Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Ingestive behavior and thermoregulation in sheep fed forage cactus silage undergoing intermittent water supply / Comportamento ingestivo e termorregulação em ovinos alimentados com silagem de palma forrageira submetidos a oferta intermitente de água

Nobre, Ismael de Sousa; Araújo, Gherman Garcia Leal de; Santos, Edson Mauro; Carvalho, Gleidson Giordano Pinto de; Souza, Bonifácio Benicio de; Ribeiro, Ossival Lolato; Turco, Silvia Helena Nogueira; Cavalcante, Anderson Barbosa; Albuquerque, Italo Reneu Rosas de.
Semina ciênc. agrar; 39(4): 1683-1694, 2018. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1501201

Resumo

This study aimed to assess the effect of using forage cactus silage in the diet of sheep under intermittent water supply on its ingestive behavior and thermoregulation. We used in the experiment thirty-six intact male sheep of undefined genotype with an initial average weight of 19.8 ± 2.1 kg and age of approximately six months. The experimental design was a randomized block design in a 3 × 3 factorial scheme composed of three levels of forage cactus silage in the diet (0, 21, and 42%), three water supply periods (0, 24, and 48 hours), and four replications. For the ingestive behavior, observations were carried out every 5 minutes for 2 periods of 24 hours. Thermoregulatory responses were taken at 7:00 and 15:00 h on days other than those intended for ingestive behavior tests. Intermittent water supply did not affect any of the studied variables (P > 0.05). The use of forage cactus silage significantly influenced the ingestive behavior of animals (P < 0.05). Sheep fed forage cactus silage in the diet presented an average feeding efficiency of 255.77 g DM h−1 and an average rumination efficiency of 102.16 g DM h−1, while animals fed control diet showed values of 198.63 and 78.45 g DM h−1, respectively. Urinary frequency increased according to the levels of forage cactus silage in the diet, with 23.60 urination per day in animals fed diets with 42% of forage cactus silage and 10.83 urination per day in animals fed control diet. However, the search for water reduced, with averages of 2.73 and 0.54 per day for animals fed 0 and 42% forage cactus silage, respectively. The use of forage cactus silage also increased thermoregulatory responses of sheep, with an average respiratory rate of 103.35 mov. min−1 and heart rate of 140.08 mov. min−1 in the warmest period of the day (in the afternoon). Thus, sheep fed forage cactus silage increases its feeding and rumination efficiencies, decreases its search for water, and increases its thermoregulatory responses...
Objetivou-se avaliar o efeito da utilização de silagem de palma forrageira na dieta de ovinos submetidos a oferta intermitente de água sobre o comportamento ingestivo e a termorregulação de ovinos. Foram utilizados 36 ovinos machos não castrados sem padrão racial, com peso médio inicial de 19,8 + 2,1 kg e idade aproximada de seis meses, distribuídos em delineamento de blocos ao acaso, em esquema fatorial 3 x 3, composto por três proporções de silagem de palma na dieta (0; 21 e 42 %) e três períodos de oferta de água (0; 24 e 48 horas), com quatro repetições. Para o comportamento ingestivo foram realizadas observações a cada 5 minutos durante 2 períodos de 24 horas. As respostas termorregulatórias foram tomadas nos horários das 7 e 15 horas, em dias diferentes daqueles destinados ao comportamento. Observou-se que a oferta intermitente de água não afetou nenhuma das variáveis estudadas (P > 0,05). A utilização de silagem de palma influenciou significativamente o comportamento ingestivo dos animais (P < 0,05). Ovinos alimentados com silagem de palma forrageira na dieta apresentaram eficiência de alimentação média de 255,77 gMS h-1 e de ruminação de 102,16 gMS h-1, enquanto que aqueles que não recebiam esse alimento, apresentaram valores dessas variáveis de 198,63 e 78,45 gMS h-1, respectivamente. A frequência urinária dos animais se elevou conforme a proporção de silagem de palma na dieta, sendo observadas 23,60 micções dia-1 em animais que recebiam 42% e 10,83 micções dia-1 naqueles que não recebiam silagem de palma. A procura por água, entretanto, diminuiu. Foram observadas médias de 2,73 e 0,54 (nº dia-1) para animais alimentados com 0 e 42% de silagem de palma, respectivamente. A utilização da silagem de palma também elevou as respostas termorregulatórias dos ovinos. Ovinos alimentados com silagem de palma apresentaram média de frequência respiratória de 103,35 e cardíaca de 140,08 movimentos minuto-1 no período mais quente do dia (tarde)...
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1