quartos mamários doentes para CAS, antes e após o tratamento, também foi verificada para os quartos sadios que serviram de controle. Dessa maneira, concluiu-se que o tratamento da mastite subclínica causada por S. aureus durante a lactação não acarretou melhoria na qualidade do produto quando os itens analisados foram os teores protéicos do leite.
Biblioteca responsável: BR68.1