Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Effects of inbreeding on growth and slaughter trails of rabbits / Efeito da endogamia em características de crescimento e abate de coelhos

Bento Sterman Ferraz, José; Pereira Eler, Joanir; de Sant'Anna Moretti, Anibal; Ghion, Esleibe; Masotti, Noé.
Braz. j. vet. res. anim. sci; 30(1): 55-63, 1993.
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: biblio-1470458

Resumo

Data from 1,512 Californian and 1,370 New Zealand White rabbits were analyzed by least squares procedures to study the effect of inbreeding of individuals, a covariate in the mathematical model, on body weights from weaning to slaughter and dressing percentage. Both linear and quadratic regression coefficients of inbreeding of rabbits were important for weights at several ages. Inbreeding of rabbits did not affect their performances at weaning and 5 weeks of age, but had an important effect on body weights measured from 6 to 11 weeks of age, with increases of performance from F=0 up to F=10% and reductions after that level. The effect of inbreeding was small on the weights observed at slaughter, and the trend was of reduction of weights when F increased. The same trend was observed for dressing percentage.
Os pesos individuais semanais da desmama ao abate de 2.882 coelhos, sendo 1.512 da raça Califórnia e 1.370 da raça Nova Zelândia Branca foram analisados pelo método dos quadrados mínimos para verificação dos efeitos da endogamia, uma covariável no modelo matemático, no desempenho desses animais. Tanto os efeitos lineares quanto quadráticos da endogamia dos coelhos foram importantes para pesos individuais a diversas idades. A endogamia dos coelhos não afetou seu desempenho à desmama (realizada em média aos 28 dias) e nem às cinco semanas de idade, mas afetou significativamente os pesos corporais de 6 a 11 semanas, com aumentos de pesos para endogamia variando de 0 a 10% e diminuições do desempenho após este nível. Nas características de carcaça e abate, o efeito foi pequeno, com uma tendência geral de decréscimo com o aumento do coeficiente de endogamia, o mesmo sendo verificado com o rendimento de carcaça. Estes resultados demonstram a importância do controle dos níveis de endogamia em coelhos, pois, mesmo quando mantidos abaixo dos 10%, podem afetar significativamente o desempenho produtivo.
Biblioteca responsável: BR68.1