Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Ethnomedicinal and traditional uses of the Ferns of Khyber Pakhtunkhwa, Pakistan

Irfan, M.; Jan, G.; Murad, W.; Jan, F. G.; Rauf, A.; Alsayari, A.; Almarhoon, Z. M.; Mabkhot, Y. N..
Braz. j. biol; 842024.
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: biblio-1469291

Resumo

Abstract Ferns are often used by indigenous people in Khyber Pakhtunkhwa, Pakistan. This study was designed to collect the ethnomedicinal and traditional knowledge of these locals about this group of vascular plants. Forty taxa belong to nineteen genera and ten families are used in the treatment of different diseases. The Pteridaceae was the most representative family with twelve taxa (30%), followed by Athyriaceae and Dryopteridaceae with six taxa each (30%), and Thelypteridaceae with five taxa (12.5%). Regarding the genera, Adiantum, Asplenium and Dryopteris ranked first with four taxa each (30%), followed by Aleuritopteris, Diplazium, Pteris and Equisetum with three taxa each (30%), followed by Athyrium, Oeosporangium, Polystichum and Pseudophegopteris with two taxa each (20%). These taxa were commonly used in the treatment of respiratory disorders i.e. asthma, bronchitis, emphysema, pneumonia; intestinal ulcer, stomach, urinary ailments and skin disorders by the methods of decoction and infusion. Traditional knowledge about ethnomedicinal plants is a valuable and essential source for the discovery of allopathic, herbal and homeopathic medicines.
Resumo As samambaias são frequentemente usadas pelos indígenas em Khyber Pakhtunkhwa, Paquistão. Este estudo foi desenhado para coletar o conhecimento etnomedicinal e tradicional desses moradores sobre este grupo de plantas vasculares. Quarenta táxons pertencem a dezenove gêneros, e dez famílias são utilizadas no tratamento de diferentes doenças. Pteridaceae foi a família mais representativa com doze táxons (30%), seguida por Athyriaceae e Dryopteridaceae com seis táxons cada (30%), e Thelypteridaceae com cinco táxons (12,5%). Em relação aos gêneros, Adiantum, Asplenium e Dryopteris ficaram em primeiro lugar com quatro táxons cada (30%), seguidos por Aleuritopteris, Diplazium, Pteris e Equisetum com três táxons cada (30%), e Athyrium, Oeosporangium, Polystichum e Pseudophegopteris com dois táxons cada (20%). Estes táxons foram comumente usados no tratamento de distúrbios respiratórios, isto é, asma, bronquite, enfisema, pneumonia; úlcera intestinal, estômago, doenças urinárias e doenças da pele pelos métodos de decocção e infusão. O conhecimento tradicional sobre plantas etnomedicinais é uma fonte valiosa e essencial para a descoberta de medicamentos alopáticos, fitoterápicos e homeopáticos.
Biblioteca responsável: BR68.1