Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Use of antioxidants in semen extenders for sheep: literature review / Uso de antioxidantes em meios diluidores para sêmen ovino: revisão de literatura

Savi, P. A. P.; Zavarez, L. B; Kipper, B. H; Feliciano, M. A. R; Vicente, W. R. R; Oliveira, M. E. F.
Ars vet; 31(1): 1812-18, 2015.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1463246

Resumo

An imbalance between the antioxidant defense system and the production of reactive oxygen species (ROS) cause oxidative stress, characterized by cellular damage with detrimental effects on sperm quality. The sheep spermatozoa has high susceptibility to oxidative stress and consequently to lipid peroxidation due to higher amount of polyunsaturated fatty acids present in their plasma membrane and the presence of a reduced cytoplasm that maintain low concentrations of antioxidant enzymes. Therefore, it is important to add antioxidants in semen extenders. Some of the endogenous antioxidants present in seminal plasma are catalase (CAT), glutathione peroxidase (GSH) and superoxide dismutase (SOD). The non-enzymatic are: Vitamin E (Tocopherol), Vitamin C and resveratrol. The addition of antioxidants is beneficial in ram semen cryopreservation, however in excess are detrimental as they participate in important stages of the acquisition of sperm fertilizing potential, as training, hyperactivation, acrosome reaction and their interaction with the oocyte
O desequilíbrio entre o sistema de defesa antioxidante e a produção de espécies reativas de oxigênio (ROS) ocasionam o estresse oxidativo, caracterizado por danos celulares prejudiciais na qualidade espermática. Os espermatozoides de ovinos possuem grande susceptibilidade ao estresse oxidativo e consequentemente à peroxidação lipídica, devido a maior quantidade de ácidos graxos poliinsaturados presentes em sua membrana plasmática e a presença de um citoplasma reduzido que mantêm baixas as concentrações de enzimas antioxidantes. Dessa forma, torna-se importante adicionar substâncias antioxidantes aos meios diluidores do sêmen, que são subdivididas em dois grupos os enzimáticos e não enzimáticos. Dentre os antioxidantes enzimáticos endógenos presentes no plasma seminal destacam-se a catalase (Cat), a glutationa peroxidase (GSH), o superóxido dismutase (SOD) e a cisteína. Já os não enzimáticos são: vitamina E (Tocoferol), vitamina C e resveratrol. A adição dos antioxidantes é vantajosa na criopreservação do sêmen ovino, entretanto em excesso se torna prejudicial, pois participam de importantes fases da aquisição do potencial fertilizante espermático, como a capacitação, hiperativação, reação acrossomal e sua interação com o oócito. Sendo assim a presente revisão visou agrupar os principais antioxidantes, seus malefícios e benefícios na criopreservação do sêmen ovino
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1