Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Induction of accessory corpus luteum in goats and sheep: From physiological basis to reproductive effects / Indução de corpo lúteo acessório em caprinos e ovinos: Das bases fisiológicas aos efeitos reprodutivos

Fonseca, Jeferson Ferreira da; Vergani, Gabriel Brun; Côrtes, Luana Rangel; Rodrigues, Juliana Nascimento Duarte; Siqueira, Luiz Gustavo Bruno; Souza-Fabjan, Joanna Maria Gonçalves; Oliveira, Maria Emília Franco.
Rev. bras. reprod. anim; 45(4): 309-317, out.-dez. 2021. tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1492674

Resumo

A identificação das ondas foliculares ovarianas e de seu padrão hormonal revelou que os folículos ovarianos dominantes da onda ovulatória (FDOO) crescem em ambiente hormonal com predominância crescente de estradiol, diferentemente daqueles da primeira (FDPO) e das ondas foliculares intermediárias (FDOI), que crescem sob forte impacto da progesterona (P4). O hormônio luteinizante (LH) é considerado o hormônio gonadotrófico decisivo para direcionar se um folículo dominante ovulará (↑ LH) ou não (↓ LH). Estratégias foram desenvolvidas para aumentar o LH endógeno (administração de GnRH) ou fornecer LH exógeno de origem suína (pLH) ou, ainda, gonadotrofinas semelhantes ao LH, como gonadotrofina coriônica humana (hCG). Estas medidas são capazes de disponibilizar LH para maturação final, ovulação e/ou luteinização de FDPO ou FDOI, formando corpos lúteos acessórios (CLa). Como consequência, a P4 aumenta e favorece o estabelecimento da gestação, sobretudo em condições em que a P4 for o fator limitante para a implantação e manutenção embrionária. Em ovelhas e cabras, em diferentes estudos, a hCG foi administrada de cinco a sete dias após o início do estro e revelou que o FDPO responde positivamente à administração de hCG, formando CLa e/ou promovendo a hipertrofia do CL formado originalmente, aumentando a área luteal. O incremento da P4 normalmente acompanha o aumento de área do tecido luteal. Como efeito final e mais desejável, a gestação e o nascimento de cordeiros/cabritos também aumentam. Esses conceitos serão discutidos na presente revisão sobre indução de CLa em ovinos e caprinos.
The identification of ovarian follicular waves and associated hormonal milieux has revealed that dominant follicles of the ovulatory wave (OWDF) grow in a hormonal environment where there is an increasing predominance of estradiol, unlike first-wave dominant follicles (FWDF) and intermediatewave dominant follicles (IWDF), which grow under increasing progesterone (P4) concentrations. The luteinizing hormone (LH) is considered the decisive gonadotropic hormone to direct whether a dominant follicle will (↑ LH) or will not (↓ LH) ovulate. Based on this, strategies have been developed to either increase endogenous LH (GnRH administration) or provide exogenous LH of porcine origin (pLH) or LH-like gonadotropins, such as human chorionic gonadotropin (hCG). Such strategies are able to provide LH for final maturation, ovulation, and/or luteinization of the FWDF or IWDF, forming accessory corpora lutea (aCL). As a consequence, P4 increases and favors the establishment of pregnancy, particularly when P4 is the limiting factor for the success of the conceptus implantation and maintenance. In sheep and goats, previous studies have administered hCG five to seven days after the onset of estrus and revealed that FWDF positively respond to hCG administration by either forming aCLs and/or promoting hypertrofia of the original CL which, in turn, increases its luteal tissue area. Normally, P4 synthesis increases along with the increase in luteal tissue area. As a final and most desirable outcome, pregnancy and the birth of lambs/kids also increase. These concepts will be discussed in this review, focusing on aCL induction in sheep and goats.
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1