Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Pyrrhulina brevis (Steindachner, 1876) como uma nova opção para a piscicultura ornamental nacional: larvicultura / Pyrrhulina brevis (Steindachner, 1876) as a new option for the national ornamental fish farm: larviculture

Andrade Abe, Higo; Dias, Joel Artur Rodrigues; Cordeiro, Carlos Alberto Martins; Ramos, Fabricio Menezes; Fujimoto, Rodrigo Yudi.
Bol. Inst. Pesca (Impr.); 41(1): 113-122, jan.-mar. 2015. tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1465036

Resumo

In the international trading of ornamental fish, the amazonian fish are prominence, however the mostly fish are captured from the extractive fishery, generating pressure on natural populations. Thus, the development of farming technologies for these species should be seen as a new field to be explored by the brazilian aquaculture, generating income and protection of natural stocks. Therefore, the aim of this study was to evaluate the performance of Pyrrhulina brevis larvae at different stocking densities, feeding frequency, feeding rate and resistance to salinized water. The first experiment was conducted in a factorial arrangement with 4 concentrations of Artemia sp. nauplii larvae-1 day-1 (50, 100, 150 and 200) and two feeding frequencies (2 or 4 meals). The stocking density assay was conducted with 6 treatments (1, 5, 10, 20, 40 and 80 larvae L-1). The evaluation at salinized water resistance was realized by factorial arrangement with 4 stocking densities (1, 5, 10 and 15 larva L-1) and 4 salt concentrations (0, 2, 4 and 6 g L-1). The best feeding and frequency ratio that promoted higher growth and survival was 150 Artemia sp. larvae-1 distributed in the four daily meals, the best stocking density was 40 larvae L-1 and the larvae could be reared in salinized water as prophylactic measured at 2 g L-1 since the density is not superior to 5 larvae L-1.
No cenário de comercialização internacional de peixes ornamentais, os de origem amazônica ganham destaque, porém, a sua maioria vem da pesca extrativa, o que gera pressão sobre as populações naturais. O desenvolvimento de tecnologias de criação de espécies de peixes ornamentais nacionais deve ser visto como um novo campo a ser explorado pela aquicultura nacional, gerando divisas, renda e proteção aos estoques naturais. Assim, o objetivo do presente trabalho foi avaliar o desempenho produtivo de larvas de Pyrrhulina brevis em diferentes densidades de estocagem, frequências alimentares, taxas de alimentação e salinidade da água. O primeiro experimento foi realizado em um esquema fatorial de quatro concentrações de náuplios de Artemia sp. larva dia-1 (50, 100, 150 e 200) e duas frequências alimentares (2 e 4). O teste de densidade de estocagem foi realizado através de seis tratamentos (1, 5, 10, 20, 40 e 80 larvas L-1). A avaliação da salinidade consistiu em um fatorial contendo quatro densidades de estocagem (1, 5, 10 e 15 larvas L-1) e quatro concentrações de sal (0, 2, 4 e 6 g L-1). As melhores taxas de alimentação e frequência alimentar foram 150 náuplios de Artemia sp. e quatro refeições diárias; a melhor densidade de estocagem foi 40 larvas L-1; e as larvas podem ser criadas em água salinizada até 2 g L-1 como profilaxia, porém em densidade de estocagem não superior a 5 larvas litro-1.
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1