Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Sexual maturity, handedness and sexual dimorphism of the freshwater crab Dilocarcinus pagei in southeastern Brazil / Maturidade sexual, lateralidade e dimorfismo sexual do caranguejo dulcícola Dilocarcinus pagei no sudeste do Brasil

Davanso, Thiago Maia; Taddei, Fabiano Gazzi; Hirose, Gustavo Luis; Costa, Rogerio Caetano da.
Bol. Inst. Pesca (Impr.); 42(2): 269-279, abr./jun. 2016. ilus, tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1465177

Resumo

This study estimated the sexual maturity of Dilocarcinus pagei Stimpson, 1861 based on relative growth and gonadal development. In addition, a possible sexual dimorphism was reported. The specimens were monthly captured from October 2005 to September 2007 in the Marimbondo/Furnas Hydroelectric Plant Reservoir, municipality of Icem in northwestern São Paulo State. Handedness was recorded for males, with the right cheliped propodus invariably longer and wider than the left. The estimated carapace width for morphological sexual maturity in males was 28.7 mm, based on the biometric relationship of the cheliped propodus length vs. carapace width; for females, this value was 24.2 mm, using the relationship of the abdominal width vs. carapace width. The size at gonadal maturity was estimated at 39.2 mm and 39.9 mm, for males and females respectively (CW50). There was not sexual dimorphism in relation to carapace width. For a crab to be able to procreate, it must reach morphological maturity and have developed gonads. Thus a minimum capture size based on the size, at which 50% of the population is considered reproductive, can ensure the continued preservation of this species.
O objetivo do presente estudo foi estimar a maturidade sexual de Dilocarcinus pagei Stimpson, 1861, por meio do estudo do crescimento relativo e desenvolvimento gonadal. Adicionalmente, um possível dimorfismo sexual foi avaliado. As coletas foram realizadas mensalmente de outubro de 2005 a setembro de 2007, no reservatório da Usina Hidrelétrica de Furnas/Marimbondo, município de Icém, Estado de São Paulo. Lateralidade foi registrada para o sexo masculino, com o própodo do quelípodo direito invariavelmente mais longo e mais largo que o esquerdo. O valor estimado da largura da carapaça para a maturidade sexual morfológica nos machos foi de 28,7mm a partir da relação comprimento do própodo do quelípodo vs. largura da carapaça, enquanto que para as fêmeas, esse valor foi de 24,2mm a partir da relação largura do abdome vs. largura da carapaça. A maturidade gonadal foi estimada em 39,2mm e 39,9mm para machos e fêmeas respectivamente (LC50). Não foi observado um dimorfismo sexual em relação à largura da carapaça. Para que um caranguejo esteja apto à reprodução, é necessário atingir a maturidade morfológica e ter desenvolvido as gônadas. Com isso, um possível tamanho mínimo de captura baseado no tamanho em que 50% da população é considerada reprodutiva, pode assegurar uma consequente preservação dessa espécie.
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1