Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Cardinal temperatures for planting-emergence phase in gladiolus / Temperaturas cardinais para a fase plantio-emergência de gladíolo

Muttoni, Martina; Alberto, Cleber Maus; Bartz, Alex Cristiano; Uhlman, Lilian Osmari; Tartaglia, Vanderley de Lima; Streck, Nereu Augusto.
Ciênc. rural (Online); 47(10): 1-7, 2017. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: biblio-1479811

Resumo

The objective of this study was to determine the cardinal temperatures for the planting-emergence phase of gladiolus. A controlled environment experiment was performed in a growth chamber in the Universidade Federal do Pampa - Campus Itaqui, using the completely randomized experimental design with 12 temperature treatments (5°C, 7°C, 10°C, 13°C, 16°C, 18°C, 20°C, 22°C, 25°C, 30°C, 33°C, 35°C) and ten replicates. Corms of the cultivar Amsterdam were planted at a depth of 10cm in 1.7dm3 pots. Every day the date of emergence of the gladiolus plants was observed. Then for each treatment, the emergence rate was calculated as the inverse of the duration of the budding phase, and estimated data were achieved employing the non-linear model of simulation. The lower base and upper base temperatures were identified at the non-emergence temperatures. To estimate the optimum temperature, the root of mean square error was used. Between 22 and 25ºC the planting-emergence phase was reported to be completed in a shorter time span, although the smaller root mean square error was achieved at 22.5ºC. The cardinal temperatures of the planting-emergence phase of gladiolus, lower base, optimum and upper base temperature were 5°C, 22.5°C and 35°C, respectively.
Objetivou-se determinar as temperaturas cardinais para a fase de plantio-emergência de cormos de gladíolo. O experimento foi conduzido em ambiente controlado, em câmara de crescimento localizada no laboratório de fitotecnia do Campus Itaqui da Universidade Federal do Pampa. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado sendo os tratamentos 12 níveis térmicos (5°C, 7°C, 10°C, 13°C, 16°C, 18°C, 20°C, 22°C, 25°C, 30°C, 33°C, 35°C), com dez repetições. Utilizou-se a cultivar Amsterdam, sendo o plantio dos cormos a 10cm de profundidade. Foi observada diariamente a data de emergência das plantas de gladíolo. A taxa de emergência foi calculada para cada tratamento como o inverso da duração da fase de brotação, sendo os dados estimados obtidos através de um modelo não linear de simulação. Nas temperaturas que não houve emergência, definiu-se a temperatura basal inferior e basal superior. Para determinar a temperatura ótima, utilizou-se a raiz do quadrado médio do erro. Na faixa de temperatura de 22ºC a 25ºC a fase plantio-emergência é completada em menor tempo, porém a menor raiz quadrada do erro foi obtida na temperatura de 22,5ºC. As temperaturas cardinais para a fase plantio-emergência de gladíolo são temperatura basal inferior de 5°C, temperatura ótima de 22,5°C e temperatura basal superior de 35°C.
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1